Pular para o conteúdo principal

Sobre minha querida profissao

"Pensar é o trabalho mais difícil que existe. Talvez por isso tão poucos se dediquem a ele". Henry Ford.


Essa semana eu escutei uma coisa que me fez pensar muito, porque é uma triste verdade. Na reunião disseram que nao adianta falar coisas sérias para um jornalista, por 2 motivos. Em primeiro lugar, o entrevistado só fala o que ele quer que seja publicado (lógico, só alguem muito ingenuo falaria na frente do jornalista algo que não quer ver publicado). Além disso, nao adianta falar de coisas sérias e complicadas com um jornalista, porque ele nao vai entender nem metade!!


Pior que isso é verdade. Os jornalistas em geral Alguns jornalistas parece que andam fora da realidade, num mundo paralelo, com muita preguiça de pensar e usar a cabeça. Tem assuntos que para um jornalista entender, tem que explicar muito bem explicado. E tem mais questoes - por ex., tenho um cliente para o qual pedi um aumento no orçamento, e ele me mostrou orçamentos de outros jornalistas. 


Na hora eu sinceramente não acreditei, porque o valor que eles estao pedindo é muito ABAIXO do valor do mercado. Eu nao consegui me conter e falei: que tipo de QUALIDADE você espera com um serviço nesse valor?? Sério?? Porque eu sei o valor do meu trabalho, sei que me dedico muito para esse job, várias viagens e varias entrevistas. Sei que o meu serviço vale mais, porém tive que recuar em relação à minha solicitacao de aumento do contrato. 


Meudeusdoceu, que profissão é essa que eu escolhi?? Porque será que esses jornalistas bestas oferecem seu trabalho por valor abaixo do mercado?? Será que nao percebem que essa concorrencia desleal prejudica a todos os outros, inclusive a si próprios no futuro?? Isso é lamentável e mostra uma falta de visão impressionante. Realmente, nao é prestando serviços de jornalismo para outras empresas que ficarei rica para ajudar muitas pessoas. Preciso criar meu proprio modelo de negocio, pensando bastante e me dedicando muito!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…