Pular para o conteúdo principal

Remédio antimonotonia

Sabe aqueles dias em que você acorda meio sem energia, com preguiça da vida? Pois então, essa música do Beast cura qualquer forma de depressão, preguiça, monotonia ou mal estar. 


É só escutar algumas vezes e você sai dançando alegremente no meio da rua!! Atualmente é a minha música favorita. Além disso, os meninos sao muito lindinhos Rsrsrsrs...ótimo pra academia e hoje, fez até minha salada do spoleto ficar mais animada!

Alias as pessoa perguntam como eu consigo manter-me magra. O segredo, minha gente, é muito, muito simples: como tudo na vida, exige um pouquinho de sacrifício. Estou na praça de alimentação do shopping, rodeada por inúmeras delicias altamente caloricas e apetitosas. No meio de tanta coisa gostosa, escolhi a saladinha. Simples assim.

Lógico que faço isso de vez em quando, não sou uma fanática por regime, mas vivo de dieta, procuro manter essa alimentacao pra poder comer besteiras de vez em quando. Assim que as pessoas permanecem magras mesmo passando o tempo. vamos combinar que realmente é meio chato...hahaha...mas a longo prazo compensa.

Puxa faz meses que nao posto aqui. Tanta coisa aconteceu! Muita coisa legal e outras não tão legais assim, mas tudo é aprendizado. Tudo faz parte do nosso caminho na vida.

Hoje, tava indo almoçar e um mendigo veio me abordar e falou algo assim: "japonesa, meu, me arranja uns trocados aí. Deus ajuda e te abençoa". Lógico que Deus me ajuda: eu trabalho pra caramba, quando as pessoas estão na balada, na festa, na praia, eu to trabalhando que nem uma maluca. Deus ajuda quem trabalha e se esforça! E nisso eu acredito!

Lógico que eu tenho um bom coracao e ajudo algumas pessoas que eu vejo nas ruas. Geralmente ajudo as pessoas mais idosas e as que eu vejo que estão trabalhando de alguma forma. Ou as que eu sinto que precisam de ajuda  - nem da pra explicar como sinto, mas de vez em quando sinto. Mas uma pessoa bêbada num domingo de manha, com certeza não vai contar com a minha ajuda. Quando estava voltando pra casa encontrei a senhora que mora na rua com os cachorrinhos dela, e deixei um dinheiro com ela pra ajudar. Porque ela precisa mesmo.

Bom, eu aprendi uma lição muito importante para a minha vida nesses últimos meses. Antes, eu oferecia minha ajuda pra um MONTE de gente, antes que a pessoa pedisse, porque eu sou naturalmente generosa, atenciosa e carinhosa. Se via alguém em dificuldades, lá ia eu tentar ajudar e consertar o mundo. Mas aprendi que não sou super heroína, e que antes de gastar minha energia para ajudar alguém, preciso cumprir alguns requisitos antes, pensando nos seguintes pontos:

1) a pessoa pediu ajuda?
2) essa ajuda será boa para a pessoa?
3) essa ajuda será boa para mim?

Se a resposta for SIM para todas as três perguntas, eu posso ajudar. Senão, eu simplesmente não ajudo mais. No caso do mendigo, ele me pediu ajuda, pra mim não faria diferença ajudar, mas para ele, seria ruim se eu ajudasse, porque estimula esse vicio de pedir esmolas. Por isso recusei.

O mais engraçado acho, é quando a pessoa fica na minha frente, parada, esperando eu oferecer ajuda. Porque antes eu oferecia ajuda espontamente. Agora eu fico olhando pra pessoa, com aquela cara de "e aí, tudo bom??" hahahaha...pra ver se ele ou ela se toca.

A Erika de antes perguntaria algo como "precisa de ajuda?". A Erika de hoje só vai ajudar se você pedir ajuda, porque a ajuda que a gente oferece espontaneamente não traz tantos resultados positivos para a pessoa. Cada um precisa aprender a pedir ajuda quando precisa. Portanto se você precisar da minha ajuda pra algo, peça a minha ajuda, porque provavelmente eu não vou oferecer...hihihihihi...Bjs.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…