segunda-feira, janeiro 23, 2012

Questoes complexas da humanidade

Sou uma pessoa que chora muito: choro escutando musica, assistindo filme, lembrando do dorama (ainda mais quando estou escutando a musica do dorama...^.^). Ou seja, sou muito, muito boba para essas coisas. Extremamente sensivel. Vivo chorando por besteira. Imagina então como eu chorei quando vi as imagens do caso da senhora que matava os cachorrinhos e os gatinhos lá na Vila Mariana (eu nao acompanhei direito para nao chorar mais...).

Fiquei muito triste, porque isso constata que existem pessoas que são malvadas mesmo, que tem o coração ruim e fazem maldade sem pensar nas consequencias, nem nas pessoas, animais e todos mais que sofrem nesse mundo. Como ela pôde fazer isso com tantos bichinhos indefesos e que nao fizeram nada de mal?? (escrevo isso com minha cachorrinha no colo pq está chovendo e ela tem muito medo). Ou seja, tem gente muito ruim nesse mundo. Nao dá para entender tanta maldade. O que ela imaginava conseguir cometendo tantos crimes contra os animais??

Dizem que a maldade só existe quando as pessoas de bem nao fazem nada. Então algo precisa mudar com urgência nesse mundo, para que exista mais justiça, nao é? O que me deixa muito, muito intrigada, é que a mesma humanidade que produz monstros perversos, como essa senhora e tantas outras pessoas que cometem atrocidades e barbaridades, também foi capaz de produzir exemplos de vida como Gandhi, madre Teresa e Luther King, que inspiram pessoas como eu até hoje.

Quando a gente nasce, já tem um destino traçado na vida. Eu acredito nisso, que cada um de nós recebeu uma missão, um destino. Descobrir e cumprir nosso destino é o que temos que fazer, e para isso, podemos escolher o caminho do bem ou do mal. O caminho do bem será sempre mais árduo, mais dificil e desgastante, mas é a estrada certa, que nos leva a evoluir como humanidade, como espécie. Infelizmente, tanta gente, tanta gente, escolhe o caminho do mal. É um desperdicio de energia e talento para o mundo. Bjs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário