domingo, janeiro 08, 2017

Circularidades


Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.

A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa no meu caminho! Creio que também fiz a minha parte, porque sempre busquei o bem.

Nessa semana estou vivendo um sentimento muito bacana de expectativa. Fui selecionada para um programa de convite ao Japão do Consulado Geral do Japão em São Paulo, e vou para o Japão depois de quase 20 anos sem visitar o país. Sim gente, eu trabalho com cultura japonesa mas não tinha voltado pro Nihon desde a minha adolescência. Os motivos? Muitos. 

Na entrevista, a coordenadora perguntou. "Erika, você que está tão dentro da comunidade, porque nunca recebemos a sua candidatura nessas bolsas?". Eu poderia dar dezenas de motivos. Que eu sempre estou correndo, sempre estive em diretoria de alguma entidade, ou envolvida em algum projeto grande, e sentia que não tinha tempo para ir para o Japão com uma bolsa de estudos. Mas a reflexão que eu fiz depois da entrevista, pensando naquela pergunta tomando um chai latte no Starbucks, é diferente, é até surpreendente: eu simplesmente não me sentia merecedora das oportunidades que aparecem na minha frente.

Já recebi outras oportunidades anteriormente, e pensava que a outra pessoa precisava mais do que eu, ou que eu era tão essencial e não poderia ficar fora por tanto tempo (puxa mas é taaaaanto tempo, são 2 semanas hahaha!). São desculpas até meio irracionais (como a maioria das desculpas), se formos pensar nisso. Graças a deus, depois de muito trabalho de coaching, melhorei bastante. Estou mais confiante, mais certa do meu valor e da minha contribuição, e sei que posso representar o Brasil e a comunidade nikkei com muito orgulho, e trazer conhecimentos que possam ajudar outras pessoas.  

Enfim, este é um momento muito feliz de renovação para mim, e desejo que o ano de 2017 simbolize a possibilidade de um renascimento das esperanças, dos bons sentimentos e da harmonia em nosso país. Que seja um ano bem melhor do que 2016, para você e para mim também. bjs!