quinta-feira, março 12, 2009

Imaginem só...

Imaginem minha situação: sexta-feira à tarde, saí do trabalho, tenho um tempinho, e resolvi ir no cinemark pra assistir um filme bobo - bem bobo. Escolhi "Pantera Cor de Rosa 2" com o Steve Martin.

Péssimo gosto, eu sei, mas reafirmo, era para desligar o cérebro mesmo. Daí eu fui no banheiro, fui comprar pipoca e entrei na sala. Pouca gente (oba, deu pra escolher um bom lugar). Toca musiquinha do Tom Jobim, fiquei mexendo no celular, daí começam os trailers. Alias, o filme da Julia Roberts e Clive Owen (Duplicity) parece muito bom!!

Anyway, estou lá no cinema assistindo os (infindaveis) trailers. Daí começa algo do tipo "prefeitura de Paulinia orgulhosamente apresenta". E eu te juro, eu pensei que era uma coisa legal, e que agora os filmes estariam apresentando um curta metragem brasileiro, tipo aquelas animacoes da Pixar (ingenua, eu sei).

Daí começam a aparecer uns boizinhos, e uns cavalinhos, e...o cantor sertanejo Daniel. Sim senhores, eu entrei na sala errada. Consegui essa proeza de entrar na sala 3 ao invés da sala 2. PAVOR PAVOR PAVOR!!! Estava assistindo o filme "O menino da porteira". PAVOR!! Olhei no relogio e meu filme do Steve Martin tinha começado 20 minutos antes!!! Tinha gente sentada dos dois lados da fila, interessados no filme. 

Daí eu pensei, se Deus teve o trabalho de me colocar nessa sala, ele deve ter algum motivo. E entao, eu decidi o improvavel: fiquei assistindo o filme rural e brejeiro. Até o fim. Juro. Destaques do filme, a atuação super maneirista e engraçada do José de Abreu (pra mim, careca ou nao, ele atua do mesmo jeito), e a cara sempre igual da Vanessa Giacomo (na tristeza e nos momentos felizes, sempre igual), e as falas engraçadissimas do Daniel (poucas falas, ele fala muito pouco mesmo, até pelo perfil do personagem, que é um vaqueiro caladão).

O que eu mais gostei do filme, juro, foi o menininho que fica na porteira (que alias, por mais absurdo que pareça, tem merchandising das lojas Pernambucanas - isso mesmo, na porteira de madeira está escrito Lojas Pernambucanas - brasileiro é tão criativo que dá um jeito pra tudo). O menininho é muito bonitinho (fica falando o filme inteiro TOCA O BERRANTE SEU MOÇO!!!). Mas o final é triste. O MENINO MORRE. Pronto, falei. Espero que nao tenha estragado o filme pra voce. Mas acho que 99% das pessoas que eu conheço nao assistiriam esse filme. Moral da história (se é que houve moral): pelo menos, eu desliguei o cérebro. heheheheheh. Bjs, e depois eu conto do meu media training, que foi SUPER LEGAL.

Da árvore (www.g1.com.br)

Postado por Paulo Coelho em 11 de março de 2009 às 00:20

 

Um mestre budista viajava a pé com seus discípulos, quando reparou que discutiam entre si quem era o maior entre eles.

“Pratico meditação há 15 anos”, dizia um.

“Faço caridade desde que saí da casa de meus pais”, dizia outro.

“Sempre segui os ensinamentos de Buda”, dizia um terceiro.

Ao meio-dia, pararam debaixo de uma macieira para descansar. Os galhos estavam carregados, e vergavam até o chão com o peso das frutas.

Então o mestre falou: “quando uma árvore está carregada de frutos, seus ramos se abaixam e tocam o chão. Desta maneira, o verdadeiro sábio é aquele que é humilde”.

“Quando uma árvore não tem frutos, seus ramos são arrogantes e altivos. Desta maneira, o tolo sempre se crê maior que seu próximo”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário