terça-feira, agosto 30, 2011

Ligando os pontos...

Acabei de ler "Um Dia" no domingo. Nossa, como eu chorei. Como é triste o fim desse livro. Chorei até ontem no metrô, do nada, só me lembrando do livro. Porque eles se amam mas não conseguem ficar juntos, sempre acontece alguma coisa para atrapalhar. Mas no final, tudo faz sentido, os pontinhos se conectam. Tinha que ser desse jeito porque Dex e Em precisavam passar por um longo e inglório caminho, até ficarem juntos no final. Se você junta os pontinhos, tudo faz sentido.

Eu sei que na vida, podem existir muitas coisas que hoje não fazem sentido, ou coisas que aconteceram com você e não fazem sentido. Coisas aconteceram comigo (boas e más) e aos poucos, fui descobrindo o sentido, a lição que veio com cada momento da minha vida. Sim, porque tudo de bom e de ruim que eu vivi me trouxe até aqui, até o lugar onde estou hoje, até a vida que escolhi viver.

Se hoje ajudo algumas pessoas, é pq primeiro fui ajudada. Alías, primeiro, eu não ajudei, pq eu era egoísta, besta, boba, pq nao sabia que era tão importante assim ajudar os outros. Depois fui ajudada mesmo sem pedir, e percebi que temos que ajudar as pessoas para ter a esperança de um mundo minimamente melhor para todos. E hoje, anos depois, cá estou eu, sem perder a esperança. Escolhendo o bem.

Tem um video do Steve Jobs que gosto muito. Ele fala que você precisa pegar tudo o que acontece na sua vida e esperar, porque quando você juntar os pontos, no futuro, tudo vai fazer sentido. Tudo nessa vida tem um motivo para acontecer. O Steve Jobs é um exemplo de lider e ser humano. Sofreu muito, está doente, saiu da empresa, o pai biológico apareceu do nada. Tanta coisa e ele continua forte. O nosso tempo aqui na Terra é limitado, então não gaste tempo vivendo a vida dos outros. Essa é a essencia. Bjs.

quinta-feira, agosto 25, 2011

Nas nuvens


Olha que legal o que dá para fazer no http://www.wordle.net! (dica do Querido Leitor) Essa semana eu mudei de casa, agora estou morando num apartamento super bacana, iluminado, silencioso e bem localizado. Estou me acostumando aos poucos, mas vai dar tudo certinho. Aqui no trabalho, muita coisa para fazer, prazos para cumprir e projetos para entregar. Normal (como sempre).

Estou meio cansada mas creio que dá pra aguentar mais um tempinho, pq já estamos praticamente em setembro rsrsrsr. Daí em setembro eu posso dizer pra mim mesma que vou descansar em outubro. rsrsrsrsr. E assim vai, essa é a vida de uma pequena empresária. tsc tsc.

Ontem aconteceu uma coisa BIZARRA. Me liga aqui no escritório um jornalista procurando assessor de imprensa. OK, pode deixar que atendo! Ele me disse assim, "É que nosso repórter está lá no Japão gravando uma matéria na loja de coisas exóticas, que eu acho que é em Tokyo...daí o pessoal da loja não está querendo dar entrevista nem deixando filmar. Será que você pode ligar lá pra autorizar a entrevista? Ou voce conhece alguem que possa ligar lá e falar pra pessoa da loja dar entrevista?". hahahahaha, eu geralmente fico numa boa, mas nessa eu tive que dar risada. Serio, tem gente que pensa uma coisa dessas? Como eu aqui do Brasil vou resolver uma coisa lá no Japão?? rsrsrsrsrsrsrsrsr. E o moço estava falando serio, coitado!!

Essa vai entrar para o ranking de perguntas mais bizarras que já escutei na minha carreira de "especialista em assuntos aleatorios japoneses", além daquela famosa "Erika, a moça que usa quimono...ela usa alguma coisa por baixo?? (sério, já me perguntaram isso!!), complementada por "será que você pode pedir para a moça (no caso a entrevistada) usar um quimono mais curtinho, que mostre bem as pernas????" (essa só podia vir de um produtor safado hahahahaha).

Ah, estou apaixonada completamente pelo livro "Um dia", do Dave Nichols. Estou amando totalmente esse livro, faz tempo que não me empolgo tanto com uma leitura. E olha que leio uns 5/6 livros por mês, mas faz tempo que nao me envolvia tanto. Esse livro é encantador, apaixonante, recomendo!! Bjs.

quarta-feira, agosto 17, 2011

Trabalho escravo - sou absolutamente contra

Se tem alguma coisa que eu não entendo é porque no Brasil existe ainda o trabalho escravo. Se o Brasil é tao rico e maravilhoso como dizem por aí, então porque ainda existe esse absurdo no nosso país?? Eu parei de comprar roupas na loja Marisa depois que descobri que eles utilizavam oficinas clandestinas de costura. E agora de uma só vez, descobri que a Zara e a Collins também praticam trabalho escravo contra pessoas indefesas, que são exploradas de maneira vil e desumana.

http://www.reporterbrasil.org.br/exibe.php?id=1858
http://www.reporterbrasil.org.br/exibe.php?id=1925

Pior que eu comprei 2 casacos na Collins e 2 blusas da Zara no mês passado. Dá vontade de ir lá devolver. Sério - eu deveria mesmo devolver. Tem um casaco que ainda não usei e vou lá pedir esclarecimentos para a gerente. Quero ver o que ela fala. Como eles tem coragem de atuar no mercado, fazer marketing e sub-contratar empresas clandestinas que exploram as pessoas?? E como eles tem coragem de cobrar caro por uma roupa que já vem manchada pela injustiça e pela degradação?? Isso lá é respeito pelo ser humano e pelo consumidor?? Putz, como gente assim consegue dormir à noite?? Bjs.

segunda-feira, agosto 15, 2011

Calmaria??

Um dia, depois do Festival, de repente, atendi o telefone e ouvi uma voz que achei que não ia ouvir nunca mais, uma voz sorridente, de uma pessoa que nao tinha contato há anos e anos. Fiquei super feliz, com um sentimento bom no coração que dura até hoje. Você já sentiu isso? É muito bom mesmo não é?

Agora que o Festival acabou, é hora de fazer prestação de contas, relatórios para patrocinadores, aquela coisa maravilhosa toda que é importante de fazer. E os meus principais eventos agora são para outubro entao até lá, tenho uma calmaria relativa na vida, apesar da mente estar super acelerada pensando em mil projetos ao mesmo tempo - como sempre. ^.^

Esses dias fiquei mais feliz tambem porque estava andando na rua e encontrei a velhinha dos cachorrinhos. Ela estava com dois cachorrinhos, perto do batalhão da policia militar. Parecia bem. Eu fiquei bem aliviada por saber que os cachorrinhos estao com ela, e deixei com ela o valor de dois almoços meus. E olha que eu não acredito em deixar dinheiro com pessoas na rua. Mas ela precisa. Muito mais do que eu. Bjs.