Pular para o conteúdo principal

Acordando de madrugada...pra aparecer na TV??

Bem, hoje acordei as 7 da matina, pra participar do link ao vivo da Record. Putz, foi um sacrificio arranjar 10 neguinhos pra montar uma torcida "fake" pro Japao. Que sufoco!! =O

E a reporter ficou toda animada, orientando a galera:"pula!!", "samba!!", "grita!!", "come salgadinho", "come paçoca", sem pensar que eram 8 horas da manha, e o jogo era só as 10, e que as pessoas lá torcem na verdade pro Brasil, e nao pro Japao...

E o pior de tudo é que ela queria que a gente sambasse. Eu, sambando em rede nacional e internacional? Mas nem morta!! Espero que ninguem tenha me assistido com as bandeirinhas na mao...que mico!! =)

Aí fiquei lá até o link acabar, e chegou o pessoal da rede Globo. E voltei pro escritorio, porque trabalhar é preciso, torcer é perda de tempo. Ainda mais pra quem nao gosta de futebol e odeia Copa do Mundo, como eu. Mas minha batian veio aqui assistir o jogo, entao deixei a TV ligada. Olha, pobre dos japoneses, deu pena!! Se eles tivessem segurado o jogo, daria pra ganhar. Mas ficaram desesperados, e aí, deu tudo errado...3 x 1 pra Australia...hihihi...

Hoje na janta comi o Mc França, sanduiche super-hiper-calorico e com um gosto forte de queijão. E tomei um Mac Flurry de doce de leite com cookies: ou seja, agora, eu vou ficar uma semana só na saladinha. Gula gula gula. Meu pecado capital. Tambem fiz os orçamentos para o meu novo cartao de visitas, e trabalhei bastante. Foi um dia bem produtivo no fim, apesar da Copa. Segue um artigo que escrevi pro Jornal do Nikkei no final do ano passado.

A força dos jovens no Centenário

Um antigo ditado japonês diz que as árvores mais altas são aquelas que possuem as raízes mais profundas. Nossas raízes vieram do outro lado do planeta, com nossos pais e avós, e estão agora aqui no Brasil. Estamos redescobrindo essas raízes.

Participando como voluntária em entidades que reúnem jovens, percebo que existe uma mudança de consciência, com a valorização dessa herança cultural e espiritual dos nossos antepassados. Além disso, temos a presença cada vez mais marcante de jovens que não possuem descendência japonesa, mas que são completamente apaixonados por essa cultura milenar e fascinante.

Nesse ano de 2006, estamos em ritmo de contagem regressiva para o Centenário da Imigração Japonesa do Brasil, que acontece em 2008. Inúmeras ações estão em andamento, e acredito que cada um de nós, independente da idade, pode dar sua contribuição efetiva para o Centenário, prestando uma homenagem aos primeiros imigrantes.

Afinal, temos a maior comunidade nikkei fora do território japonês. Precisamos valorizar essa riqueza, e ao mesmo tempo, cativar e atrair toda a sociedade brasileira para a comemoração do centenário da imigração Japonesa. Juntos, nós somos fortes, somos uma combinação imbatível, porque reunimos nossos talentos para fazer o essencial, que é contribuir para a sociedade.

Para finalizar, Madre Teresa dizia algo singelo e bonito: “se não podemos fazer grandes coisas, então façamos com grande amor as pequenas coisas”. Gostaria de convidar a todos para que juntos, façamos muitas pequenas coisas, com todo amor, em prol do Centenário.

Erika Yamauti
Presidente Seinen Bunkyo São Paulo gestão 2004
Coordenadora do VIII Festival do Japão
Voluntária da Associação para Comemoração do Centenário

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…