sábado, fevereiro 11, 2012

Scent of a woman

Esses dias tive insônia e fiquei trabalhando até umas 2 da manha e ainda nao estava com sono, entao resolvi assistir um dorama. Acabei escolhendo Scent of a Woman.

É um dorama um tanto tragico, de uma moça muuuuuuuuuuuuuuuito azarada que descobre que está com cancer e tem apenas 6 meses de vida. Eu nao sei se vou assistir até o final, porque é um tema um tanto morbido. E porque nao tem o Jung Il Woo hahahahahaha.

Bom, a moça trabalha numa agencia de turismo, é maltratada de todas as formas possiveis e tem muitos problemas, mas vai sobrevivendo a tudo. Ela vai fazer um exame de rotina e o médico descobre o cancer inoperável e incuravel. Sério, é muito muito triste. E ainda é comedia.

Daí ela sai do hospital com essa noticia terrivel, vai trabalhar e ainda é maltratada de novo pelo chefe e pelos colegas, que pisam muito nela. Sério, ela devia largar aquele emprego de m##%¨&S e viver a vida, algo que 99% das pessoas nao fazem, ou tem medo de fazer.

Eu se estivesse na situação dela, lógico, nao pensava 2 vezes e ia pra Okinawa (alias, ela vai pra lá no proximo capitulo, pq pediu demissao do emprego mixuruca). Mas nao sei se vou continuar assistindo, porque a novelinha nao me encantou. Talvez seja a falta do Jung Il Woo. rsrsrsr.

Alias, falando nele, tentei assistir o novo dorama dele, que tem um nome super poetico - The Moon that Embraces the Sun. Oia que nome bonito!! É um dorama historico, entao compreenda que eu fiquei boiando, porque se eu nao consigo acompanhar um dorama historico japones, imagina entao em coreano!! Preciso realmente encontrar alguns doramas juaponeses legais, pra passar essa Kmania.



Voltando ao tema da moça do dorama, uma enfermeira escreveu um livro sobre os maiores arrependimentos de pessoas que tinham doenças terminais. Engraçado como nenhum dos arrependimentos é material. Bjs.
http://f5.folha.uol.com.br/humanos/1046241-veja-os-cinco-maiores-arrependimentos-daqueles-que-estao-para-morrer.shtml


Confira a lista e os comentários da enfermeira:
1. Eu gostaria de ter tido a coragem de viver a vida que eu quisesse, não a vida que os outros esperavam que eu vivesse
"Esse foi o arrependimento mais comum. Quando as pessoas percebem que a vida delas está quase no fim e olham para trás, é fácil ver quantos sonhos não foram realizados. A maioria das pessoas não realizou nem metade dos seus sonhos e têm de morrer sabendo que isso aconteceu por causa de decisões que tomaram, ou não tomaram. A saúde traz uma liberdade que poucos conseguem perceber, até que eles não a têm mais."
2. Eu gostaria de não ter trabalhado tanto
"Eu ouvi isso de todo paciente masculino que eu trabalhei. Eles sentiam falta de ter vivido mais a juventude dos filhos e a companhia de seus parceiros. As mulheres também falaram desse arrependimento, mas como a maioria era de uma geração mais antiga, muitas não tiveram uma carreira. Todos os homens com quem eu conversei se arrependeram de passar tanto tempo de suas vidas no ambiente de trabalho."
3. Eu queria ter tido a coragem de expressar meus sentimentos
"Muitas pessoas suprimiram seus sentimentos para ficar em paz com os outros. Como resultado, eles se acomodaram em uma existência medíocre e nunca se tornaram quem eles realmente eram capazes de ser. Muitos desenvolveram doenças relacionadas à amargura e ressentimento que eles carregavam."
4. Eu gostaria de ter ficado em contato com os meus amigos
"Frequentemente eles não percebiam as vantagens de ter velhos amigos até eles chegarem em suas últimas semanas de vida e não era sempre possível rastrear essas pessoas. Muitos ficaram tão envolvidos em suas próprias vidas que eles deixaram amizades de ouro se perderem ao longo dos anos. Tiveram muito arrependimentos profundos sobre não ter dedicado tempo e esforço às amizades. Todo mundo sente falta dos amigos quando está morrendo."
5. Eu gostaria de ter me permitido ser mais feliz
"Esse é um arrependimento surpreendentemente comum. Muitos só percebem isso no fim da vida que a felicidade é uma escolha. As pessoas ficam presas em antigos hábitos e padrões. O famoso 'conforto' com as coisas que são familiares O medo da mudança fez com que ele fingissem para os outros e para si mesmos que eles estavam contentes quando, no fundo, eles ansiavam por rir de verdade e aproveitar as coisas bobas em suas vidas de novo."

Nenhum comentário:

Postar um comentário