Pular para o conteúdo principal

Gen - Pés Descalços


Hoje acabei de ler o primeiro volume de Gen - Pés Descalços (Hadashi no Gen), de Keiji Nakazawa (sao 3 volumes, mas a leitura é super rapida!). O autor tinha 7 anos quando a cidade de Hiroshima foi arrasada pela bomba atomica, no dia 05 de agosto de 1945.

Ele sobreviveu, e resolveu contar a historia dessa tragedia terrivel, que envergonha a humanidade até hoje, e simplesmente arrasou com muitas vidas e familias. A proposta do Nakazawa é de paz: ele queria contar essa historia para que as armas nucleares nunca mais fossem utilizadas. E escolheu uma mídia que alcança os jovens, que sao os mangás.

A historia, que é auto-biografica, mostra uma familia pacifista, os Nakaoka, que sofrem muito porque sao contra a guerra, que causa fome, morte e destruicao para todos. Sao chamados de traidores, humilhados e espancados por seguirem suas conviccoes. A miseria e o sofrimento atinge principalmente a populacao civil.

O primeiro volume conta a historia da familia Nakaoka, mostrando como era o cotidiano dos moradores de Hiroshima na epoca da Segunda Guerra, com todos passando dificuldades. Mostra como os militares japoneses organizavam a campanha de convencimento da populacao, dizendo que o Exercito japones era vencedor, quando na verdade estava colecionando derrotas. Estou ansiosa pra pegar o segundo volume, lá na biblioteca da FJSP.

E a mais incrivel coincidencia é que hoje de manhã conversei com a Mariana, da TV Cultura, porque ela queria o telefone do sr. Takashi Morita, que é simplesmente um amor de pessoa, presidente da Associacao Brasileira de Vitimas da Bomba Atomica.

A pauta da Mariana é que a Suprema Corte de Hiroshima ordenou que o governo japones pague a indenizacao para dois sobreviventes da bomba atômica, que estao no Brasil. Acho que é uma compensacao muito pequena para tanto sofrimento, mas pelo menos, é algo que pode ajudar essas pessoas a terem uma vida mais confortavel. Puxa, desejo sinceramente que armas nucleares nao sejam mais produzidas. O que podemos fazer a respeito??

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…