terça-feira, março 25, 2014

Troublemaker!

A vida é muito engraçada. Os meninos me falaram de uma pessoa chata, disfuncional, prepotente, que causa problemas por onde passa, cultiva inimizades e se desentende com tudo e todos. Ninguem gosta dele(a), ou seja, trata-se de uma pessoa bem difícil (e olha que nós estamos acostumados a lidar com casos disfuncionais kkkkk). O dilema coletivo? Ele(a) tinha se inscrito pra ser voluntaria(o) no evento do fds. #comofaz?

Perguntinha básica: oque leva uma pessoa em sã consciência a freqüentar um lugar no qual as pessoas não gostam dela, ainda mais pra fazer trabalho voluntário? Será uma tendência masoquista? Será uma absoluta falta de simancol? Talvez falta do que fazer? De qualquer maneira, o jeito foi torcer pelo melhor e seguir em frente!

Eu tinha uma leve impressão de que eu conhecia essa pessoa (oque se confirmou mais tarde). O mais irônico, é que eu tinha uma boa impressão (kkkkkk eu sempre espero o melhor dos outros), mas é porque nunca trabalhamos juntos, temos convívio direto durante 3 dias ao ano, o que é muito pouco, se comparado aos outros, que conviveram mais. Por isso, a minha avaliação nao estava correta. Ainda bem que me alertaram!

Segundo o meu amigo, que tem tantos anos de trabalho voluntário quanto eu, esse foi o caso de voluntário mais complicado que ele já conheceu. Ou seja, não é brincadeira! E na verdade, a gente acaba lidando com muitos casos complicados em nossa vida de lideres de entidades nikkeis e projetos sociais. É dificil lidar com tantas expectativas e responsabilidades, mas nos esforçamos para fazer o melhor. 

O evento no final foi muito bom, deu tudo certo, e pelo que eu saiba, a pessoa (felizmente) não causou problemas pra ninguem. Eu pelo menos, vi muito esforço e humildade nos gestos dele(a). Desejo que essa pessoa tão complicada consiga amadurecer e entender algo essencial: acima de ego, holofotes e cargos, está o bem que fazemos para as pessoas. Essa é a causa pela qual trabalhamos e nos dedicamos. O resto é purpurina. Bjs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário