sexta-feira, março 27, 2009

Retornando...

Nossa, faz muito tempo que não escrevo no meu blog! A vida está super hiper agitada e não sobram meus valiosos minutinhos para compartilhar meus pensamentos humildes. Bom, desde meu ultimo post, eu:


- assisti Slumdog Millionaire (achei o filme bobo, mas os atores principais muito bons)

- conheci o Ney Matogrosso no Pavilhão Japones!

- fui sozinha no karaokê pra cantar um pouquinho (minha técnica de relaxamento)

- pisei no meu óculos e quebrei-o-o * prejuízo de R$ 200!!!

- organizei um jantar pras amiguinhas e amigos

- fiz muita shokudai * lição de casa do nihongo (muito MESMO)

- participei de varias reunioezinhas, todas pouco, mais ou menos, ou nada eficientes

- votei em mim mesma no Conselho - e nao votei nas pessoas que nao merecem

- fechei detalhes do Bazar do Bem 2009 – 23 e 24 de maio e 13 e 14 de setembro!!

- trabalhei bastante!!

 

Em resumo, a vida está corrida, mas eu estou numa boa!! Agora, quem não está numa boa - e segue chafurdando - é o Centenario. Que matéria ridícula saiu no SP Shimbun de ontem! É (muito) mais fácil apontar o dedo e procurar um culpado do que assumir os próprios erros, não é mesmo, prezados senhores velhinhos? E tenho mais revolta porque falam mal do William, e eu sou testemunha, ele se esforçou de coração pela festa do Centenário, colocou toda a equipe dele pra trabalhar, e não merece essa ingratidão. Em resumo, mais do mesmo. Eu estou absolutamente de saco cheio dessa falta de gratidão.


E hoje fui de manha na feira comer pastel na barraca da Cris. Caldo de cana com pêssego, pastel de calabresa, tudo perfeito. A experiência teria sido maravilhosa, não fosse um detalhe. Tinha um bando de molequinhos que moram na favelinha do lado da vila mariana lá na feira, pedindo pra comprar pastel pra eles. Eu, sinceramente, teria comprado numa boa. SE não tivessem vindo 5 meninos pedir e me encher o saco.


Daí você vê a diferença de pensamento, porque apareceu um cara com jeito de rico que pagou pastel pra todos os molequinhos. Acho que ele deve ter gastado uns R$ 15 nisso. E eu pensei: nosssa, esse cara deve sentir muita culpa social, pra fazer isso. Porque eu sinceramente, acho que faço a minha parte, e não tenho que ficar pagando pastel pra moleque folgado pra aliviar minha tal “culpa”.  Eu já faço trabalho voluntário em proporcao suficiente pra achar que eu faço a minha parte.


Se fosse eu, e se eu não tivesse dinheiro pra comprar pastel, das duas uma: ou eu trabalhava pra comprar um pastel ou eu passaria vontade e não comeria pastel. Acho que fui criada assim, eu penso assim.  Será que é um traço da cultura japonesa? Eu jamais pediria algo na rua. Mas muita gente acha mais fácil pedir do que se esforçar.


E isso é muito ruim pra consciência coletiva de um povo, de uma nação. Não é pedindo e reclamando que você consegue as coisas na vida. É se esforçando e trabalhando, é fazendo gaman (sacrifício) e se dedicando. O governo brasileiro não ensina isso pras pessoas em geral. E isso não é bom para nosso futuro como um País. Daí fica esse povo todo apontando o dedo pro governo, pros políticos, pra tudo. Menos pra si mesmo. Bjs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário