Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2018

Como dizer “eu te amo”?

Amor, que sentimento lindo e complicado. No Japão, é muito difícil (praticamente impossível) escutar um “Aishiteru” (eu te amo), mas um “Suki dayo” (gosto de vc) é mais provável, como nessa musica da Hikaru Utada. Lá, a visão de relacionamento, amor e felicidade é muito diferente daqui.
A gente, com nossa cultura nikkei, também importa alguns desses traços em nossa maneira de ver o mundo e as relações. Pra mim é muito fácil falar que eu “amo” sushi, Hello Kitty ou viajar. Mas falar que eu amo alguém...é super difícil (e já foi muito mais).
Em um momento desafiador para nós dois, se eu tivesse falado essas 3 palavrinhas tão lindas para a pessoa mais importante do mundo pra mim, teria mudado minha vida, literalmente. Estaríamos juntos, se eu não tivesse economizado essas palavras pra mais tarde (aliás, quando?).
E se eu pudesse voltar no tempo, voltaria pra esse exato dia e confessaria todo meu sentimento de amor e admiração, antes que o tempo nos distanciasse. O momento mágico infelizment…

Consulta de rotina

Fui ao médico correndo, porque precisava mostrar meus exames e pegar receita de um remédio. Geralmente é para isso que vamos ao médico, correto?
Pois bem, esse médico velhinho ficou admirado me olhando e perguntando minha idade e falando “nooooossa, não parece”. Ele falou isso duas vezes. E não receitou meu remédio. 😒
Geralmente eu sou super calma e paciente, mas nos últimos dias tenho estado bem irritadiça (percebe-se hahahaha). 
Então o médico odissan deve ter reparado na minha cara absolutamente mau humorada e ficou quieto. É cada uma que mulher tem que aguentar! Marquei minha consulta no especialista, e nunca mais volto ness consultório né!

Violência contra a mulher, em uma reunião com mulheres

Primeiramente, como é bom voltar para a vida normal!

Estava em uma reunião que me comprovou porque eu não me sentia bem nesse ambiente. A certa altura, o cara que nunca fez nada digno de nota começou a xingar descontroladamente uma representante do sexo feminino (que não estava presente) de piranha, vagabunda, vadia, falta "daquilo", mal amada, ressentida e incompetente. E outro acrescenta que se tiver chance, partiria para a violência contra ela. O pior, a responsabilidade desse ocorrido é conjunta, de todos, não só da "piranha". Qual é o motivo pelo qual os homens falam da nossa sexualidade, para nos ofenderem? Sim, é essa cultura machista na qual estamos inseridos.

Detalhe, tinha pelo menos mais 10 mulheres na sala. E eu fiquei calada. As outras mulheres também. Faltou sororidade. No meu caso, sabe porque? Por que não adianta perder meu tempo e minha energia com gente babaca, ainda mais em público. Deixa ele ser misógino, raivoso e mal amado lá no canto dele, p…