Pular para o conteúdo principal

Festival de emocoes...=)


















Bom, ja sou meio conhecida por ter um lado "workaholic", mas nesses dias de Festival do Japao, eu realmente exagerei um pouquinho...mas foi bom. O cansaço é bom! Acho que esse cara ai do lado, do Akita Kenjinkai, deve ter cansado é de dar susto nas pessoas! Caramba!! Cara louco, me deu mó susto!!

Mas afinal, tudo vale a pena se a alma nao é pequena! Mesmo que o "tudo" inclua administrar egos, orçamentos, prazos, correria e gente meio desesperada, desligada e/ou tapada. O segredo é manter a calma zen budista. Muita paciencia zen.

E foi uma boa experiencia porque, como disse antes, aprendi a dizer nao. E aprendi tb a falar alto com gente que nao me escuta. E falar grosso até! Olha que avanço! Fiz isso com umas velhinhas chatas e tb com uns caras de telemarketing. E aprendi a delegar melhor, e a domesticar toupeiras e guaxinins. Pra aprender tudo isso, é simples: basta gerenciar 2 comissoes do Festival do Japao ao mesmo tempo. Fica feito o convite pra quem se interessar. =)

Bom, as duas ultimas semanas da minha vida foram intensamente dedicadas a esse evento. Hoje passei a noite lendo os jornais do fim-de-semana, pra fazer o clipping. Mas amanha, começo a relaxar e partir pra outra. Pq agora, só falta preparar os relatorios finais e seguir adiante. Ah, e o Festival foi muito bom!!

Comi tempura de sorvete, tomei sorvete de sake, comi morango com chocolate, muito moti e mandyu, provei o okonomiyaki, tomei muito Mupy (2 por R$ 1!!) e raspadinha do Ikoi-no-Sono, e sorvete de milho, e muitas coisinhas legais. Hihihihi...até parece que fui lá só pra comer!! Mas eu só comia nos intervalos, correndo no meio das obrigacoes. E fiquei sem comer o yakisoba crocante...o yakisoba bari bari...ai que peninha...fiquei na fila umas 3 vezes, mas sempre me chamavam. Nao tive sorte...=(

Vi muita gente que estava meio sumida (ou será que eu é que sou a sumida??). E Geraldo Chuchu Alckmin foi lá fazer bagunça ontem, e deu muito trabalhao. E tb produzi a parte do omikoshi, que contamos com a ajuda de muitas pessoas pra montar. Se nao fossem o Baiten, o Kazuo, o Shigue, os escoteiros, e eu (modestamente), esse omikoshi nao tinha saido do lugar. E estou ficando chique, recebi convites pro Festival de Yosakoi Soran. E tb vou no Tanabata! Tudo nesse final-de-semana, dias 29 e 30...=)

E nao é por causa do Festival que parei de ler. Li os poemas de "Osiris, o Deus da Pedra", do Gozo Yoshimasu. É muito legal, porque sao poemas que o cara escreve durante viagens. E os poemas tb sao umas viagens loucas, adorei o estilo do Yoshimasu, que é meio dadaista, mas constroi cenarios incriveis!! È como se ele estivesse ao mesmo tempo em um trem, e num carro, e na rua. Os tres sao parte dele, e ao mesmo tempo, nenhum dos tres é realmente ele. Deu pra entender? Meio maluco, né?? Bjs.

Comentários

  1. Olá Érika!
    Parabéns pelo seu trabalho no Festival. Estou a disposição para integrar qualquer comissão para o Festival do ano que vem.
    Muito boa a descrição que vc fez tbm, no seu blog.
    Na verdade entrei aqui, para encontrar alguma foto do festival, rerere.
    Se vc tivesse falado comigo sobre o omikoshi, vcs não precisariam ter montado, eu conseguiria três já montados que vieram do japão, que usamos no templo em que frequento.
    Mas fica pra próxima!
    Kisu! Omedetou!
    Pedro Minamidani

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…