Pular para o conteúdo principal

Puxa, como sera que eu consigo?

Êba, a Italia ganhou! Pelo menos a seleçao que eu sempre torço está na final! Entenda bem: nao é que eu nao goste de futebol, o meu problema é essa mania do torcedor brasileiro de achar que a selecao brasileira está com tudo, quando nao esta com nada. A Italia sim, tem jogadores guerreiros. Garra, coragem, dedicacao. Isso sim. Parabens Italia!! 2 a zero!!

Bom, tem dias que eu fico desesperada, tipo hoje. Faltam exatamente 10 dias pro evento e os convites ainda flanam, borboleteiam, serpenteiam...mas se for pra enviar na semana que vem, nem compensa, pq ninguem vai vir na cerimonia!! E ainda perderam etiquetas prontinhas. É uma coisa de louco, de doidao mesmo. Nao dá pra entender. Será que as pessoas nao percebem que o tempo acabou??

Nessas horas eu penso: puxa, como será que eu consigo ter tanta paciencia?? E ainda ser uma pessoa multi-hiper-mega-funcional?? Caramba, a minha paciencia é realmente anormal, eu sou uma pessoa muito zen, de verdade mesmo!! Mereço um premio, uma comenda, alguma coisa assim!!

Digamos que um velhinho X um dia está desesperado pra fazer um cartaz. Ele vai morrer por causa da falta do cartaz, algo do gênero. Entao eu apronto o cartaz virando a madrugada, de um dia pro outro (ou melhor, de uma noite pra outra). Horas de sono a menos pra mim. O velhinho fica todo feliz e pimpao. E depois abre o sorriso e fala que quer mais prazo até semana que vem, pra poder "trabalhar o texto". Ah, vai plantar batatinha, velhinho!! Era urgencia urgentissima ou nao??!! Eu é que sou jornalista e posso trabalhar texto. Voce nao, velhinho!!

Resumo da ópera nikkei: é preciso ter muuuita paciencia. Muuuita boa vontade. Muuuuuito idealismo. Muuuuuuita AMP (atitude mental positiva, segredo do Yuzo). Se voce quiser trabalhar na comunidade nikkei. Pessoas sem paciencia, nervosinhas, orgulhosas, ranzinzas ou cheias de nao-me-toques: aceitem o conselho de quem ajuda humildemente diversas entidades nikkeis desde 1998: fiquem longe da comunidade nikkei!!

Anyway, hoje fui em jejum fazer um exame no hospital Santa Cruz. A medica é uma gracinha. Mas lerda que nem uma lagarta fazendo o casulo. E eu em jejum até as 14h30. ô vida. Antes que eu desmaiasse na rua, fui no shopping almoçar. Comi no Costela Express, a comida mais engordativa e deliciosa do Shopping Santa Cruz. Ah, e eu comi com muuuito gosto, foi a melhor refeicao da semana!!

E depois fui numa loja comprar uma meia-calça, pq a minha desfiou geral, e está uma vergonha só. Comprei a meia-calça bonitinha de R$ 10. E dai, nao resisti. Aproveitei e comprei uma blusa de R$ 10 e outra de R$ 15...liquidação...hahahaha...esse é o problema das minhas compras!!!

Depois fui na Liberdade, fui correndo pro Centenario, depois correndo de novo pro Kenren, pra reunioes diversas. Daí na volta, passei no Habibs e tomei um lindo milk shake de flocos, porque eu mereço!! E falei na radio nikkey sobre o show da Karen Ito (09/07) e da Yumi Inoue (06/07). Ai, muitos compromissos, muita coisa pra fazer. Será que dou conta?? Espero que sim!! Bjs.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…