quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Gen - Pés Descalços


Hoje acabei de ler o primeiro volume de Gen - Pés Descalços (Hadashi no Gen), de Keiji Nakazawa (sao 3 volumes, mas a leitura é super rapida!). O autor tinha 7 anos quando a cidade de Hiroshima foi arrasada pela bomba atomica, no dia 05 de agosto de 1945.

Ele sobreviveu, e resolveu contar a historia dessa tragedia terrivel, que envergonha a humanidade até hoje, e simplesmente arrasou com muitas vidas e familias. A proposta do Nakazawa é de paz: ele queria contar essa historia para que as armas nucleares nunca mais fossem utilizadas. E escolheu uma mídia que alcança os jovens, que sao os mangás.

A historia, que é auto-biografica, mostra uma familia pacifista, os Nakaoka, que sofrem muito porque sao contra a guerra, que causa fome, morte e destruicao para todos. Sao chamados de traidores, humilhados e espancados por seguirem suas conviccoes. A miseria e o sofrimento atinge principalmente a populacao civil.

O primeiro volume conta a historia da familia Nakaoka, mostrando como era o cotidiano dos moradores de Hiroshima na epoca da Segunda Guerra, com todos passando dificuldades. Mostra como os militares japoneses organizavam a campanha de convencimento da populacao, dizendo que o Exercito japones era vencedor, quando na verdade estava colecionando derrotas. Estou ansiosa pra pegar o segundo volume, lá na biblioteca da FJSP.

E a mais incrivel coincidencia é que hoje de manhã conversei com a Mariana, da TV Cultura, porque ela queria o telefone do sr. Takashi Morita, que é simplesmente um amor de pessoa, presidente da Associacao Brasileira de Vitimas da Bomba Atomica.

A pauta da Mariana é que a Suprema Corte de Hiroshima ordenou que o governo japones pague a indenizacao para dois sobreviventes da bomba atômica, que estao no Brasil. Acho que é uma compensacao muito pequena para tanto sofrimento, mas pelo menos, é algo que pode ajudar essas pessoas a terem uma vida mais confortavel. Puxa, desejo sinceramente que armas nucleares nao sejam mais produzidas. O que podemos fazer a respeito??

Nenhum comentário:

Postar um comentário