Pular para o conteúdo principal

O dia mais triste

Com certeza, na minha vida, o dia mais triste que vivi até hoje foi 11 de março de 2011. Naquele dia tão trágico, eu e toda humanidade sofremos por pessoas que não conhecemos e nunca vamos conhecer. Crianças, jovens, adultos, tantas vidas foram perdidas e afetadas pelo terremoto seguido de tsunami, com efeitos que ainda vão influenciar o Japão por muitos anos. É algo assustador. 

Todos os dias, quando acordamos de manhã, temos a ilusão de que controlamos a nossa existência. É um sentimento basicamente humano. Porque se formos parar pra pensar, ninguém controla o destino. Ninguém controla a natureza. Somos imensidão, e ao mesmo tempo, somos grão de areia. Um paradoxo interessante. 

Naquele dia, eu acordei meio atrasada (como sempre), nao vi as notícias, e fui correndo trabalhar. Foi só entrar no prédio que percebi que algo estava errado. E quando olhei as noticias, nao pude acreditar que aquela tragédia tinha acontecido no Japão. Quando vi aquelas imagens, fiquei meio entorpecida, incrédula, atordoada, tentando processar mentalmente aquilo que estava sendo mostrado na TV. Nao conseguia acreditar...

Antes que eu conseguisse entender direito o que estava acontecendo, começaram as centenas de ligações de todo Brasil. Gente pedindo ajuda, gente oferecendo ajuda, gente chorando, gente preocupada com os parentes, pedindo informação, querendo conversar, tentando entender se podiam fazer algo. E as informações nao paravam de chegar, as noticias atualizadas a cada minuto, a transmissão da NHK...era muita coisa para lidar ao mesmo tempo. Foram dias estressantes, corridos e tristes. Até hoje tenho pesadelos de vez em quando, principalmente com tsunami. Sinto medo. u.u

Felizmente, sempre tenho condições de fazer algo positivo pelos outros, portanto, eu ajudei como pude, auxiliando na produção de matérias, buscando informações e criando conteúdo e material de apoio para as iniciativas que estavam acontecendo no Brasil, como a campanha SOS Japão. Na missa em memória às vitimas, chorei muito, porque pensei no quanto a vida é frágil, linda e preciosa. Desejei que as vitimas descansem em paz e que as famílias possam retomar suas vidas aos poucos. A vida é o que fazemos dela, e na minha vida, sempre tentarei fazer o bem. Bjs.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…