Pular para o conteúdo principal

Aprende, Erika!

Dia desses eu fiz uma besteira. Estava numa reuniao chatissima e na minha frente tinha um pacote de salgadinhos Fofura. Aqueles bem baratinhos e cheio de aditivos. Eu estava entediada, entao resolvi ficar comendo e era aquele palitinho de bacon, daquele bem amarelinho e porcarito. Na hora eu até pensei: "deve ter tartrazina". Mas eu olhei na lista de ingredientes, e detalhe - nao estava escrito tartrazina. Portanto, confiei e comi. Um montao. hihihihihi...

Ledo engano. No dia seguinte apareceu a mancha no rosto e a dor de cabeça e o mal estar. Aprende, Erika: tudo que é amarelinho tem corante, mesmo quando nao está escrito que tem o corante. Que falta de responsabilidade dos fabricantes, voce nao acha? E se eu fosse daquelas pessoas que tem choque anafilatico quando entra em contato com o alérgeno? Estava no hospital com overdose de salgadinho porcaria! rsrsrsr. isso nao ia pegar bem no meu historico. É melhor ficar longe dessas porcarias.

Ah, hoje de manhã acordei cedinho e como é 6a feira, vespera de carnaval, eu decidi ir passear na feira depois de levar a Jolie pra passear. Adoro feira! Fui na barraca de docinhos e comprei maria mole branquinha, um docinho crocante que me lembra infancia, e biscoitinho de nata. E tambem comi um pastel de bacalhau na barraca da Cris, que na minha opiniao, tem o melhor pastel de feira de SP! Fica na rua Capitao Macedo, na V. Mariana. Muito boa a feira, bem tranquila e com gente educada e feliz!

Olha, meu dia começou todo cor de rosa e feliz, mas me irrita muito aquelas criancinhas que ficam de pedinte na feira te pedindo pra voce pagar um pastel pra elas. Cara, como isso me irrita. Sao uns pirralhinhos e já falam como uns drogadictos, tudo enrolado, nem parece portugues. Porque nao estao na escola? O que fazem na rua? Veja bem, nao é pelo valor do pastel. É pelo gesto simbolico. Porque eu vou incentivar uma criança a ficar pedindo na rua? Se a criança vê esse exemplo e segue pela vida, o que ela vai virar quando crescer? Um adulto pedinte!

Falando em adulto pedinte, aqui em frente a Aliança tinha uma mulher bem digamos...obesa...com suas duas filhas, pedindo esmola. Até aí, situação horrivel, concorda? O pior é que ela estava simplesmente "treinando" as crianças, como se elas fossem papagaio. Mas ela treinava elas a gritarem: "dá moeda, dá moeda, dá moeda!!!!". Assim, como se fosse "currupaco currupaco paco paco". ABSURDO! A minha vontade era dar uns tabefes nessa mulher e chamar o conselho tutelar. Caramba, que mundo é esse em que estamos vivendo?? Fala sério!! O que essas crianças serão no futuro com pais e mães assim? Bjs.

Comentários

  1. Olá Erika. Meu nome é Igor, e te sigo no twitter há um tempinho. Acho as postagens interessantes, mas ainda não tinha lido seu blog. Muito bom também! (o nome é daquela música da Utada Hikaru?)

    Em especial, nesse seu último post, eu infelizmente tenho que compartilhar dessa mesma sensação de indignação ao ver o tipo de sociedade onde vivemos.
    Parece que é cada vez mais normal ver as "mães" ensinando os meninos a pedir e a ficar na rua do que... fazer algo que realmente dê algum futuro para eles.

    Uma vez eu estava voltando para casa com uns amigos, e fomos abordados por uns 3 meninos de rua. Começaram a pedir dinheiro, mas de uma forma muito insistente, e dizendo umas coisas do tipo "Se eu te bater não dá nada, agora se você encostar em mim você vai preso"... Tudo bem dessa forma enrolada que você comentou.. "nem parece português". e nem parece mesmo, é triste essa situação.

    ResponderExcluir
  2. Oi Igor tudo bem? Arigato pelo comentario! Eu tb ando pensando muito nesses assuntos, pq todo trabalho voluntario que eu faço nao vai ajudar essas crianças...o que fazer, nao é mesmo?

    Que bom que voce percebeu a referencia à Utada! =) Eu vi seu blog é super legal, parabens! Sugoi! Gambarimashou!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…