Pular para o conteúdo principal

Buscando e recebendo amor

Nin hao ma? Essa semana tive prova de mandarim na escola. Sinceramente? Nao fosse o professor praticamente me "soprando" a prova, eu teria tirado zero. Há mais de um mes nao abria meu livro, e só fiquei sabendo da prova um dia antes. Entao não estudei e fui na coragem!

Ainda bem que o professor foi bonzinho. Ele falou as palavras que eu nao lembrava, me deu dicas do que responder nas perguntas...hahahaha, entao nao zerei. Prometo que vou estudar mais nesse semestre. Inacreditavel: estou oficialmente no nivel intermediario de mandarim (detalhe: sem falar mandarim)!! hahaha...^.^

Depois desse percalço linguístico, decidi fazer algo que nao fazia há tempos: ir ao cinema assistir um filminho mais intelectual. E fui assistir "Amor Pleno", do Terrence Malick, com o Ben Affleck, Olga Kurylenko, Javier Bardem e Rachel McAdams. Adorei o filme. Porque ele fala de muita coisa que eu ando pensando, refletindo e perguntando pra mim mesma. Por exemplo, sobre a nossa visao de amor, que é muito idealizada. Sobre os reflexos do cotidiano em nossos sentimentos e percepção do mundo. E também como os sentimentos sao unicos e especiais.

No filme, o Ben Affleck é o Neil, um cara meio (beeeeem) desanimado com a vida. Ele vai para a França e se apaixona pela Marina, que tem uma filhinha linda, a Tatiana. O inicio do amor (como sempre) é maravilhoso, magia, encantamento, beijos, aceitação plena. Daí eles vao para os EUA e tudo desanda. Aos poucos, tudo aquilo que fez o cara se apaixonar pela mocinha, acaba se transformando em fator de distanciamento. A espontaneidade, o sorriso, a dança, a alegria, tudo que encantava ele de inicio, faz ele se distanciar do amor. E ela fica perdida no meio dessa confusao de sentimentos, em um país estranho, sozinha com a filha.

As brigas começam, o amor parece que acaba, ela vai embora para a França. E ele começa a sair com essa outra moça, a Jane, que já sofreu muito na vida, e simplesmente pede para ele ser sincero. E o cara nao consegue ser assim. Pelo que entendo hoje do mundo, os homens tem um problema muito sério com essa tal "entrega". E é assim: ele nao consegue se entregar. Alias, no filme todo, ele parece mais um "robô" do que gente como a gente!! Parece que nao tem opiniao propria, vai sendo levado pelos acontecimentos!!

No desenrolar da historia, a namorada da França volta pros EUA, eles se casam, se amam, se machucam e se torturam, como em qualquer relacionamento tóxico. Olhando pelo lado positivo, ela mostra varias vezes o amor que sente pelo cara. Ela chega a perguntar pra ele "como faço para amar voce?". E ele nao consegue explicar o que está no coração dele. Sem reação, o sentimento fica lá contido, escondido, sublimado. Entao...pelo que se pressupõe...isso é ser homem nos dias de hoje? hahaha...=)

Chega uma hora que a menina cansa de afirmar um amor que ela mesma não consegue mais acreditar. Ela acha que nao tem mais retorno, e acaba devolvendo todo o sentimento de "desamor" que ela recebeu do marido. E isso machuca fundo o coração do moço. No final, o filme tem um monte de cenas abertas, e você pode intuir a sua propria visão sobre o desfecho da historia. Eles podem ter se perdoado e vivido felizes juntos. Ou entao separados. Eu prefiro acreditar que eles ficaram juntos, afinal, sou romântica!! Bjs.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…