sexta-feira, fevereiro 08, 2008

Tour pelo BR


Ontem a noite, depois de umas 4 reunioes, tive a honra de conhecer no Gombê alguns atores do Grupo Teatral 1980, que começa hoje uma viagem de onibus por 10 cidades brasileiras. O mais bacana é que eu já assisti uma peça deles (Ah Marcha Toquio), que foi a peça mais emocionante da minha vida, e eu reconheci alguns atores que vieram naquela temporada!!

Deu vontade até de pedir autografo pra todos, que foram muito simpaticos, até cantaram uma musiquinha de Erika (mas que eu acho que era Eriko no original hahahaha). Viajar 1 mes de onibus pelo BR todo deve ser uma emoçao e tanto. Pena que nao posso ir junto...hahahaha...ah, já estou enxergando novamente, de lentes, como é bom nao usar oculos!! Quer dizer, nao ser obrigada a usar o oculos, sabe...=)

E eu tenho milhares de assuntos pra resolver, nas minhas obrigacoes de jornalista, assessora de imprensa, e anjo da guarda de plantao. Mas sabe que estou aguentando firme? No fim, tudo dá certo. Vamos lá que tenho mais uma bomba pra resolver. Beijos.

Sobre a rosa azul, segue o texto.

Noticia do G1
A empresa de bebidas japonesa Suntory resolveu investir no controverso ramo dos vegetais transgênicos. E, em vez da polêmica soja que produz seu próprio pesticida, a companhia criou uma rosa geneticamente modificada cuja cor é azul. O plano é começar a vender a curiosa flor a partir do ano que vem. O gene ligado à cor azul foi "importado" de uma variedade de violeta.

quinta-feira, fevereiro 07, 2008

Maria dos Anjos

Tem dias que eu acho que realmente nao sou igual as outras pessoas. Na sexta, ajudei minha cunhada, levando ela pra ver umas escolinhas, isso tudo de oculos, porque estou de castigo, sem poder usar minhas lentes. Ai ai.

E na volta, tinha uma senhora catando lixo na minha rua, e nao sei porque, mas senti que precisava conversar com ela. Fui lá rapidinho, porque com intuicao nao se brinca. Descobri que o nome dela é Maria dos Anjos, que ela sustenta a familia catando lixo, e que passa aqui no bairro toda semana. Agora, os reciclaveis de casa vao pra ela.

Até porque ficava muito ridiculo eu descendo toda a rua Tamandaré com lixo na mao, pra deixar as sacolinhas de lixo nos cestos de reciclagem do Bunkyo. Ai ai, falando em Bunkyo, trabalhei o carnaval todo, nada de batucada pra mim. E tem certas coisas que nao entendo, parece maluquice o que anda acontecendo, nao dá pra entender. Mas vamos e vivemos. Bjs.