sábado, maio 03, 2008

Music inside my mind

Dia lindo, sol e ventinho frio. Até que enfim! Hoje fui andar por aí. Sozinha, já viu, né? Fui devolver meus filminhos, fui no banco, andei até o parque da aclimação, passeei no parque, fui na feira, tomei sorvete, andei pra caramba. E isso tudo em menos de 2 horas! Pelo menos devo ter queimado as calorias do pastel de carne com queijo e do Mcflurry – espero!!

Ontem assisti mais um capitulo do Last Friends (acabou, agora só semana que vem, tadinha da Michiro, apanhou de novo do namorado diabo) e - incrivelmente - atendi alguns jornalistas e fiz produção de matérias em plena sexta de feriado. A saga dos bounts do Bleach também acabou. Pudera, eu sozinha em casa, essa chuva toda que caiu, e acabei assistindo um montão de capítulos!

No final, assisti no feriado “O Despertar de uma Paixão” com o Edward Norton e a Naomi Watts. Um filme difícil, mas muito legal. Também assisti “O Passado” (não gostei, o Rimini é muito bobo) e só pra completar o clima feriadão – hahahahaha – aluguei “Alvin e os esquilos” – hahahaha. Mas os esquilos são tão bonitinhos...rsrsrrsrs...nao importa o filme ser bobinho. Foi 1 hora e meia de fun fun fun.

Putz, estou viciada em uma musica que escutei por causa de uma pesquisa que eu fiz pra uma matéria. Selfish Love, do Miyavi. Ele toca muito! É muito stilish! Super coool! Faz tempo que uma musica não entrava na minha cabeça desse jeito. Caramba! O que eu faço pra tirar essa musica da cabeça?



E você conhece o Jero? É um cantor negro – de enka!!!!!!! – que entrou no Top Ten das paradas do Japão com o single “Umiyuki” (direto no 4º lugar em março). É o primeiro cantor afro-americano a conquistar um lugar tão alto nas paradas japonesas com o primeiro single. Ele é sansei mestiço e nasceu em Pittsburgh, EUA.

Enka nao é meu estilo, mas a musica desse Jero é até “escutável”. O mais bacana é que o clipe tem uma atmosfera de hip hop e grafitti, e o cara entra e canta essa musica tradicionalíssima japonesa, com umas roupas de rapper gangsta, e não de cantor enka. O estereotipo clássico seria um japa com quimono. E esse artista negro quebra o conceito, ultrapassa a barreira. Eu acho bacana porque o Japao precisa muito dessa quebra de (pre)conceitos. Bjs.

">

Um comentário:

  1. Eu gostei! É um som animado, pra frente! bjs, Lilica

    ResponderExcluir