Pular para o conteúdo principal

All we need is love...


Paz. Uma palavra tao bonita, mas na verdade tao dificil de se colocar em pratica. Hoje acordei de manhã e fiquei estupefata com as noticias, e me perguntei: como pode os ataques começarem agora no Rio de Janeiro, poucos dias antes do reveillon? Como podem essas "pessoas" atacarem um onibus cheio de inocentes, colocando fogo no onibus e agindo sem nenhum arrependimento?

Eram 28 passageiros. Idosos, crianças, jovens, trabalhadores, pais e maes de familia. Gente que estava se preparando para o Ano Novo, que tinha planos e sonhos, e que principalmente, nao tinha nada a ver com essa historia (e mesmo que tivesse, nao se justifica tamanha violencia). Quem sobreviveu ficará com traumas terriveis. E as pessoas que nao conseguiram sair do onibus? Ai, me dá uma tristeza pensar nisso...

Será que deixamos a humanidade para trás, em algum lugar longinquo? Existe esperança para o nosso país? Fico pensando sobre como pessoas de outros paises reagiriam a tamanha atrocidade. Se fosse nos EUA, será que os gringos se juntariam pra fazer algo? Ou na Europa?

No Japao, tenho certeza que haveria muita mobilizacao, indignacao do povo, uniao para fazer alguma coisa...politicos implorariam desculpas, pedindo demissao coletiva de joelhos. Nao ficariam acusando uns aos outros, como a tal da Rosinha, o chefe de policia e o futuro governador do Rio. Ou como antes, no caso do PCC, com o Saulo, Lembo, Alckmin e cia., um jogando a batata quente na mao do outro.

Na verdade, creio que uma atrocidade dessas nunca aconteceria no Japao, porque o povo japonês respeita muito mais a sociedade, o espaço comum onde todos vivem, do que a sua propria celula. O respeito absoluto aos direitos de todos gera uma sociedade onde todos sao cobrados, mas onde todos se respeitam porque sabem que tem direitos e deveres. Aqui no Brasil, temos direitos que nao sao respeitados, e nao cumprimos nossos deveres. Cada um defende o seu pedaço. E no fim, todos ficamos cercados pela violencia, pela indignacao, pela consternacao.

O brasileiro, o povo gentil (e submisso) acaba se acostumando com todo mal do mundo. E o pior de tudo, é incrivel, se nao fosse muito triste: meus colegas de profissao contribuem muito para essa apatia do povo. Os jornalistas, a TV, a midia de massa, com seu sensacionalismo barato, anestesiam e entorpecem a mente. Estamos paralisados, nos adaptando ao inadaptavel. Quem ganha com isso? Só tenho uma certeza: quem perde somos todos nós.

Bom, e para falar uma coisa boa, hoje fui jantar no Outback pela primeira vez! Foi muito bom, fui com meu namorado para comemorar aniversario. E essa semana li "O Caçador de Pipas", do Khaled Rosseini e "Amor Insensato", do Junichiro Tanizaki. Bons livros, emocionantes. Peço desculpas pelo post preocupado, e desejo sinceramente que o Ano Novo seja repleto de sucessos, amor e muita paz!! Bjs.

All You Need Is Love
The Beatles (Lennon/McCartney)

Love, love, love, love, love, love, love, love, love.
There's nothing you can do that can't be done.
Nothing you can sing that can't be sung.
Nothing you can say but you can learn how to play the game
It's easy.
There's nothing you can make that can't be made.
No one you can save that can't be saved.
Nothing you can do but you can learn how to be in time
It's easy.
All you need is love, all you need is love,
All you need is love, love, love is all you need.
Love, love, love, love, love, love, love, love, love.
All you need is love, all you need is love,
All you need is love, love, love is all you need.
There's nothing you can know that isn't known.
Nothing you can see that isn't shown.
Nowhere you can be that isn't where you're meant to be.
It's easy.
All you need is love, all you need is love,
All you need is love, love, love is all you need.
All you need is love (all together now)
All you need is love (everybody)
All you need is love, love, love is all you need.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…