Pular para o conteúdo principal

Livros e receitas, coisas normais...

Acabei de ler ontem o The Catcher in the Rye (O Apanhador no Campo de Centeio), considerado a obra máxima do J.D. Salinger. Sinceramente, eu achei um livro muito chato de ler, e nao entendo como algo tao enfastiante, cansativo e monótono pode atrair tantos admiradores. Ainda bem que eu leio muito rapido.

O livro narra, em primeira pessoa, alguns dias na vida do adolescente bem nascido (e maaaaala) Holden Caulfield, que acaba de ser expulso da sua terceira escola (Pencey) bem às vésperas do natal, nos EUA. Ele foge do colégio, já que ia ser expulso mesmo, e resolve passear em Nova York, procurando encrenca, uma após a outra. Isso até os pais descobrirem a expulsao dele, que chegará numa carta do colegio.

Nesse meio-tempo, ele reclama muito da vida, odeia tudo e a todos, fica deprimido e angustiado, bebe todas, procura patinhos na lagoa e esbanja todo dinheiro em besteiras. Bom, ele é o personagem principal do livro, que deveria ser o herói, mas na verdade, é tao covarde e mentiroso que parece mais o vilão da história!! Dificil simpatizar com esse cara tao mané!!

O que incomoda muito nesse livro é o vazio e a falsidade das pessoas (pura realidade, eu sei). Mas o Holden tb nao se esforça pra ver o lado positivo das coisas. E ele fica falando que vai pra fazenda ser apanhador no campo de centeio, e enrola, enrola, enrola, e no final, voce acha que ele vai pro interior?? Leia o livro pra saber!! Eu nao gostei, mas talvez vc goste...^.^

Ontem também consegui ler o ultimo dos 4 volumes da serie GEN - Pés Descalços, com o recomeço da família depois que eles voltam para Hiroshima. Puxa, como eu sofri lendo cada um desses livrinhos...chorei muito acompanhando a historia dessa familia, e de todos os outros personagens.

Esse livro-mangá deveria ser distribuido para todas as crianças e adolescentes, para mostrar como a guerra nao faz sentido, e como ela destroi a vida de pessoas que nao tem nada a ver com a guerra em si. Tanto sofrimento, tantas mortes, a troco de quê? Mesmo hoje, porque existe tanta guerra, tanta desesperança no mundo?

Penso que se nada for feito, teremos no futuro proximo ou longinquo mais e mais familias inocentes afetadas por desastres causados por armas nucleares. E afinal, o que podemos fazer para trazer paz aos habitantes desse planeta azul? Somos todos irmaos, mas ao mesmo tempo, tao distantes uns dos outros...

Hoje encontrei as lindas Cris Agari, do Seinen, e a Deise, do Festival do Japao, na Liberdade. Foi muito legal reve-las. Ah, e tambem falei pelo tel com a minha querida amiga Rosa, que está lá no Kibo-no-Ie. Ela é um doce, um anjo de pessoa!!

E falando em doce, uma boa dica para conseguir receitas legais é o www.recipezaar.com (em ingles), que reúne 158 mil receitas de todo tipo e 41 mil fotos super apetitosas!! Estou separando novas receitas porque mandei consertar o fogao aqui de casa. Agora dá pra voltar a cozinhar!! Eba!! Preparem-se!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…