quinta-feira, fevereiro 13, 2014

O encanto em forma de filme

Estava em Curitiba, tranquila, frente a um dilema (nada) cruel. Ir numa festa ou ir ao cinema? Pra quem me conhece, já deve saber a resposta: filme (sempre). E fui assistir "A Menina que Roubava Livros". É simplesmente encantador, maravilhoso. Amei tudo: atores, roteiro, figurino, contexto histórico.


Conta a vida da Liesel, uma menina órfã e analfabeta, que é adotada por um casal em Munique, em plena Alemanha nazista. É uma historia emocionante. E linda a interpretação luminosa e leve do Geoffrey Rush como Hans, o pai adotivo. Ele dá carinho e amor pra menina, e a ensina a ler. E tem a mãe adotiva dela, a Emily Watson, que se faz de durona mas é um amor. E o menino que interpreta o Rudy, ele é simplesmente a coisa mais fofa desse mundo, e se apaixona pela menina à primeira vista.


A Liesel vai pra escola, começa a ler e se encanta pelos livros. Me identifiquei muito com isso, pq tb sou apaixonada pela literatura. Quando ela entra em uma biblioteca pela primeira vez, o sabor desse momento é retratado no olhar sorridente e cintilante da menina. Quem ama leitura vai entender do que estou falando. Eu adoro bibliotecas e o cheirinho dos livros, folhear as páginas, fico super feliz!! =)


E entao, a perseguição aos judeus começa a se intensificar. E eles abrigam no porão de casa um jovem judeu, o Max, por anos e anos. O filme mostra essa amizade linda que nasce entre o Max e a Liesel, unidos pela solidariedade e pela literatura. E também retrata como era terrível viver na Alemanha de Hitler. E como é amar alguém e morrer sem conseguir falar isso pra pessoa amada (*pausa para muitas lagrimas).

(*** muitas lagrimas depois...)

Sniff...retornando...nossa, como chorei nesse filme, e choro só de lembrar das cenas. Quando o pai faz um dicionário na parede. Quando queimam os livros. Quando o Rudy salva o livro da Liesel. Quando o Max vai embora. Quando eles estão no abrigo antimisseis. Quando o Hans volta da guerra. Quando caem as bombas. O final...ah, o final do filme. Em resumo, ainda bem que meu rímel é a prova d'água...=D


É uma historia de superação e sobrevivência, que fala sobre o que existe de melhor no ser humano. A nossa capacidade de sonhar, acreditar, fazer o bem, inspirar e ser inspirado, e nunca desistir. Entrou para minha lista de filmes da vida. O mais irônico é que ainda não li o livro, porque desconfio um pouco de best sellers. Esse, com toda certeza, vale muito a pena. Bjs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário