Pular para o conteúdo principal

Perdida na tradução...

Kdorama Tumblr
É muito engraçado acompanhar a minha batian assistindo K-doramas. Porque eu assisto a versao original com legenda em inglês, mas ela assiste a versão com dublagem em japones e legendas também em japonês...kkkk...

Eu fico acompanhando as reações dela (ela tem 87 aninhos). E ela chora, faz assim "aaaahhhhh" quando acontece alguma coisa tipo perseguição de carro e/ou moto, e sorri quando tem alguma brincadeira e se emociona nas cenas mais melosas (aliás, típicas de K-dorama).

Pra mim é meio surreal ver os atores e atrizes dublados em japones...mas é uma forma que o mercado K-pop conseguiu inventar pra entrar no Japão né. Tem até trailers dos novos doramas, super produzidos como trailer de cinema. Afinal, é uma industria cultural!!

Falando em industria cultural, fui praticamente obrigada a assistir "Amanhecer - parte 2" porque nao tinha outra opção de filme no Cinemark...kkkkk....totalmente ridiculo e olha que nao tinha assistido nenhum episodio anterior...sem comentários sobre a tal da Bella e do Edward, mas o mais surreal pra mim foi a maneira como trataram os personagens brasileiros.

As vampiras brasileiras
Sim, porque eles fazem uma reuniao de vampiros do mundo todo e aparecem 2 brasileiras da Amazonia. Ou seja, quando se referem ao Brasil, mostram macacos, florestas e moças de tanguinha.

E tem mais 2 personagens da Amazonia, o moço que aparece no final, junto com outra moça (que é oriental, porque é logico, aqui no BR somos todos meio orientais #fail), pra salvar a menininha vampiro/humana. Ambos confortáveis de tanguinha, no meio da neve. Claro, afinal são vampiros e nao sentem frio. Uma belíssima apresentação dos estereotipos sobre o Brasil. E duas horas da minha vida que perdi num filme muito, muito, muito besta. =P. Bjs!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…