terça-feira, julho 03, 2007

Voltando ao ar....

Preparativos para diversos eventos me impedem de dar muita atencao (ou qualquer atencao) ao blog. Por exemplo, no ultimo sabado, ajudei M. no Miss Tanabata.

Flores, jurados, tabelas, correria, contando com a ajuda de voluntarios super bacanas num ambiente de bagunça total, mas foi super nostalgico e alegre, por relembrar momentos felizes que a gente viveu no Tanabata.

Um dos eventos mais lindos que ja tive a honra de ajudar na organizacao. Realmente amo o Tanabata, organizaria numa boa, porque sei que muita gente tb ama esse evento, é um clima muuuito gostoso!!!

Bom, minha falta de tempo é uma pena, porque aconteceu tanta coisa bacana! Ontem por exemplo, tive almoco no restaurante natural com a K., A. e L., e foi muito, muito legal e divertido. Alem de conversar e bater papo, deu pra pensar em novos trabalhos, novas opcoes e muitos projetos novos. A vida é mudança, nada é permanente! Vamos buscar mudanças!!

Depois teve palestra na Fundacao sobre budismos. Na primeira, simplesmente boiei legal. Na segunda foi mais interessante. E depois fui no banco, e fui pra uma reuniao de organizacao do Bazar do Ikoi-no-Sono, asilo lá em Guarulhos do qual sou diretora. Foi super gostoso, apareceu um monte de gente, até gente que pensei que nao fosse...foi reconfortante saber e sentir que nao estou sozinha nesse “trem”.

Isso me lembra algo importante. Descobri que tem gente que nao faz a minima ideia de tudo que eu fiz, ou estou fazendo, pelas pessoas. Esclareço: nao é pela dita “comunidade nikkei” que me esforço tanto. Isso é consequencia, porque se eu passo meus fins-de-semana ajudando no Bunkyo ou num kenjinkai, é pela cultura, é pelas pessoas, é pelo bem do mundo. E acho que a maioria de nós, voluntarios do seinen, pensa assim.

É muito estranho uma coisa dessas nao é? A gente cumprimenta as pessoas, fala oi, fala tchau, mas na verdade, o que vemos é a superficie de cada um, sua mascara. Nao sabemos o que a pessoa faz, o que ela sonha, o que ela busca na vida. Talvez seja consequencia desse mundo maluco em que vivemos. As pessoas sao ilhas, e não formamos arquipelagos. Ainda bem que encontrei meu arquipelago, minha posicao geografica no mapa mundi, enquanto muita gente continua perdida! Bjs e até um proximo post.

Antes que seja tarde
Pato Fu
Composição: John/Fernanda Takai/Tarcísio Moura

olha, não sou daqui
me diga onde estou
não há tempo não há nada
que me faça ser quem sou
mas sem parar pra pensar
sigo estradas,sigo pistas pra me achar
nunca sei o que se passa
com as manias do lugar
porque sempre parto antes que comece a gostar
de ser igual, qualquer um
me sentir mais uma peça no final
cometendo um erro bobo, decimal
na verdade continuo sob a mesma condição
distraindo a verdade, enganando o coração.....

Nenhum comentário:

Postar um comentário