quarta-feira, janeiro 30, 2013

Mais feliz com certeza!

Estou aqui escutando o ressoar dos violinos e do cello em um concerto de câmara super seletivo, para o qual apenas poucos felizardos foram convidados. Eu fui convidada ontem a noite, ou seja, de ultima hora...mas provavelmente nao foi porque eu sou uma pessoa especialmente selecionada. Foi mais porque nao tinha ninguém para tirar fotos. Hahahahaha...essa é a dura vida de jornalista!

Gosto de ouvir música clássica (alias, como se isso combinasse muuuuuito com Super Junior e SNSD), mas meu conhecimento de música erudita é praticamente uma nulidade. Eu devia me esforçar e estudar um pouquinho mais né. Porque prefiro um milhão de vezes escutar Vivaldi e Bach do que as coisas que tocam por aí, por ex, sertanejo universitário (iecaaaa odeeeeeeeio!) Ia ser até engraçado né, eu ficar escutando minhas musiquinhas da Kara e depois misturar com Villa-Lobos. #ecletica.

Tem coisas da vida que nao entendo. A única certeza que podemos ter nesse mundo é a impermanencia. Algumas vezes queremos uma coisa, nos esforçamos e nos dedicamos para isso. E depois percebemos que nao era bem isso que queríamos. Eu era assim. hoje sei que um dos segredos para ter sucesso na vida é definir bem o que queremos. Justamente aí está um dos segredos para a felicidade! E também valorizar as coisas simples.

Nesse momento, estou feliz aqui trabalhando, sei que muitas pessoas dariam tudo pelas oportunidades que eu recebo na vida, entao só cabe a mim valorizar e agradecer a Deus por tudo que recebo - alias, que nao é pouco. Estou aqui cobrindo o evento, ouvindo musicas lindas executadas por verdadeiros artistas, e curtindo esse momento de puro encanto, porque essas musicas transportam a gente pra um outro mundo, um mundo dos sonhos, da leveza, da delicadeza. E até tiraram uma foto minha (milagre hahaha) com o dr. J, que é um velhinho maravilhoso. Adoro ele!

Dr. J, um velhinho super do bem!
Hoje falaram pra mim algo assim: "puxa, Erika, cada dia que te vejo vc está mais bonita!" (Oooooohhhh tô podendo kkkkk....) pior que olhando as minhas fotos, eu sinto que estou mais bonita mesmo? Eu sempre me cuidei, mas acho que o diferencial que transparece mais exteriormente para as pessoas é a minha felicidade, ou melhor, é a amplitude de felicidade que estou alcançando diariamente (com muito esforço). A luz e a energia que vem de dentro pra fora! O brilho nos olhos, o sorriso sincero, a paixao pelas coisas. Eu realmente vivo isso no meu cotidiano!! Sou feliz (eba)!!

Antes eu achava que felicidade estava no trabalho, na realização profissional. Hoje eu sei que ser feliz é ter uma vida equilibrada em todos os aspectos. Valorizo o equilíbrio na minha vida. Continuo trabalhando como maluca, reconheço isso, mas hoje eu sei ser feliz tambem fora do trabalho. E por isso (creio), estou mais bonita, mais interessante, mais viva e (porque nao?) mais encantadora kkkk...Bjs!

terça-feira, janeiro 29, 2013

Tá certo? (Ou errado?)

O velhinho na reuniao tem um cacoete muuuuuuuuuito chato. Ele fica falando "tá certo" no final de cada sentença. "O problema é esse, tá certo? Nesse tipo de projeto, tá certo? O ativo, tá certo?". Que coisa mais chata! Enche o saco escutar esse velhinho!

Eu sei que minha pronuncia nao é perfeita, que tenho voz de menininha, que de vez em quando (ou seja sempre) eu puxo o "rrrrrrrr" mas pelo menos nao tenho esse tipo de vicio de linguagem, que atrapalha bastante na hora de fazer uma apresentação.

Dai no final da reuniao os dois moços estao tomando café lá fora e me perguntam: "Erika, diz, como voce agüenta????" Hahahahaha...a minha resposta é simples: atitude mental positiva. E eles: "bota atitude mental positiva nisso!" Kkkkkk....

O segredo é manter a calma, e eu sempre mantenho a minha. Em dias normais, NADA me abala. Nada mesmo. Eu vou sempre manter meu equilibrio. Logico que isso fica mais dificil nos dias em que estou com pensamentos de baixa freqüência (semana passada por exemplo, nao estava numa boa vibe. Agora estou super bem de novo!)

Tudo na vida é uma questão de escolha. Eu posso escolher ter pensamentos de baixa freqüência, ou seja, de desanimo, magoa, tristeza, ou entao pensamentos de alta freqüência, como entusiasmo, alegria, felicidade, garra. Eu posso escolher entre manter a calma em todas as situações, ou perder a calma por qualquer bobagem. Eu posso escolher ir atrás e acreditar em algo, ou simplesmente desapegar.

O que importa na vida sao as escolhas que fazemos. Eu sei que os velhinhos são um porre, mas tem certas coisas que eu quero fazer e nao tenho credibilidade/porte para fazer sozinha, entao para isso precisamos de uma entidade para ficar na liderança do projeto. Quando conseguirmos realizar, será um evento que trará muita alegria e felicidade para as pessoas, divulgando a cultura japonesa. Quer coisa melhor do que lutar para realizar nossos sonhos? Eu nao conheço nada melhor do que esse sentimento de realização. Bjs!

segunda-feira, janeiro 28, 2013

Tô pink!!!

Gente, o que é isso! Eu abro meu youtube só pra checar as novidades dos canais do SNSD e do SuperJunior (hahaha) e encontro essa recomendação do video do Toshinori Yonekura!! O que é isso?? Gente, nossa, que vergonha alheia!!

O video é absolutamente inacreditável!! O japa aparece fazendo umas poses, olhares, caras e bocas teoricamente "sexy", mas que são muuuuuuuuuuuuuito forçadas e no final, o video simplesmente fica ridiculo e totalmente gay!!

Mas é um gay esteticamente old style, não o gay-chic-hipster que está na moda hoje. Tem umas cenas ridiculas em que ele fica olhando para o próprio biceps, outras que fica olhando o nada - detalhe, ele está...."pelado" (???), a moça e o moço passando a mão nele (como assim???). Ou seja, tudo muito besta e forçado demais!! Nao precisava de tudo isso junto!! Ou uma coisa ou outra né?? =)

Pra quem me conhece, sabe que eu não tenho nenhum problema com gays, admiro quem se assume, nao tenho absolutamente nada contra, simpatizo completamente com a causa gay e vou apoiar sempre. E admiro o cantor por ter coragem de fazer um vídeo tao...hummm...despudorado...como esse, em uma sociedade quadradinha como o Japão.

Só que em termos estéticos, o clipe é ridiculo demais!! Que escolha artística mais estranha!! Não dá pra entender como tiveram uma ideia tao besta pro clipe, juntando todos esses "elementos" em uma produção só, ficou simplesmente ridiculo. Assisti o clipe e fiquei rindo sozinha!! Assisti mais uma vez e novas risadas. Desconfio que essa nao era a intenção original dos produtores né??



Olha como ele parece uma pessoa de verdade (e nao um gogo boy de 5a categoria) no clipe abaixo:



E por fim, uma aula de como ser sexy (sem precisar tirar a roupa) no clipe das meninas do Kara. Caso encerrado. hahahaha. Bjs!



domingo, janeiro 27, 2013

Regras para ajudar os outros...

A vida tem dessas coisas. Hoje conversando com a P, descobri que eu NÃO devia ter ajudado os dois bêbados na balada! Que eu devia é ter deixado ambos curtirem sua fossa e bebedeira e deixado eles sozinhos e me divertido. Por quê? Pelos 3 motivos básicos para se ajudar alguem, que eu achei que tinha aprendido (infelizmente, parece que ainda nao)...

1) a pessoa pediu ajuda? R: nao
2) a ajuda foi boa para mim? R: nao
3) a ajuda foi boa para a pessoa? R: sim


Ou seja, são 2 não e 1 sim, oque demonstra que eu não devia ter ajudado, que não era meu problema, que eu intervi na ordem natural das coisas novamente, nessa minha arrogância sobrehumana. Os bebadinhos não estragaram a minha noite, eu mesma escolhi estragar a minha diversão e cumpri esse papel à perfeição, aliás como tudo que eu faço kkkk....se é pra fazer as coisas, eu faço perfeitamente, com toda pompa e circunstância!

Dai eu perguntei pra P. "Mas se a pessoa está caída no chão, lá na sarjeta, toda zoada, eu nao devo ajudar?" E ela falou. "A pessoa pediu ajuda? Ela falou 'Erika, me ajuda a levantar?'. Se nao pediu, não é pra ajudar, é pra deixar a pessoa lá no chão! Ela não é seu problema, cada um carrega seu próprio problema!". Palavras da P. Juro!

Nossa, isso foi um belo ensinamento/insight pra mim, porque eu gosto de cuidar dos outros (virginianos em geral se sentem bem quando sao úteis ao mundo). Mas eu não tinha pensado por esse lado, que quando eu interfiro em uma situação, estou mudando vários caminhos possíveis, estou mexendo no futuro da pessoa, estou alterando a realidade futura!!

Pq a pessoa tem plena consciência de que não pode sair por aí chapando o coco. Se ela tomou todas, então tem que ter consciência de que vai ficar bebaço e depois terá uma ressaca (fisica e moral) daquelas. Nao cabe a mim impedir nada, eu preciso me convencer de uma vez por todas que não sou super heroína, protetora dos fracos e oprimidos e/ou defensora da humanidade contra as mazelas do mundo. Não é desse jeito que vou mudar o mundo!

Se a pessoa bebeu e ia dirigir, se batesse o carro, se fosse presa na lei seca, a responsabilidade não seria minha, é dela mesma, que bebeu todas, escolheu beber, e sabe dos efeitos da bebida. Eu não tinha nada a ver com aquilo, não devia ter me envolvido!! Se a pessoa misturou todos os tipos de pinga, ficou deprê, chororô e dando vexame, eu devia ter deixado a pessoa curtir essa fossa, e não tentar fazer ela se sentir melhor. Porque a deprê era importante naquele momento pra ela!! E eu não percebi isso!!

Eu devia ter deixado a pessoa viver o que era destino dela (no caso, passar mal sozinha, chorar, gritar, dar piti, brigar, etc) porque era uma lição importante pra ela, que eu não deixei acontecer com a minha interferência no destino dela. Por minha própria incapacidade de enxergar meus limites de ação no mundo, minha arrogância natural de achar que eu posso consertar as coisas. Sim, porque as pessoas que acham que realizam muita coisa, como eu, acabam invertendo papeis e atuando além da conta. Eu devia ter deixado os bebadinhos em paz e ter ido curtir minha night. rsrsrrsrsrs....

Pelo menos dessa vez aprendi (acho) e vou poder curtir mais minhas baladas sem ser psicóloga, enfermeira ou assistente social. E só vou ajudar alguem que nao peça ajuda se for uma emergência na minha frente, tipo em casos de acidente de carro!! Porque quando a gente ajuda quem não pede nossa ajuda, o que acontece é que nossa ajuda não é valorizada, e é até mesmo criticada ou esquecida! Acredita nisso? Pensa nisso!

P. agora que eu vivi esses dois casos de perto, eu creio que compreendi a mensagem plenamente. O que é dos outros é dos outros, eu nao posso mais carregar o peso dos outros. É que na minha vida toda eu carreguei tanto peso, que hoje, me sentindo mais leve, acabo pegando o peso dos outros emprestado de vez em quando. Mas nao vou mais fazer isso. Na proxima balada ou passeio, se ver um bêbado vindo em minha direcao, eu vou correndo pro outro lado! Kkkk...

Ah sobre outros assuntos aleatórios, uma pessoa que foi muito importante pra mim há tanto e tanto tempo atrás me adicionou no Facebook, do nada. Foi engraçado porque nao pensava nessa pessoa há anos e anos, precisei pensar "quem é?", afinal, nessa epoca eu era uma outra Erika, uma outra vida, eu era taaaaaaao boba (continuo sendo aliás hahaha). Achei interessante justo nesse dia de conversa com a P, pensar no passado, aceitar o que já foi, e fazer o melhor futuro com a melhor Erika que eu posso ser - de preferencia sem bêbados no meu caminho. Beijos!

sábado, janeiro 26, 2013

Show do Yuubi e Kiraku

"Recordo você. que a mim deu um sonho, quando fiquei perdida sem saber para onde ir. Quando fecho os olhos, escuto uma voz saudosa. Ah, Primavera. Ah, meu querido...retorne logo para mim" (Programa do show Obrigado Brasil - Haruyo Koi)

No domingo fui trabalhar, mas pra falar a verdade, nem se pode dizer que aquilo foi trabalho, porque eu curti tudo, MUITO! A gente foi gravar uma matéria para a TV Nikkey sobre o show "Obrigado, Brasil", do grupo de dança japonesa Yuubi e Taiko Kiraku.

Eu posso afirmar que nunca fui uma entusiasta da dança clássica japonesa. Acho bonito, mas nao é algo que move meu coração como karaokê e taiko. Pois então, esse show superou todas as minhas expectativas, porque mostrou tantas nuances, emoções e surpresas, que me deixou totalmente encantada!! O show teve romance, drama, comédia, tudo junto, numa releitura moderna, porque tinha J-pop, taiko, enka, e até efeitos de LED.

O carisma dos artistas (todos) é incrivel, e o Kazuma Hibiki, nossa, que espetáculo! Ele consegue conquistar a plateia toda com um único olhar. É incrivel, ele dominou 1200 pessoas com um simples sorriso. Todos ficaram encantados com ele, acompanhando cada gesto com atenção. O mais engraçado é quando ele acaba de se apresentar na dança, que é toda feminina, sensual, e daí fala com o público e com aquela voz grooooosssaaaaa....hahahahaha....é tão perfeito que eu tinha esquecido que ele é homem!! Ele consegue a proeza de ser mais feminino do que eu!! Queria ter esse carisma, dai ninguem me segurava kkkk!!

Bom, a gente foi pra gravar pra TV eu não tirei fotos, mas dá para ver as fotos do show clicando aqui:
http://madeinjapan.uol.com.br/2013/01/22/fotos-do-show-obrigado-brasil/.

A matéria da TV sai na semana que vem. Amei o show e espero que eles realizem de novo (demoraram anos e anos para conseguir produzir). É o tipo de espetáculo que ficará pra sempre na memória. Bjs!

sexta-feira, janeiro 25, 2013

Ser workaholic é...

É numa sexta-feira à noite ficar atualizando as paginas do Facebook dos nossos clientes. É enviar email marketing (palavrinha bonita pra "spam" rsrsrsrs) de madrugada. É ficar conversando à meia-noite com o moço que está de plantão na empresa de transporte, porque esqueceram de mandar o motorista para um passageiro. É mandar fotos pra uma matéria que eu tinha esquecido. É traduzir matérias em japonês (tô chique hein!!), tudo isso em pleno feriado, à noite.

Ou seja, eu tenho plena consciência de que estou ultrapassando os limites humanos de trabalho (hahahaha, faz tempo). E nao tenho nem como me justificar dizendo que eu sou "worklover", porque ultimamente, não estou completamente "in love" com o trabalho, de tanto cansaço mental. Pior é que o trabalho é necessário, e eu preciso estar sempre presente acompanhando, para garantir que tudo esteja certo. Se eu não estou lá, o cliente reclama!

O que eu posso fazer é escolher melhor os clientes, porque existem aqueles que dão mais trabalho, e outros que exigem menos dos meus recursos limitados de tempo e paciência...e olha que ultimamente tenho melhorado, por exemplo, hoje fui no parque "correr" (hahaha, mais pra caminhar...) e fui no shopping pra jantar. Antes eu nao faria isso, ficaria o dia todo enfurnada dentro de casa até terminar o trabalho.

É que eu descobri é uma verdade pura e simples. Quanto mais eu trabalho, mais trabalho eu conquisto!! rsrsrsrs...então ele fica lá, bonitinho, aguardando quietinho por mim, enquanto tento manter uma vida fora do shigoto. Depois eu volto, ele fica lá abanando o rabinho, olhando com cara de coitado pra mim, e eu retorno ao trabalho. Essa é a vida dura de uma empreendedora que está na batalha!! Bjs.

quinta-feira, janeiro 24, 2013

Assisti "A Viagem"

Por mais que a critica tenha falado mal do filme, eu precisava assistir "A Viagem", com o Tom Hanks e a Halle Berry entre outros, porque eu realmente acredito que cada ato de bondade, e cada ato de maldade, repercute na nossa vida e na vida dos outros, hoje, amanhã e sempre.

Justamente por acreditar nisso, eu procuro viver uma vida de acordo com meus principios, sem causar mal e tentando ajudar quem aparece no meu caminho. E o filme foi interessante para mim, fez sentido pessoalmente. Bom, como meu amigo falou que era muito longo, eu fui sozinha mesmo, e gostei!!

Os mesmos atores aparecem em épocas, personagens e histórias diferentes. Confesso que é meio dificil de acompanhar, porque vai e volta, volta e vai e assim por diante (3 horas né gente!!). A parte do velhinho maluco é engraçada. A trama da NeoSeoul achei bem elaborada, questionando vários conceitos da sociedade atual, e a história de amor da musica Cloud Atlas, do Sixmith e do Frobisher, nossa, achei lindo!!

Mas a parte que mais gostei foi a história em que o moço está doente, num navio voltando pra casa, e o médico que devia salvá-lo, está tentando matá-lo para ficar com todo o dinheiro. Um escravo fugitivo salva o moço, e ele decide largar o contrato da empresa de escravos, e se unir à causa abolicionista.

O dono da empresa, que aliás é o sogro dele, questiona: "pra quê fazer isso, voce vai ser só uma gota no oceano, nao vai fazer diferença, vai desperdiçar sua vida!!". E ele responde. "o oceano é formado por milhões de gotas, e cada gota faz diferença". Eu também acredito nisso. O bem que eu tento fazer é uma gotinha no oceano, e juntando com todas as demais gotinhas, pode fazer a diferença no final. Nisso eu acredito firmemente. Sei que (ainda) faço pouco, mas sou parte desse oceano.

No final do filme, eles colocam uma legenda tipo "não vá embora ainda, espere para ver quem é quem!", porque com tantos efeitos de maquiagem, realmente fica dificil diferenciar os atores!! Por exemplo, eu nao tinha percebido que o Hugh Grant era o chefão dos canibais horrorosos. E que a Halle Berry era o medico que tira a coleira da Soonmi. Em resumo, é um filme que fez sentido pra mim, na minha busca pessoal. Bjs.

quarta-feira, janeiro 23, 2013

Só nas baladas!!

Nas ultimas semanas tenho andado muito ocupada frequentando baladas e festas - sim, voce leu direito rsrsrsr...eu, que NUNCA fui de frequentar esse ambiente, resolvi testar esse caminho pouco convencional na minha vida por dois motivos principais.

Primeiro motivo: para sair da minha zona de conforto (com certeza, porque balada - ainda mais balada japa - é algo beeeeeeeeem fora da minha zona de conforto tradicional). Segundo: para me divertir.

Porque todos os dias o meu horóscopo fala que eu devo "trabalhar menos e me divertir mais". Minha medica tambem falou isso, que eu preciso desligar um pouco do trabalho. Semana passada inclusive tive uma virose e fui parar no hospital. Entao, escutei os conselhos né. Vamos relaxar e nos divertir. Fui em TODAS as festas possiveis. Bom, eu tentei, mas nao me diverti muito nao!! hahahahaha...

A primeira balada foi...boa. Me diverti, porque gosto de escutar e sentir a musica, ver o movimento na pista, então foi divertido. Já na segunda balada, tive que socorrer uma pessoa que bebeu em demasia, por sofrimento emocional extremo, causado por paixonite aguda. E na terceira balada, tive que socorrer outra pessoa bêbada, amigo(a).E me ferrei muuuuuuito bonito por causa disso (detalhes impublicaveis no blog kkkk, aos curiosos mande msg no face que conto mais hahaha). =)

Entao acredito que a minha fase de baladas japas está oficialmente acabada por enquanto. Por que eu nao combino com um ambiente saturado de álcool, cigarro e pegação. Eu não fumo, não bebo e não vou pra balada pra ficar com ninguem...oque eu gosto é sentir a vibração da música, assim como eu gosto de ir em show de taiko pra sentir a vibração do taiko no coração, sabe??

Meu amigo falou que as pessoas bebem na balada "pra tomar coragem". Puxa, eu sinto compaixão por alguem que precisa beber pra tomar coragem pra falar com alguem ou fazer algo. Eu tenho coragem pra fazer qualquer coisa que eu queira, e nao preciso de uma gota de alcool pra encarar as coisas de frente. Eu crio e mantenho coragem por mim mesma, não preciso de artificios para tanto.

Mas feliz ou infelizmente, eu não consigo ver uma pessoa que eu conheço caida no chão, se arrastando na balada, passando mal, ou querendo dirigir bebado(a), porque eu tenho meu senso de responsabilidade pessoal. Mesmo por alguém que eu nao conheça, eu ajudaria. Então vamos combinar que ir pra balada pra atuar como assistente social, psicologa ou enfermeira nao tá com nada né!! Por isso, NO MORE baladas for me! Bjs.

quinta-feira, janeiro 10, 2013

Detona Ralph!!

"Para ser um mocinho, você nao precisa de medalhas." Fui assistir o "Detona Ralph" e gostei muito do filme (provavelmente, quem gosta de video games deve gostar mais ainda kkkkk). O roteiro é bem legal e alucinadamente criativo, cheio de referências ao mundo dos games.

No filme, os personagens dos video games convivem em um mundo à parte, dentro de um fliperama. Ralph está cansado de ser o vilão e morar sozinho no lixão há 30 anos, entao ele busca uma medalha para ser reconhecido pelos seus amigos como um dos "mocinhos", virando o jogo.

Além de entretenimento puro, colorido e divertido, o filme tb serve para reflexão. O Ralph sai nessa busca pela medalha, supera vários desafios, e no fim, questiona qual é o valor de uma medalha, e se existe tal valor, qual medalha vale mais (ou menos). Porque às vezes, saimos em busca de medalhas que tem um significado vazio. Lutamos muito por nada. Por exemplo, eu nao busco medalhas, nao preciso de cargos, nao busco aparecer no jornal ou ser a pessoa mais conhecida da "colonia" (hahaha), nao quero que as pessoas saibam quem eu ajudo, ajudei ou ajudarei. Simplesmente faço o que eu acho certo. Tento fazer o bem do meu jeito.

É isso que o Ralph descobre no filme. Que pra ser um mocinho, voce nao precisa de medalhas. Pra gente estar do lado do bem da força, basta fazer o bem. O bem está aí, nas atitudes, nos pequenos atos do dia-a-dia, nas gentilezas anonimas, nas palavras amigas. Outro tema que o filme discute é a nossa identidade. Ele é vilão mas quer ser mocinho. Por quê? Porque a gente "etiqueta" as pessoas, julga e critica? No final ele reconhece que seu papel é importante, mesmo que nao seja o de mocinho. E enxerga que todos nós temos um papel a desempenhar na história. Aceitar-se a si mesmo é o primeiro passo pra ser muito feliz na vida. Bjs!

quarta-feira, janeiro 09, 2013

Aprendendo a dizer não

"Foco é dizer não" (Steve Jobs)

A vida é um aprendizado diário e sempre foi muuuuuuuuuito dificil pra mim (uma pessoa que gosta de agradar TODO mundo - haha), saber como recusar algo e dizer um simples "não".

Eu tinha...humm....medo...de desapontar, desagradar, ou mesmo desanimar as pessoas. Queria ser uma pessoa praticamente perfeita (hahaha como se isso fosse possivel!!). Daí acabava aceitando coisas que nao queria ou nao pretendia, isso em todos os campos da minha vida...

O que eu percebi na minha reflexão pessoal é que nem todas as lutas são minhas. Eu acabava aceitando desafios e expectativas que são dos outros, nao meus. Aprendi que nem sempre eu preciso entrar em campo, até porque isso cansa (e como cansa!!). Agora, eu procuro fazer as coisas do meu jeito e nao do jeito dos outros, afinal, essa é a minha responsabilidade. Ser uma pessoa cada vez melhor em todos os sentidos, ajudar os outros mas me fortalecendo antes.

Por isso, estou aprendendo a dizer "não". Quem convive comigo deve estar até se assustando, porque tem algumas coisas da minha vida que eu sempre disse sim (a contragosto), e ultimamente já consigo recusar. E vou melhorar ainda mais. Por exemplo, nao me critico mais. Nao me cobro mais. Nao almejo mais a perfeição, apenas busco ser a melhor pessoa que eu posso ser. Entre outros aprendizados super importantes! Segue um texto da Mirian Goldenberg sobre o assunto, que achei legal.


Na minha pesquisa "A cultura da felicidade", 32% das mulheres dizem que não são felizes por serem perfeccionistas, insatisfeitas, críticas, ocupadas, preocupadas, estressadas, inseguras etc. No entanto, 60% afirma que quer ser mais feliz, leve e divertida.Elas deram inúmeras dicas para a conquista da felicidade, tais como:

não ser tão crítica com os outros e consigo mesma;
não se preocupar com a autoimagem;
não se cobrar tanto;
não aumentar pequenos problemas;
não se preocupar com a opinião e a aprovação dos outros;
não se levar tão a sério;
não querer ser perfeita;
não ter vergonha do próprio corpo;
não se comparar com mulheres mais jovens, magras e gostosas;
não se olhar muito no espelho;
não conviver com pessoas negativas, agressivas e invejosas;
não fingir orgasmos;
não desperdiçar o tempo com pessoas desagradáveis e fofoqueiras;
não ir a eventos sociais por obrigação;
não responder a todas as demandas de amigos, familiares ou colegas de trabalho;
não dividir o prato só para ser gentil;
não atender aqueles que só sabem pedir ou reclamar (e nunca dão nada em troca);
não emprestar dinheiro nem para o melhor amigo;
não pedir dinheiro emprestado nem se for para o melhor amigo;
não aceitar encomendas quando viajar;
não pedir nada para os que vão viajar;
não ser fiador de amigos ou parentes;
não mendigar amor, atenção e reconhecimento;
não se fazer de vítima;
não achar que é o centro do mundo;
não deixar para amanhã o que pode resolver hoje;
não ter medo de dizer não.

Uma professora de 65 anos disse que descobriu o segredo da felicidade. "Li que o lema da Hillary Clinton é 'foda-se'. Hoje, sou como ela. Não me interessa a opinião dos outros, se gostam ou não de mim e se fazem fofocas. Aprendi a ligar o botão do 'foda-se', passei a dizer não e minha vida ficou muito mais leve."

Ela citou uma frase da atriz Marília Pêra, de 70 anos, para exemplificar a importância de dizer não para ser mais feliz. "A Marília Pêra recusou um projeto importante e uma jovem atriz disse: 'Lógico que você pode dizer não, você é a Marília Pêra!'. Ela respondeu: 'É exatamente o contrário. Eu só sou a Marília Pêra porque aprendi a dizer não'."

Será que é tão simples assim o segredo da felicidade?

Mirian Goldenberg é antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É autora de "Coroas: corpo, envelhecimento, casamento e infidelidade" (Ed. Record). Escreve às terças, a cada quatro semanas, na versão impressa de "Equilíbrio".

sábado, janeiro 05, 2013

Erika "constelando"

O que é uma constelação pra você? Pra mim, assim como provavelmente para você, constelação eram grupos de estrelas, que são estudadas por astrônomos e representadas por figuras, pessoas, objetos, formas, animais. Esse era o conceito que eu fazia de constelação.

Pois bem, desde o inicio do meu trabalho de desenvolvimento pessoal, a P falava que eu precisava fazer "constelação". Segundo ela, "constelar" nao é alcançar estrelas: é entender os nossos relacionamentos profundamente, num nível que não conseguimos alcançar sozinhos. Dá pra saber mais aqui, na Wikipedia (mas o texto é meio confuso...).

Quando ela falava sobre isso, admito que a minha mente (bem) racional achava que tudo isso era uma bobagem mistica, "era de Aquario" demais pro meu gosto. Mas acabei me rendendo à ideia e fiz a tal da "constelação" faz pouco tempo. Ressalto que eu nao estava preparada e nao fazia nenhuma ideia de que tipo de terapia é essa. E sou (bem) desconfiada como toda virginiana. Mas sabe que no final, eu gostei do resultado da tal da constelação? Sério, até me surpreendeu!

Porque a gente se acha muito autosuficiente, mas quando uma terceira pessoa observa do lado de fora a sua história de vida e seus relacionamentos familiares, profissionais, pessoais e amorosos, ela pode contribuir com insights, e mostrar como (e porque) as coisas funcionam ou não funcionam. Isso pra mim foi inspirador, porque consegui descobrir onde tenho muita força para me apoiar, e também aceitar que o passado está no passado, e a gente só deve aceitá-lo, nao ficar pensando nele ou julgando-o.

Eu nao sou o tipo de pessoa que fica remoendo o passado com sentimento de mágoa e ressentimento (que nao carrego em geral), mas por outro lado, eu buscava muito"entender" o que de fato se passou no passado (afinal fiz 2 anos de Historia. Se nao gostasse de remexer no passado, nao teria escolhido esse curso...haha...e sou curiosa, senao nao seria jornalista rsrsr...). Essa curiosidade, entretanto, nao me acrescenta nada de novo, só me faz perder tempo. Porque se o passado passou, e nao dá pra fazer nada a respeito, então qual é o sentido dessa busca de significado? A vida é tao rara, e precisamos aproveitar o presente para construir o futuro.  Estou me sentindo mais leve a cada dia que passa! Bjs.

sexta-feira, janeiro 04, 2013

Determinando suas ações



Seja você quem for, seja qual for a posição social que você tenha na vida, a mais alta ou a mais baixa, tenha sempre como meta muita força, muita determinação e sempre faça tudo com muito amor e com muita fé em Deus, que um dia você chega lá. De alguma maneira você chega lá."Ayrton Senna


Há 3 semanas atras, eu não sabia mexer no programa que cria podcasts (programa de radio via internet). Sempre tive vontade de fazer um podcast, porque rádio é uma das minhas habilidades inatas (mesmo com a minha voz super doce de menininha).

Eu tenho facilidade de fazer locução pra rádio e talento pra isso. É facil pra mim falar ao vivo no microfone e improvisar. Gosto bastante do veiculo, porque dá mais possibilidades de criação e principalmente, de imaginação, do que o video. Você consegue "viajar" escutando rádio. Na TV você acaba sendo conduzido pela imagem e recebe muito mais interferência. Mas isso é assunto tecnico e nao pra esse blog. rsrsrs....^.^

De qualquer maneira, há tres semanas atrás, eu DECIDI fazer algo a respeito da minha vontade de ter um podcast (* finalmente) e resolvi aprender sozinha a mexer no programa de edição de som. Eu  simplesmente nao sabia nada sobre o assunto, mas sozinha, com muita determinação, aprendi a mexer e hoje, muitas horas de teste e muitos tutoriais depois, posso afirmar que ninguém percebe que eu nao sabia fazer edição de som até o mês passado! Lógico que dá para eu pedir pra um amigo criar uma vinheta, melhorar as entradas e dar um aspecto técnico mais profissional. Mas o básico eu aprendi. Isso é determinação. Aprendi até a melhorar o tom doce da minha voz utilizando filtros hahahaha!! =)

Isso acontece muito comigo. Eu coloco na cabeça que quero aprender uma coisa, ou fazer uma coisa, e vou lá e nao descanso até conseguir. É por isso que eu sei programar sites, fotografar, diagramar jornal, criar revista, fechar arquivo, fazer anuncios, entre muitas outras coisas, e agora, tb sei fazer edição de podcasts! Gosto de quebrar codigos, estudar e principalmente, me esforçar pelos meus sonhos e ideais. Lógico que quando preciso de algo mais profissional, peço um help pros meus amigos da area. Mas aprendi a me virar sozinha de vez em quando. Estou determinada a realizar meus sonhos e para tanto, vou me esforçar mais e mais agora em 2013! Bjs!

quinta-feira, janeiro 03, 2013

Arrasando no karaoke

Imai Miki - linda!
Como já comentei algumas (muitas) vezes aqui no blog eu adoro cantar, já fiz muita aula, entao se tem algo que me sinto confortavel em fazer na vida é cantar.

No Natal eu fui numa festa que tinha karaokê...e tinha essa musica que, vamos combinar, nao era nem justo eu cantar (porque ela é perfeita pro meu tom de voz e eu já treinei muito), da Imai Miki (Piece of My Wish).

Lógico que depois que eu canto, todo mundo fica meio "assim assim" de pegar o microfone logo depois da minha vez, mas eu juro que nao é intencional! É que eu tenho algum talento e sou afinada né rsrsrsrs e já treinei muito entao...em resumo, eu canto bem!! kkkk....

Eu simplesmente amo essa musica, nao só pela voz e interpretação da Miki Imai, que é angelical e linda, mas principalmente pela letra da canção, que fala sobre ser mais gentil com você mesmo (muito importante!!), acreditarmos em nossa força, nunca desistir, porque amanhã será um novo dia. Ou seja, essa é uma das (muitas) musicas do meu repertorio de karaoke. E canto e encanto com ela. hahaha...^.^



Nao sabia que tinha a versão em coreano, que descobri no site Aprendendo Coreano (sim, antes que vc pergunte, é muito dificil aprender coreano...hahaha).



E hoje minha tia veio falar que gostou muito de me ver cantando na festa...e lembrou dessa musica suuuuuuuuuuuuuuuuuuper antiga da Sawada Chikako "Aitai". Na época em que eu fazia aula de karaoke, essa canção era um verdadeiro tormento pra mim, porque eu simplesmente nao conseguia alcançar o tom, nao conseguia cantar a musica, que eu gostava muito quando adolescente. Pois é, o mundo dá voltar. Acredita que hoje, muitos anos depois, eu desenvolvi minha técnica e consigo cantar essa musica? Yes I Can! hahahaha....Bjs!

quarta-feira, janeiro 02, 2013

Muita diversao no Kouhaku

Minha mãe me acordou quando começou...zzzz....e fomos assistir o Kouhaku Utagassen na NHK. Programa obrigatorio pra quem gosta de musica japonesa. =)

Eu achei impressionante a Nakashima Mika ter desafinado com "Hatsukoi" e a Yuki com "Prism" (se bem que a Yuki é beeeem desafinada). Já a Kyary Pamyu Pamyu (foto) é totalmente pirada e maluca, o que era aquela roupa?? Scary Kyary!! #fashionmonster.

Outra coisa surpreendente é a banda TOKIO, que eu sinceramente nunca gostei, ter chegado na 19a apresentação no Kohaku. Eles são um monte de tiozinhos cantando música de...boy band. Pelo menos aprenderam a tocar alguns instrumentos, mas precisavam arranjar maneiras de se reinventar, né, como o Go Hiromi ou Masaharu Fukuyama por exemplo!

Nesse Kouhaku não colocaram muitos artistas top, que fazem parte da propria história do Kouhaku Utagassen, especialmente artistas enka. É para assegurar um publico mais jovem, mas por outro lado, as batians e ditians ficam meio chateados assistindo, porque para eles nao tem graça nenhuma...e mesmo os top stars como Itsuki Hiroshi foram pouco aproveitados.

Colocaram o Itsuki Hiroshi pra cantar no meio das 48 meninas do AKB48 fazendo bagunça. Não tinha necessidade, o cara é a lenda da musica japonesa, é a mesma coisa que colocar o Roberto Carlos rodeado por um grupo de...funk (já que no Brasil não existem grupos correspondentes com 48 menininhas de saia curta e botinha).

E colocaram os meninos do Kanjani8 e os...tiozinhos do Tokio fazendo figuração pra Tendo Yoshimi. Detalhe, os caras do Kanjani8 pelo menos dançaram yosakoi soran (tema da musica dela). Já os caras do Tokio ficaram só mexendo a maozinha, pq estão meio velhinhos pra dançar yosakoi soran. Entao o que estavam fazendo lá atrapalhando a pobre da Tendo Yoshimi? Pena que nao achei o video, porque é muito patetico!!

Na parte boa, achei que as apresentações do Arashi, da Ayaka, do Hy e do Yazawa Eikichi foram muito legais! E nesse ano, devido aos conflitos territoriais que estão acontecendo entre Japão e China, foi decidido que não trariam artistas K-POP no Kouhaku, para prevenir reclamações por parte do publico da NHK. Dessa maneira, SNSD, Kara, Big Bang e tantos outros nao foram convidados.

Sinceramente, na minha opiniao, um pais que já foi devastado por tantas guerras, e que foi o único a sofrer os devastadores efeitos de uma bomba atomica, deveria dar um exemplo diplomático e utilizar eventos importantes como o Kouhaku para passar uma mensagem positiva e reconfortante ao mundo. Deviam ter convidado não só artistas coreanos como chineses para se apresentar. Mas infelizmente, o povo japonês tem uma mente muito fechada...bjs.

PS - os videos foram retirados do Youtube!! =P

terça-feira, janeiro 01, 2013

Assisti "As Aventuras de Pi"

Um filme inspirador, com imagens lindas, que fala da presença de Deus no mundo, uma fábula sobre o ser humano. Gostei muito de "As Aventuras de Pi" do Ang Lee. O Pi é um jovem como qualquer outro, totalmente rebelde sem causa. A história dele com o Richard Parker começa da maneira mais tragica possivel. Eu quase gritei e pulei na cena dos bichos no bote salva-vidas!

Aos poucos, o Pi vai se auto-conhecendo nas dificuldades que enfrenta nessa jornada. Porque a gente só reconhece nosso proprio valor e a extensão da nossa própria força nas dificuldades. Quando está tudo bem, a vida é facil, a vida é leve, e a gente acaba não utilizando toda nossa força potencial. Nas dificuldades é que sabemos quem está pronto e quem ainda nao chegou lá.

Bom, o Pi acaba reconhecendo no Richard Parker um ser vivo, que merece o respeito e a vida. Aliás ele realmente acha que o tigre se torna amigo dele durante a viagem, mas a verdade é que a gente acaba transferindo nossos sentimentos para os animais. Nao tem como um tigre de bengala ser amigo de alguem. Tigre é um ser instintivo e não domesticado. A gente que enxerga o nosso sentimento nos olhos desses grandes animais majestosos.

A presença de Deus em todos os momentos da vida é algo que sempre acreditei e tenho fé. Deus está nos pequenos sinais do cotidiano, que muitas vezes a gente ignora. No filme, o Pi chega numa ilha quando está exausto, quase morrendo, mas ele recebe um sinal que não era pra ficar lá pra sempre, daí ele recupera as forças e se apressa pra voltar ao mar e retornar ao mundo. A gente tem que prestar atenção nos sinais. Eu procuro sempre interpretar qual é a mensagem que o Universo quer passar pra mim todos os dias. Acho isso importante para o crescimento. Sabe aquela sensaçao que vc sente que tem que fazer (* ou nao fazer) algo? Pois é isso mesmo! =)

No final, o Pi conta duas historias para o escritor que vai escrever sua historia. A primeira versão é da fantasia, do encontro com seres fantasticos, da convivencia forçada com o tigre, da ilha perigosa. A segunda versão é racional, fria, cartesiana, dura e crível. E ele pergunta: "de qual historia voce gostou mais?". O escritor responde que gostou mais da história com o tigre...porque somos seres humanos, somos seres liricos, que precisam de fantasia, sonho e inspiração. É de onde viemos, e para onde vamos. Bjs.