quarta-feira, maio 30, 2018

Coisas fora do meu controle

Eu estou acostumada a fazer as coisas darem (muito) certo. Geralmente o que eu toco, dá certo, porque eu coloco minha energia positiva em tudo que faço. Exceto na última semana. Tudo que eu fiz deu errado hahahahaha. O site saiu do ar por uma besteira, a gráfica imprimiu os panfletos errados, reuniões não aconteceram simplesmente porque eu nao estava do lado. Muita coisa enfim. Foi uma semana que eu rezei pra acabar logo.

E acredita que nessa semana, o azar continua?? Além de tudo, começou essa greve dos caminhoneiros e sem gasolina, o Brasil parou. Eu já não sei mais o que faço! Talvez seja o caso de eu me desligar um pouco do mundo, fazer uma limpeza espiritual e entregar as coisas na mão de quem é responsável, parar de assumir a responsabilidade do outro, confiar no que estou fazendo e seguir em frente.

Muitas vezes as coisas não acontecem como a gente quer, mas isso nao quer dizer que elas estão fora do controle. Elas simplesmente estão acontecendo como devem acontecer. Agora eu preciso me convencer disso e ficar calma, porque faltam 50 dias pro Festival. Tudo dará certo no final! Essa hora critica é quando a gente precisa manter o foco e a fé. Gambarimashou.


terça-feira, maio 15, 2018

Sobre viver e super viver



Esses dias estava pensando com um amigo e ele falou que estava buscando novas formas de "sobreviver" em meio à crise. E isso me fez refletir que muita gente (a maioria das pessoas, na verdade), hoje não tem muito tempo para sonhar, criar projetos ou ajudar a comunidade, pois estão muito ocupados garantindo um mínimo padrão de sobrevivência.

Até nisso eu sou muito abençoada por Deus, pois eu tenho a grata felicidade de trabalhar com o que eu amo, no que eu realizo de mais excelente, recebendo bem para isso, e mais importante do que tudo, fazendo oque eu mais gosto: ajudando as pessoas!

Sou muitíssimo grata e abençoada, pois descobri meu propósito de vida, algo que grande parte das pessoas não têm oportunidade para descobrir, tempo para definir ou visão para enxergar. O meu propósito de vida é simplesmente ajudar esse mundo a melhorar de alguma forma. E sei que consigo realizar essa missão!

Eu recebi e continuo recebendo tantas bênçãos em minha breve visita aqui nesse planeta querido, que meu coração é repleto de gratidão e sentimentos lindos! 

Diria que a minha vida hoje é mais do que sobrevivência, mais do que vivência. Eu não sobrevivo, eu SUPER vivo e me supero a cada dia! Afinal, o que muitas pessoas não puderam experienciar em uma vida, eu vivo em um semestre!

Qual o segredo para isso? Você pode me perguntar! Se me permite dizer, eu posso afirmar que é sempre manter sua honestidade, ética e moral, acima de tudo. 

Também é trabalhar mais do que os outros. É se esforçar sozinho, pois ninguém vai carregar as suas pedras por você. É manter a máxima: não julgar, não criticar, não reclamar. É controlar os pensamentos e manter sempre AMP - atitude mental positiva. É sempre aprender, e tentar compreender o outro. Tudo isso certamente vai contribuir para uma super vida, de superação, com propósito e significado. 

Mas se posso dar mais um conselho, também diria que é importante sempre ter em mente o poder do tempo. As pessoas super valorizam a própria percepção do tempo, sem perceber que é necessário construir um resultado ao longo de muitos anos de esforço! Investir 10.000 horas para a maestria!

Eu não sou (nem quero) ser perfeita. Bati muito a cabeça, errei demais e aprendo mais ainda quando erro. As coisas não acontecem de uma hora para a outra. Não existe sorte: existe trabalho. E tudo tem uma hora certa. 

Quando for o momento certo, certamente as oportunidades maravilhosas que você mesmo plantou e construiu para o seu caminho vão surgir, assim como surgiram pra mim. E você vai se superar também! É o meu desejo, de coração!

Como ser vivo


"Onde há flor, aflora luz", Mokiti Okada

Todos os dias eu procuro aprender uma coisa nova, e no sábado, aprendi um monte de coisas. Tivemos o almoço do Dia das Mães da Associação de Ex-Bolsistas do Gaimusho, e uma das atividades era o workshop de Ikebana, com as professoras Kazue e Emiko.

Primeiro, descobri que lisianthus (a flor do amor) é uma ótima substituta para a rosa, porque ela tem um perfume maravilhoso e dura mais do que a rosa. E as cravinas também são lindas! Outra coisa que aprendi é que ikebana é a arte das "flores vivas".

Gente, eu trabalho com cultura japonesa há mais de 20 anos e nunca tinha parado pra pensar no significado profundo da palavra Ikebana. A arte de respeitar as flores e mantê-las vivas, utilizando as técnicas corretas e o equilíbrio.

Extrapolando um pouco da questão da arte em si. Como podemos nos manter vivos? Como podemos manter um relacionamento vivo? São tantas questões lindas e profundas que podemos refletir, a partir de algo tão simples e luminoso, quanto um arranjo floral. A vida é linda e todos os dias são oportunidades de aprender e evoluir!


segunda-feira, maio 14, 2018

Melhores amigos do mundo


Ontem eu fiquei muito triste, porque minha amiga me avisou que o Fred, cachorrinho dela, faleceu. Ele nasceu em 2001 e morreu ontem, dia das Mães, 13/05/2018. O Fred era tudo pra ela. Assim como o Puff, a Mari e a Sasha eram tudo pra mim. Na foto acima, o Puffinho e a Sasha. O Puff era o cachorrinho da minha tia, e tb viveu uns 17 anos, a Sasha e a Mari minhas cachorrinhas. 

Infelizmente, a Sasha e a Mari tiveram mortes trágicas e não viveram tanto, e desde então, não tive mais cachorrinhos, pois a dor de perder um aumiguinho é uma das piores do mundo. Uma coisa que não entendo é como podem existir pessoas que façam mal aos bichos. Isso já demonstra um nivel de psicopatia preocupante na humanidade, você nao concorda?

Lembro que quando estava deprimida, as únicas pessoas que me "entendiam" realmente eram meus cachorrinhos. Sério, a gente consegue fechar os sentimentos e fingir muito bem socialmente, mas meus cachorros me entendiam melhor que eu mesma. Quando chorava, eles vinham e me consolavam, e a vida parecia um pouco "menos pior" (pra ver o quanto eu estava na bad nessa época). Enfim, consegui me desconstruir e me reconstruir, pra viver feliz, tornar-me uma árvore alta e imponente, mas muito da minha saude mental, certamente devo às minhas cachorrinhas. 

A conexão espiritual que a gente constroi com os bichinhos é uma coisa muito louca, se formos pensar bem. Talvez a gente transfira nossos sentimentos e pensamentos para os bichinhos, e eles devolvam isso pra gente em forma de amor incondicional. Aliás, o amor incondicional é algo que precisamos aprender com os animais. Porque o bicho humano não consegue entender algo tão simples, e impõe tantas condições para simplesmente AMAR?

Hoje não posso ter cachorrinhos pois minha batian morre de medo, mas assim que tiver minha casinha, certamente terei cachorrinhos. Com certeza, o Fred foi muito amado e foi um anjo na vida da minha amiga, assim como a família dela foi anjo na vida dele (afinal, era o cachorrinho mais mimado e amado que conheço). Que ele descanse em paz, com a certeza de que foi muito, muito, muito amado.


sexta-feira, maio 11, 2018

Ser uma pessoa interessada é interessante


Amar é fazer uma roda girar. Uma roda que — quando está em movimento — vai deixando tudo mais especial, encantado. Fazer o amor girar é como escrever uma carta ao universo dizendo que está tudo bem, agradecer, pular de alegria. Quem ama se despe de qualquer orgulho, vaidade, soberba. Quem ama sabe o significado da paz de espírito. Nem precisa buscá-la pois pensa-se que o amor é a solução para as noites sem sono, para a tristeza e para os dias cinzas. Ele é o caminho e o resultado final é surpreendente, cheio de possibilidades e tem a cor que você quiser.
Sr. Gentileza

Tenho um amigo que toda vez que me encontra, pede pra eu arranjar uma namorada pra ele. Ele fala pra absolutamente todo mundo sobre esse "problema". Observando isso, eu penso simplesmente: puxa, não vou apresentar ninguém pra ele. Porque uma pessoa carente demais não consegue atrair pessoas legais. Fazendo isso, ele só amplia e reverbera esse sentimento de carência, oque afasta ainda mais as pessoas.

A gente é vibração, somos física quântica, e atraimos as pessoas que tem uma energia parecida com a nossa, e os sentimentos e histórias que precisamos viver. Se você se sente péssimo por estar sozinho (a), certamente não será feliz acompanhado. Porque pra ser feliz num relacionamento, primeiro você tem que ser feliz sozinho.

A melhor maneira de ser feliz é viver em plenitude: a vida é curta demais, ela é muito valiosa. Faça tudo que você sonha e deseja, HOJE. Tipo, AGORA. Demorou! Corra atrás dos seus interesses, dos seus sonhos, viva sem arrependimentos.

Se o meu amigo mudasse a pergunta e me perguntasse: Erika, como eu faço pra ter um relacionamento saudável? Eu diria pra ele, em primeiro lugar, pra ser feliz, ser pleno, ser completo, sozinho. Porque a gente não está em falta. Somos completos! 

Se vier alguém interessado e interessante, pra somar nas nossas vidas e multiplicar felicidade, otimo, estarei feliz. Se não vier, ótimo, também estarei muito feliz. A vida é muito curta pra ficar ao lado de qualquer pessoa que não te merece. E na hora certa, a pessoa certa vai aparecer na sua vida. Então, amigo, fica tranquilo! ❤️❤️❤️

Sobre esse assunto, gosto muito dessa linha de pensamento do Osho. É difícil, mas consegui viver e experienciar isso na minha vida!

Primeiro comece a se divertir sozinho.

Primeiro amar a si mesmo.

Primeiro ser tão autenticamente feliz, que se ninguém vier, não importa; você está cheio, transbordando.

Se ninguém bate à sua porta, está tudo bem.

Você não está em falta.

Você não está esperando por alguém para vir e bater à porta.

Você está em casa.

Se alguém vier, bom, belo.

Se ninguém vier, também é bom e belo.

Em seguida, você pode passar para um relacionamento.

Agora você se move como um mestre, não como um mendigo.

Agora você se move como um imperador, não como um mendigo.

E a pessoa que viveu em sua solidão será sempre atraído para outra pessoa que também está vivendo sua solidão lindamente, porque o mesmo atrai o mesmo.

Quando dois mestres se encontram, mestres do seu ser, de sua solidão, a felicidade não é apenas acrescentada: é multiplicada.

Torna-se um tremendo fenômeno de celebração.

E eles não exploram um ao outro, eles compartilham.

Eles não utilizam o outro.

Em vez disso, pelo contrário, ambos tornam-se UM e desfrutam da existência que os rodeia.

Osho

Bateria acabando, preciso recarregar!


Esses dias preciso ter muita, mas muuuuuuuuuita energia, preciso manter uma atitude mental de dínamo, ser alquimista, pois cabe somente a mim resolver literalmente, dezenas de assuntos todos os dias. Pensa numa pessoa ocupada: agora dobra a carga de trabalho dessa pessoa. Sim, sou eu. Prazer, Erika Yamauti. 😉

Acredito que algo que me desgasta é lidar com os pedidos das pessoas. Nessa época, 100% das ligações, emails e telefonemas são pra pedir alguma coisa, que eu preciso fazer ou providenciar. E o trabalho vai acumulando, a lista de pendências aumenta, e eu fico num ritmo alucinante e pouco saudável.

Outra coisa muito louca é o tempo que perco (deveria investir, mas nesse caso é perda mesmo), em reuniões. Contando as reuniões semanais e o deslocamento, equivale facilmente a um dia de trabalho. A gente não deveria marcar tantas reuniões sem sentido!

Mas na verdade, oque me deixou bem chateada é uma pendência que já consumiu mais de 10 horas só de reunião, e que se prolonga mais do que novela coreana. Eu sou uma pessoa naturalmente positiva, mas até a minha AMP (atitude mental positiva) de vez em quando fica relutante. E hoje e ontem foram dois dias assim, um pouquinho melancólicos. Preciso muito recarregar minha energia positiva, pra aguentar os 70 dias que me separam do Festival do Japão! 

terça-feira, maio 08, 2018

A semente que plantamos


Hoje chorei no almoço por alguém que nem conheci. Estava com a minha amiga almoçando e ela me contou sobre um amigo que foi assassinado anteontem na Bahia, com cinco tiros à queima-roupa.

O motivo? Ele era honesto, corajoso, um bom homem, que não aceitou conviver com coisas erradas. E isso foi motivo mais que suficiente para alguém decidir ceifar a vida de um jovem sonhador e generoso, acabando com uma família. Destruindo também muito sonho e esperança, pois cada pessoa que está nesse mundo tem um motivo para estar aqui. Esse moço não merecia um destino tão cruel.

Não consigo aceitar que o Brasil chegou em uma situação em que a gente fica com medo de defender nossa opinião e fazer as coisas corretas, porque é como se a gente colocasse um holofote sobre nós mesmos, e as pessoas acham que podem nos calar. 

Acredito num futuro melhor, mas é do momento presente que dependemos, para construir essa visão de um mundo melhor. E sinceramente, o momento atual está muito ruim. Tenho sim vontade de ir embora, alguns dias são mais duros do que outros, e hoje foi um dia particularmente ruim. Ainda bem que mesmo os dias ruins tem apenas 24 horas!

Acho que estou naqueles dias menos esperançosos. Sempre procurei acreditar que as pessoas, em essência, são boas. Agora sinceramente, não tenho muita certeza. E isso é muito triste. Porque precisamos acreditar em um mundo melhor, para trabalhar por ele. Plantar boas sementes. Mas o solo parece improdutivo. Pelo menos é meu sentimento triste de hoje. 😢😢😢

segunda-feira, maio 07, 2018

Não gosto que me chamem de japa


Fui numa aula de dança e depois teve uma atividade de integração (vulgo brincadeira idiota) em que as pessoas colavam um papelzinho na testa e precisavam descobrir quem elas eram, fazendo perguntas. Estava com o boy (nikkei), e eles colocaram escrito na testa dele "Naruto", dando risadas altas. Eu simplesmente fiquei POSSESSA, porque achei um desrespeito absurdo, uma sacanagem, preconceito e falta de limites.

Quer dizer que só porque a gente é "japa", então somos Jaspion, Pokemon e Naruto? Eu me pareço com uma gueixa ou faço cosplay? Sinceramente, uma pessoa que nem me conhece não tem nenhum direito de me chamar de JAPA! Porque a gente tem nome, sobrenome, história, sentimentos, e principalmente, nacionalidade brasileira!

Achei uma p%*# sacanagem terem colocado o "Naruto" pra ele, primeiro, porque afinal de contas, um desenho não é uma pessoa (como você vai adivinhar Naruto em 3 perguntas, me fala? kkk), e segundo, porque é uma brincadeira racista, já que coloca a gente como um estereotipo! 

A gente tem que viver num mundo em que colocam rótulos imbecis na gente. Eu não gosto quando falam algo do tipo "a japonesinha chegou para a consulta". Porque não fala "A Erika chegou"? Ou "a moça bonita", ou simplesmente "a consulta das 15h00"? 

Eu só chamo meus amigos de japa quando eu quero brincar com eles! Eu posso brincar com meu amigo falando "abre o olho, japa", porque eu também sou nikkei, meu olho também é fechado hahaha. Afinal, não fico chamando as pessoas de alemao, espanhol, portugues, italiano, coreano, chines na rua. Então porque fazem isso com a gente? E com todos os demais asiáticos, aliás (como bem mostrado no video do Yo Ban Boo). Gente, nao é legal ter preconceito!

O mais engraçado é que naquela noite, eu estava possessa, irritada, queria levantar, ir embora e nunca mais voltar lá. E ele foi totalmente oposto: aceitou a brincadeira numa boa, não ficou bravo e ainda adotou Naruto como apelido no Uber (!!!), dando risadas. Ou seja, cada pessoa, uma interpretação e uma visão do mundo diferente. E o meu personagem? Colocaram pra mim "Maria" (mãe de Deus). Brincadeira sem graça, viu! ;) 

domingo, maio 06, 2018

Eu não sei dançar (mas quero aprender)


Eu tenho uma certeza na vida: sempre vale a pena aprender coisas novas! O conhecimento é algo que só nos agrega e faz um bem enorme pra alma e pra nossa jornada! Desde criança trabalhei o desenvolvimento de vários talentos! Sinceramente, aprendi a fazer muitas coisas, tenho talentos múltiplos em diferentes áreas.

Mas definitivamente, se tem algo que preciso melhorar, é a minha relação com meu corpo. Eu sou MUITO dura! Tenho elasticidade por causa do pilates, mas sou toda travada! Com meu corpinho lindo, consigo alcançar muitas coisas, mas quero melhorar minha consciência corporal, então comecei um curso de salsa. 

Sim, para quem me conhece é algo totalmente fora do comum, aterrorizante até, mas estou buscando coisas que me tirem da zona de conforto. E meudeusdoceu, salsa é uma coisa totalmente louca pra mim. 

A primeira aula foi ontem, no Clube Latino, e gostei muito do professor Fabio e da aula em si. É um intensivo de 3 horas e as minhas pernas doem! Mas foi muito bom, era para novatos, e consegui entender os fundamentos da dança. As duas aulas com total de 6 horas de curso custaram apenas 80,00!

Para uma primeira experiência foi otimo! Vou continuar as aulas e ver no que vai dar essa experiência de dança na minha vida! Gostei demais do ambiente e do clima da escola! Super recomendo! Shall we dance?

sábado, maio 05, 2018

Japão x China no Brasil


Todos os dias procuro aprender alguma coisa nova. A novidade de hoje é que descobri que os imigrantes chineses chegaram aqui no Brasil em 1812, com duzentos (ou quatrocentos?) chineses trazidos de Macau pelo dom João IV, para cultivar chá no Rio de Janeiro.

Ou seja, estamos em 2018 e eles estão aqui nesse País há 206 anos. Então porquê será que as pessoas em geral não sabem disso? Estranhei, pois eu leio muito, e esse fato me surpreendeu bastante. 

Não imaginava que os chineses chegaram no Brasil quase 1 século antes dos japoneses! E qual seria o motivo para que os brasileiros em geral não conheçam essa história? Alguma explicação deve existir! Será que falta uma mobilização da comunidade chinesa?

Somos muito gratos e abençoados, enquanto nikkeis, pelo imenso carinho e respeito que os brasileiros tem pelo Japão e pelos japoneses e seus descendentes. 

Na verdade, em alguns casos sinto que a admiração é até exagerada, pois o Japão não é um país perfeito (afinal não existe perfeição). E mesmo aqui no Brasil, conheço nikkeis que são desonestos, não estudam e não se esforçam. Não correspondemos a um grupo ideal e a um padrão de conduta irrepreensível. Assim como existem pessoas boas, existem as ruins.

Mas em geral, predomina o conceito muito bom do brasileiro em relação aos japoneses. E sentimos-nos muito privilegiados com essa visão positiva sobre o Japão. De qualquer forma, queria mesmo entender: para algo ou alguém ser considerado "melhor", outra coisa ou outra pessoa deve ser considerada "pior"? 

O nosso cérebro prega muitas peças inconscientes. E essa criação de dicotomia, de bandido x mocinho, é uma das mais perniciosas armadilhas da mente humana. Sinto que os brasileiros valorizam mais o Japão do que a China. Eu pessoalmente me interesso pela cultura chinesa, tanto que fiz mandarim e preciso voltar. Gostaria que a sociedade em geral tivesse consciência de que enquanto comunidade nikkei, trabalhamos sim pelo desenvolvimento das entidades e desenvolvimento comunitário. Mas não somos uma comunidade ideal e perfeita. Até porque nao existe a perfeição. 

quarta-feira, maio 02, 2018

Almocinho no Cateto, em Pinheiros

Esses dias fui almoçar com o Gu em Pinheiros, depois de uma sessão de academia que para ele é diária, e para mim, muito rara (hahaha). Então estava morrendo de fome! E fomos no Cateto, em Pinheiros, para um brunch. Achei muito gostoso!

Eu pedi a entrada com queijos, o sanduíche de camarão e a sobremesa de queijo de cabra. O Gu pediu o salmão, o carbonara e os cookies com bacon (algo super estranho mas que funciona). De bebidas, tomamos Mimosa e Bellini. Quer dizer, eu TENTEI tomar o Bellini, que é o espumante com champanhe. Tomei dois goles e fiquei vermelha! Realmente, não sirvo para beber alcool, nem socialmente. Então fiquei na água mesmo, que é mais saudavel.

Gostei demais do atendimento e do ambiente e a comida é bem gostosa, mas a porção nao é muito farta! É bom para mim, que vivo de dieta, mas acho que para outras pessoas, fica faltando um pouquinho de comida. À noite também deve ser bem legal, porque o restaurante é super aconchegante. Recomendamos!










terça-feira, maio 01, 2018

Ser mulher é ser desrespeitada todos os dias

Uma coisa que me deixa muito brava é a falta de respeito que os homens tem com as mulheres. Especialmente no Brasil, é um SACO. Mulher sofre muito. Por muito tempo eu não usava as roupas que eu queria, não fazia as coisas que eu queria, não ia nos lugares que eu queria, pra não me irritar com os babacas representantes do sexo masculino. Agora, eu uso as roupas que eu quero e ando na rua com óculos escuros e ouvindo música alta, que é pra não ficar escutando os idiotas que passam falando gracinha. Algo que sinceramente, só esses primatas acham legal.


Esses dias, estava andando na Liberdade e um babaca me parou na rua e exclamou: linda, linda, MUITO LINDA. E a minha vontade de responder naquela hora: "idiota, idiota, muito idiota". Mas na verdade, nem precisei de palavras, porque a cara de desprezo e nojo que eu fiz foi o suficiente pro babaca ver que não agradou. E em essência, eu entendi que esses estúpidos não fazem isso porque acham que a mulher vai dar bola, ou que mulher gosta de um "elogio". Eles fazem isso para mostrar que eles podem, e que eles tem o poder de falar o que quiserem, quando quiserem, para uma mulher. É (mais) uma forma de dominação machista. E estamos à mercê disso, cotidianamente.

Eu já sofri todo tipo de assédio. Já me tocaram, já me beijaram, já se encostaram em mim, já tocaram no meu corpo sem permissão. Felizmente, não aconteceram aquelas coisas grotescas que a gente vê na TV, mas fora isso, praticamente tudo já aconteceu comigo. E como é diferente você estar num país mais avançado, como no Japão, onde absolutamente NINGUÉM te enche o saco. Na Argentina e no Chile, também não me encheram o saco. Em Gramado e Curitiba, também não, fiquei tranquila e sozinha. Mas no Rio de Janeiro e no Nordeste, pelamordedeus. Dá até preguiça mental de lembrar. 

Sei que esse tipo de atitude machista só vai mudar quando as mulheres se respeitarem também e fazerem valer seus direitos e suas opiniões. O mundo em que eu vivo é muito machista. Já cheguei a escutar que a minha presença nas reuniões é importante para "embelezar" o encontro. Não é pelo meu conhecimento, minha expertise e minha experiência de 20 anos. É porque eu sou lindinha, agradável, kawaii. Então, eu acredito que a mudança deve ser interna, e por isso trabalho bem no meio desse ambiente machista, tentando romper esses estereotipos mentais das pessoas. Uma tarefa divina, que demanda muito esforço. Mas é nossa responsabilidade trabalhar para isso!  Gambarimashou!