Pular para o conteúdo principal

Gosto musical muito seletivo!!

O C emprestou pra mim um cd com 194 musicas J-pop. Eu achei muito legal esse emprestimo, porque a minha busca por novas musicas acaba se direcionando com base no que já estou escutando, entao fico meio viciada em ouvir as mesmas coisas de sempre (ultimamente, muito Kpop rsrsrsr).

Escutei todo o CD hoje, e olha como eu sou seletiva: só escolhi 30 musicas pro meu mp3 hahaha!! Algumas eu sei que nem vou escutar depois rsrsrsrs...mas achei que tinham alguma coisa diferente e por isso salvei. E outras sao versoes em japones de musicas coreanas hahaha!! É bom escutar a seleção musical de outra pessoa de vez em quando. È uma oportunidade pra conhecer novos estilos né??

Vou dizer que simplesmente o-de-i-o aquelas musicas que tem uma menina (ou duas, ou tres) com voz estridente gritando "AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHH" naqueles tons altos de quebrar copo de vidro. Aliás, não entendo como japonês gosta tanto disso.

E aqueles grupos que tem tipo umas 30 meninas juntas, uma mais esquisita que a outra, todas com a mesma roupinha? Que fetiche é esse, meudeus?? Nao dá pra entender PORQUÊ japonês gosta tanto disso. Por exemplo, tem uma musica do tamanegui (cebola) que é muito bizarra!! A menina devia estar (muito) bêbada quando concordou em gravar uma musica e filmar um video vestida de cebola!!


É engraçado porque eu escuto as musicas e sinto muita semelhança entre as 194 faixas, parece que grande parte está na mesma batida, no mesmo tempo, até no mesmo tom (irritante) de voz. Acho que isso é um problema da musica pop em geral nao é? Bom, pelo menos eu encontrei minha nova musiquinha favorita, que é do AAA. É um grupo que mistura meninas e meninos (os meninos são meio feios, na verdade rsrsrs), mas tem umas musicas legais! E tem tb a musica do Gran Rodeo, que é tema de um anime sobre basquete. Bjs.





Em tempo, tinha esse video que descobri no blog do @forastieri. Esse video que é um mashup do Daniel Kim mostra que realmente as musicas de hoje são muito igualzinhas, padronizadas, pasteurizadas. Ainda existem alguns lampejos de originalidade (tipo PSY rsrsr), mas são muito poucos no meio de um oceano de mediocridade. Bjs.

Comentários

  1. It's time to quote!

    "E aqueles grupos que tem tipo umas 30 meninas juntas, uma mais esquisita que a outra, todas com a mesma roupinha?"

    Não entendi bem o "esquisita", mas... hummmm... Esse tipo de conjunto feminino existe tem muitos anos! É tradição mesmo... E as meninas cantam, dançam, fazem poses e bocas, tiram fotos, vestem bikini! É puro marketing! E acredite, esse esquema (apesar de batido) vende horrores! Vendem os albuns musicais, vendem produtos relacionados, como roupas, perfumaria e até brinquedos!

    Já a música em sí, isso é o de menos! O negócio mesmo é a imagem! E claro, sempre ter o máximo de garotas bonitinhas, todas elas com as pernocas de fora!


    "Que fetiche é esse, meudeus?? Nao dá pra entender PORQUÊ japonês gosta tanto disso."

    Vou tentar explicar: Meninas "meiguinhas" com roupinhas curtas, cantando músicas que falam de amor e paixão adolescente... Ou seja, nisso elas pegam em cheio duas parcelas bem diferentes de público: A das meninas que gostariam de estar lá, ao lado delas no palco, e também a parcela dos garotos, que com certeza, gostariam de namorar com alguma delas.

    Agora, se você somar nisso todas as carências emocionais, afetivas e psicológicas de uma boa parcela da juventuda japonesa, vai ver que esses conjuntos femininos (muitas vezes) funcionam como uma muleta emocional. - É algo meio absurdo se formos pensar, mas muitos japoneses realmente se espelham naquilo como objetivo de vida.

    Mas mais uma vez, isso já é algo que a tempos criou raízes na cultura jovem japonesa. E esse caminho não tem mais volta!


    "Por exemplo, tem uma musica do tamanegui (cebola) que é muito bizarra!! A menina devia estar (muito) bêbada quando concordou em gravar uma musica e filmar um video vestida de cebola!!"

    O pior é que nesse contexto eu já ví coisas piores! (Não que eu tenha alguma tara com isso, mas é que é muito engraçado ver dessas coisas!) - E todo final de ano tem aquela competição no canal NHK, onde são os homens contra as mulheres (conjuntos masculinos e femininos). - E se você assiste um programa desses do começo ao fim, acaba entendendo o quanto que essas bizarrices são populares!


    "É engraçado porque eu escuto as musicas e sinto muita semelhança entre as 194 faixas, parece que grande parte está na mesma batida, no mesmo tempo, até no mesmo tom (irritante) de voz."

    Mas a música é sempre assim! E nos anos 80 e 90 também era! (Só que naquela época, quando o Hard Rock era a coisa mais popular e mais legal do mundo, a base de tudo que era música eram os acordes DO, FA, SOL MENOR e DO)... Se você pegar uma boa parte das músicas daqueles tempos, o acorde de fundo era exatamente esse! Sempre se repetindo por milhões de vezes!

    E o que os japoneses hoje em dia fazem (e os sul coreanos idem), é algo bem similar a isso, só que de uma maneira (aos meus ouvidos), bem mais peculiar...

    "Acho que isso é um problema da musica pop em geral nao é?"

    Pop, rock, country, o ritmo que você quiser! Se uma coisa faz sucesso, todo mundo acaba querendo fazer igual!

    "Bom, pelo menos eu encontrei minha nova musiquinha favorita, que é do AAA. É um grupo que mistura meninas e meninos (os meninos são meio feios, na verdade rsrsrs), mas tem umas musicas legais!"

    Uma coisa (agora sim) que eu realmente não entendo, é essa androgenia na juventude japonesa. Já reparou? As vezes os meninos estão mais parecidos com meninas do que as próprias meninas... (E olha que isso sim, é um fenômeno de comportamento muito mais recente).


    "E tem tb a musica do Gran Rodeo, que é tema de um anime sobre basquete."

    Que é o "Kuroko no Basket", certo?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…