Pular para o conteúdo principal

SO long time!!!














Noticia do UOL Tecnologia

A impressora B-SX8R, da Toshiba, é capaz de usar a mesma folha de papel por 500 vezes para imprimir e reimprimir. A nova tecnologia, que deve para cair no gosto dos ecologicamente corretos, é para poucos - o aparelho custa cerca de R$ 20 mil, e cada folha, R$ 20.


Vida anda tao complicada que mal dá tempo de acessar email, quanto mais blogar e manter contatos virtuais com o mundo. Hoje acabei de ler “Há quem prefira urtigas”, do Junichiro Tanizaki. Consegui ler porque estava fazendo tratamento no dentista, que acabou hoje.

O livro trata de um tema recorrente para Tanizaki: as relações familiares, com um casal vivendo a crise pós-moderna de aparente apatia no casamento. É muito retratado o teatro dos bonecos, suas peças e tradições. Acho que a simbologia do autor é de que somos todos marionetes, e sem destino, nos perdemos no rumo das paixões e dos vícios humanos. Em resumo, livro depressivo.

Agora vou reler “Confissões de uma Mascara”, de Yukio Mishima. Final de semana com muitas emoções: no sábado de manhazinha fui na minha penúltima aula de nihongo. Depois, 17 horas, encontro no Bunkyo. Trabalhamos até quase 2 da manha no sábado, no Bingão Beneficente das 4 Entidades (Kibo, Kodomo, Yassuragui e Ikoi). Vendemos muita cartela e corremos bastante. Tomamos chuva e demos muita risada. Em resumo, ajudar é tudo de bom!!

No domingo, fui no churras dos voluntarios do Japan Experience, e depois, em uma reunião no Kibo. Depois tomei bronca por ter passado o fim-de-semana todo com as minhas atividades voluntárias (hihi), mas no fim, deu tudo certo. Semana passada participei de um workshop de comunicação muito interessante (thanks to L), e tive muitas idéias para melhorar muita coisa no dia-a-dia de “educomunicadora”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…