quarta-feira, novembro 06, 2013

Fazer o bem, nao importa pra quem!


O Homem Sagrado não tem coração 
Toma o povo como seu coração
Com os bons faço o bem
Com os que não são bons faço o bem também 
Adquirindo o bem
Com os sinceros sou sincero
Com os que não são sinceros sou sincero também 
Adquirindo a sinceridade
O Homem Sagrado sob o céu
Age cautelosamente fundindo os corações do mundo 
O povo todo com olhos e ouvidos atentos
O Homem Sagrado os trata como crianças
(Tao te Ching)

Esses dias uma pessoa me falou assim: "Erika, que legal que voce está fazendo isso pelos outros, continua assim, porque a maioria das pessoas nao pensa dessa maneira". Eu vou continuar (mesmo que dê muito trabalho), achei super legal o elogio, pelo lado do incentivo. Entretanto, observando o mundo, constato que muita gente pensa mesmo em fazer o mal, prejudicar, ou no minimo, nao ajudar os outros. Que mundo é esse, afinal?

Eu procuro fazer sempre o bem, ajudar os outros no que eu posso, apoiar quando pedem a minha ajuda, e nao prejudicar ninguem. Na verdade, se eu fosse uma pessoa diferente, e quisesse prejudicar alguem, poderia fazer isso. Tenho em minhas mãos o poder para fazer o bem ou o mal. Mas o que ganha uma pessoa, quando causa tristeza e dor para alguém? Isso é algo que nao consigo entender. Pra mim sinceramente nao faz sentido, nao constrói, nao acrescenta.

Eu faço o bem aos que são bons, e tambem com quem nao é. Lógico, como ja falei algumas vezes, nao sou a madre Tereza nem Dalai Lama. Sou uma aprendiz. Constatei que (ainda) tenho (muitos) sentimentos pequenos, que estou me esforçando continuamente para erradicar do coração. Mas nao guardo rancor de ninguem, procuro tratar todos igualmente e respeitar. Sei que machuco algumas pessoas, de vez em quando, mas é porque hoje, sei que preciso ser egoísta nesse ponto, de me respeitar e me amar acima de tudo. Nao fico mais por baixo. Eu aprendi que sou mais importante, sempre.

Hoje nao me estresso mais com muita coisa que me irritava profundamente há pouco tempo atras. Porque procuro ver as pessoas como crianças, procuro entender as motivações que fazem cada um se comportar e agir. Sei que ninguém é bom ou ruim, nao existe preto ou branco. Existe o cinza. Todos somos bons e ruins ao mesmo tempo. Então eu enxergo a criança dentro das pessoas, a historia, a bondade, especialmente das pessoas mais difíceis, e isso me ajuda a manter minha boa vontade e atenção no mundo. Uma dica pratica pra vida! Bjs!

Nenhum comentário:

Postar um comentário