Pular para o conteúdo principal

O encanto em forma de filme

Estava em Curitiba, tranquila, frente a um dilema (nada) cruel. Ir numa festa ou ir ao cinema? Pra quem me conhece, já deve saber a resposta: filme (sempre). E fui assistir "A Menina que Roubava Livros". É simplesmente encantador, maravilhoso. Amei tudo: atores, roteiro, figurino, contexto histórico.


Conta a vida da Liesel, uma menina órfã e analfabeta, que é adotada por um casal em Munique, em plena Alemanha nazista. É uma historia emocionante. E linda a interpretação luminosa e leve do Geoffrey Rush como Hans, o pai adotivo. Ele dá carinho e amor pra menina, e a ensina a ler. E tem a mãe adotiva dela, a Emily Watson, que se faz de durona mas é um amor. E o menino que interpreta o Rudy, ele é simplesmente a coisa mais fofa desse mundo, e se apaixona pela menina à primeira vista.


A Liesel vai pra escola, começa a ler e se encanta pelos livros. Me identifiquei muito com isso, pq tb sou apaixonada pela literatura. Quando ela entra em uma biblioteca pela primeira vez, o sabor desse momento é retratado no olhar sorridente e cintilante da menina. Quem ama leitura vai entender do que estou falando. Eu adoro bibliotecas e o cheirinho dos livros, folhear as páginas, fico super feliz!! =)


E entao, a perseguição aos judeus começa a se intensificar. E eles abrigam no porão de casa um jovem judeu, o Max, por anos e anos. O filme mostra essa amizade linda que nasce entre o Max e a Liesel, unidos pela solidariedade e pela literatura. E também retrata como era terrível viver na Alemanha de Hitler. E como é amar alguém e morrer sem conseguir falar isso pra pessoa amada (*pausa para muitas lagrimas).

(*** muitas lagrimas depois...)

Sniff...retornando...nossa, como chorei nesse filme, e choro só de lembrar das cenas. Quando o pai faz um dicionário na parede. Quando queimam os livros. Quando o Rudy salva o livro da Liesel. Quando o Max vai embora. Quando eles estão no abrigo antimisseis. Quando o Hans volta da guerra. Quando caem as bombas. O final...ah, o final do filme. Em resumo, ainda bem que meu rímel é a prova d'água...=D


É uma historia de superação e sobrevivência, que fala sobre o que existe de melhor no ser humano. A nossa capacidade de sonhar, acreditar, fazer o bem, inspirar e ser inspirado, e nunca desistir. Entrou para minha lista de filmes da vida. O mais irônico é que ainda não li o livro, porque desconfio um pouco de best sellers. Esse, com toda certeza, vale muito a pena. Bjs.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos na gaiola

Acabei de ler 2 vezes o livro da Mirian Goldenberg. Muitas reflexoes e inspiração para escrever alguns posts. No livro, a Mirian fala do sociólogo Zygmunt Bauman, para quem existem dois valores absolutamente indispensáveis para uma vida feliz: segurança e liberdade. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é o caos.


A questão é, como nós, brasileiros, podemos nos sujeitar a viver sem segurança nem liberdade? Esses dias fiquei em Gramado, que é o destino turístico mais seguro do Brasil. Faz muitos anos que nao sentia essa sensação tão maravilhosa e reconfortante de plena segurança. Muita felicidade.


Poder andar na rua tranqüilamente, livre, de dia, de noite, de madrugada, sabendo que nada de ruim pode te acontecer. Tendo a sensação de que tudo está seguro e tranquilo. Sabendo que voce pode ir e voltar para o hotel a pé, sempre em segurança.


O valor disso é incalculável, e os cidadãos de Gramado se orgulham muito de terem uma cidade segura. Pelo que me falaram, qu…

Circularidades

Passei mais de dois anos sem atualizar esse blog, não sei exatamente o motivo, mas sempre sentia vontade de voltar a postar. Quando leio meus posts antigos, posso perceber claramente o quanto eu cresci e me desenvolvi em todos os sentidos nesses anos de distância. E acho que isso é o mais bacana de mantermos um blog: poder elaborar um registro do que a gente pensa e sente, ao longo de muitos e muitos anos. Tenho até vergonha de alguns posts muito bobinhos, mas no geral, esse blog refletiu como eu penso e como me movimento no mundo.
A vida anda muito completa e feliz para mim em todos os campos: pessoal, profissional, emocional, familiar, espiritual, amoroso, enfim, acredito que consegui alcançar um equilíbrio muito buscado. Continuo trabalhando pra caramba como sempre, mas refletindo comigo mesma, creio que sempre fui assim e sempre serei. Gosto mesmo de trabalhar e de me envolver em diversos projetos ao mesmo tempo! Agradeço ao universo por ter permitido tanta felicidade e coisa boa…

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.
Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 
Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamo…