terça-feira, abril 29, 2014

Vivendo num mundo sem amor

A gente recebe e retribui o amor que acha que merece. Eu acredito nisso. E fico muito triste e assustada com as noticias de violência assoladora que acompanho todos os dias. Sim, eu digo que não sigo mais as noticias, que não leio mais jornal, porém, sou jornalista, e por mais que as noticias sejam sempre as mesmas (ou piorem a cada dia que passa), acabo acompanhando de longe. Sempre muito chocada. Sempre triste.

A moça que foi assassinada pelo namorado em Curitiba, a outra no Rio, outra em Sao Paulo. O medico nikkei, o menino Bernardo, a Claudia, o Amarildo, o DG, o Brian, a Mercia, a Taina, entre tantos e tantos casos que nao dá nem pra citar aqui. Todos os dias, parece que o crime é cada vez mais banalizado, a violencia impregnou nosso dia a dia, fez o mundo ficar mais escuro e brutal. Eu amo o Brasil, mas tem horas que perco a esperança em ficar aqui e ajudar as pessoas.

Esses dias a minha amiga falou de meninos da febem. Como ensinar amor para alguém que nunca foi amado, nunca foi desejado? Como é a existência de alguem que está cheio de ódio, raiva e coisas ruins por dentro? Alguem que quer machucar o outro, simplesmente porque foi machucado?  Como podemos consertar isso?

Penso que talvez exista uma espécie de loucura generalizada que está assolando o Brasil, pq a violência está crescendo assustadoramente, em todos os níveis, resultado da falta de respeito pela vida, pela familia e pelas pessoas. E infelizmente, na minha opiniao, jornalistas e a midia tem a sua (ampla) parcela de culpa nisso.

Porque quando a gente, jornalista profissional, faz uma matéria sensacionalista sobre o maluco criminoso que algemou a namorada, atirou e matou ela e depois tentou se suicidar, estamos sem querer alimentando idéias perversas e fantasias tresloucadas na cabeça de gente fraca, instável e desequilibrada. 

Porque a TV é um meio que nao tem filtro, atinge qualquer um que esteja com o aparelho ligado. Por isso é necessario ter mais responsabilidade! Contextualizar a noticia, mostrar todos os lados. Procurar um especialista dizendo que esse tipo de gente é doente e precisa se tratar com urgencia. E tb mostrar que mulheres nao podem e nao devem tolerar relacionamentos abusivos. Enfim, estamos criando uma geração de pessoas frageis, descontroladas (e emburrecidas).

Uma pesquisa do SESC mostrou que 93% dos entrevistados nao tem interesse em assuntos culturais. 71% nunca foram ao teatro, 61% nunca entraram em um museu e 58% não leram um livro nos últimos seis meses. Desse jeito, fica dificil fazer milagre. A TV acaba sendo um meio de "educação" para o povo, cumprindo um papel que a escola e a familia nao conseguem cumprir.

O problema é quando uma novela das nove tem caras de 40 anos nojentos, com idade mental de 12. Cenas de estupro e humilhação em horario nobre. Mulheres que se permitem ser pisadas, massacradas, machucadas por homens abusivos. E trata-se de uma "obra de arte" assistida por 20 milhões de pessoas, perpetuando preconceitos e destilando uma ideologia de culto à violência. Cadê o amor nesse Brasil tao lindo? Tem coisas que simplesmente nao entendo. Espero que amanha acorde mais esperançosa. Bjs.

domingo, abril 27, 2014

Reuniao com tubarão

Eu sou uma pessoa muito meticulosa, pratica e organizada. Quer que eu odeie uma pessoa, mesmo que seja só um pouquinho? Simples, é só essa querida pessoa marcar uma reunião comigo de ultima hora, no mesmo dia. Porque a minha agenda é TODA feita com antecedência, eu planejo minha semana, planejo cada dia e o que vou cumprir em cada dia em termos de metas e objetivos. Gosto de dar um "check" nas tarefas cumpridas no fim do dia. Sou assim: sou planejadora. Tenho plano A, B e C pra tudo.

Nesse cenário tao perfeitamente calculado, um compromisso de ultima hora altera toda minha rotina mental, e daí, acabo extremamente irritada. Entao se eu for realmente obrigada a ir em uma reuniao assim (sim, porque meu mundo não é cor de rosa, e assim como vc, tenho que engolir um monte de sapos), eu vou sair com pedras na mão, irritada, seca e nada disposta para uma negociação. 

Esse mês tive uma reuniao assim. Eu fui lá praticamente obrigada. E foi uma ocasião bem ridícula, pq a pessoa só chamou a gente pra vomitar verborragicamente um "blá bla bla" interminável por mais de uma hora, sem nem ao menos ter a humildade de parar pra nos escutar. Algo do tipo "não fala, só me escuta, que eu sou o certo". Parecia que eu estava falando com uma pessoa surda! Foi incrível mesmo...me assustei porque é inacreditável o nível de egocentrismo que as pessoas podem alcançar nesse mundo louco!

Tive um treinamento da Dale Carnegie sobre técnicas de negociação nesse mês, e foi otimo, aprendi varias técnicas, e antes disso, já me considerava uma pessoa muito eficaz no sentido de obter soluções negociadas. Mas nada me preparou para alguem que simplesmente optou por nao escutar nenhum dos meus argumentos. No fim, tive que buscar uma solução alternativa para o impasse, até para podermos ir embora de lá!

No treinamento, aprendi que as pessoas tem diversos estilos de negociação: carpa, tubarão e golfinho. Eu sou muito carpa, e preciso ser mais golfinho, o meu desafio pessoal será esse. Na reuniao, analisei que essa pessoa é tubarão controlador, e no treinamento, tb observei pessoas tubarão desse perfil, e sabe que...no fundo, sinceramente...fiquei com pena delas? 

Porque o tubarão quer caçar, quer abocanhar tudo sozinho, quer vencer a qualquer custo... E são pessoas com nível de inteligência emocional baixíssimo. Egoístas, imaturos, com problemas de relacionamento com as pessoas. Um tubarão pode até achar que está ganhando, que deu a ultima palavra, mas nao consegue compreender os custos emocionais dessa tal "vitoria". 

Na ocasião que estou falando, o tubarão até achou que saiu ganhando, mas na verdade, perdeu. Porque nao sabe trabalhar em conjunto, nao tem espirito de equipe, nao tem humildade. E como alguem  cresce assim, sozinho, nesse mundo? Bjs.

segunda-feira, abril 21, 2014

Alergias e alegrias

Sou uma pessoa extremamente alérgica a algumas coisas simples e bonitas da vida. Por exemplo, brincos. Meus brincos lindos de aço cirúrgico estão me machucando, talvez por causa do calor, ou da umidade, ou algum fator misterioso. Entao decidi testar um daqueles brincos de farmácia, pequeninos, de bebê. Fui lá e escolhi um modelo. Putz, que decisão mais idiota!

Ja no primeiro dia, o treco começou a me incomodar, mas na bula estava escrito para ficar com o brinco, então eu (muito pouco inteligente) persisti, e consegui suportar o incômodo umas duas semanas. Mas chegou um dia em que não agüentei mais, estava inflamado, saindo pus, vermelho e doendo. Tirei fora aquela pecinha hiper contaminada e achei que ficaria bem. Ledo engano: piorou!!!! Hahahahaha....

No dia seguinte, a minha orelha parecia uma couve flor!!! Acho que a inflamação estava contida no brinco e depois se espalhou por toda região auricular, tudo que era possivel e imaginável kkkkkk....e fiquei simplesmente desesperada!! Fiquei desinfetando, mas parece que só piorava. Consegui marcar medico, mas para a semana que vem, então acabei fazendo algo que não gosto muito de fazer, pq por principio, não gosto de automedicação. Fui na farmácia e expliquei meu caso para o farmacêutico.

Ele me deu bronca, "moça, voce não devia ter ficado com o brinco na orelha. Você também não deve esperar até a semana que vem, passa esse xxxxxx que vai melhorar". Graças a deus (e ao bom moço), o remédio conseguiu parar a inflamação e não estou mais parecendo um hobbit!! E isso tudo teve um lado bom, porque marquei todos os meus medicos para esse mês e farei meu check up anual.

Hoje estava na farmácia de novo, pq é um dos meus lugares favoritos, além de livrarias (ou seja, hipocondríaca e estudiosa = combinação perfeita kkkk). E a atendente estava contando do caso de uma moça que vai lá na loja. Em teoria, a mulher só pode tomar "pílula do dia seguinte" uma ou duas vezes ao ano, porque esse negocio é forte e dá um revertério no organismo da mulher. Mas essa moça está tomando duas vezes por MÊS, como método contraceptivo!! Ou seja, é louca e está acabando com a propria saúde. Moça, toma pílula, injeção, usa diu (ou simplesmente camisinha né!!!). 

Eu nao sei se as farmácias podem vender pílula do dia seguinte sem receita medica (nao deveriam), mas como a eficácia dela diminui a cada dia que passa, imagino que é possível comprar com muita facilidade, porque tem que ser rápido. Mas marcar medico de um dia pro outro, aqui no Brasil, é uma missão impossível (olha o meu caso da orelha de hobbit: se fosse esperar minha consulta direitinho, teria virado um brócolis!!).

Mas na verdade, ja tomei pílula do dia seguinte há uns anos. Aconteceu que um dia, eu surtei e decidi que precisava porque precisava tomar a pílula, e como foi possível ilustrar no caso dos "brincos flamejantes", sou uma pessoa realmente teimosa quando quero. Entao fui lá no clinico geral e insisti, insisti, insisti, até que ele me passou a receita. Fui na farmacia, comprei o remédio, tomei, passei mal de cólica no dia seguinte, e depois de uns dias fui no meu medico. 

O mais engraçado é que quando a gente passa por uma consulta com seu medico, parece que as coisas voltam ao seu devido lugar. A primeira coisa que ele falou foi: "Erika, ok, voce tomou a pílula do dia seguinte, mas...e se voce ficasse gravida, qual é o problema?? Porque tem tanta gente, milhões e milhoes de pessoas, tentando ter um filho nesse exato momento, e nao conseguem. Se voce estivesse gravida, qual seria o problema? Voce tem saude, emprego, família, amigos, tudo. Voce pensou nisso?"

E a minha resposta, naquele momento, foi não.  Tinha esquecido de uma verdade tão simples como essa. Nao era o momento certo, nao era a pessoa certa, nao era nada certo, mas se eu tivesse ficado gravida, qual seria o grande problema? Se me faltasse dinheiro, trabalharia mais. Se me faltasse apoio, posso pedir ajuda da minha família. Amor, alegria e respeito não faltariam. Entao, hoje enxergo claramente que exagerei em uma coisa muito boba. Uma boa consulta medica faz toda a diferença, e espero que a moça citada acima consiga melhorar e ir num medico. Automedicação é ruim. Palavra de uma hipocondríaca! Bjs.

quinta-feira, abril 10, 2014

Pra que sofrer sozinho?


Foi uma coisa muito engraçada, porque nesses dias eu estava praticamente derramando lagrimas no escritório, desesperada por me deparar com tantas coisas pra fazer (além da TPM hahaha), daí o B simplesmente parou oque estava fazendo e me falou: "Erika, posso ajudar? Afinal, voce nao precisa sofrer sozinha!" (Pausa para muitos kkkkkkkkk....obrigada pela consideração B!!)

É incrível, porque eu sou uma pessoa (muito) inteligente, entao eu sei racionalmente que não preciso sofrer sozinha. Porém, acabo trabalhando muito sozinha, porque o meu escopo de trabalho é bastante especifico. Logico que sou uma boa lider e delego tudo que eu posso para outras pessoas (no caso, o B está apenas no segundo dia no escritorio. Daqui a alguns dias, ele vai estar tão ocupado quanto eu hihi...).

Mas na hora do "vamos ver", eu realmente sinto que estou sozinha. Sinto que a responsabilidade final é minha. Por isso ninguem fica comigo até 22:00 no escritorio vazio. Ninguem me acompanha aos sábados e domingos nos meus plantões. E nao estou me vangloriando do meu vicio em trabalho, porque sei que eu devia é me organizar melhor, ou mesmo me controlar melhor, para não trabalhar loucamente dessa maneira. Mas nao consigo!

Em essência, tudo isso é falta de planejamento da minha parte: em um mundo ideal, eu poderia cumprir minha jornada de horas diarias e conseguir cumprir as obrigações, descansando aos fins de semana. Estou construindo uma relação mais saudável com o trabalho, mas faltam menos de 90 dias. E com o esquema (pobre) que temos, é humanamente impossível me concentrar no evento sem ficar trabalhando de noite e aos finais de semana. 

Porque no horario do expediente, a gente acaba fazendo um pouco de tudo: atende telefone, carrega refrigerante, arruma mesa, tira copia, pega agua, prepara reuniao, acompanha a diretoria...tudo isso atrapalha o rendimento do trabalho, e nos obriga a sofrer um pouquinho mais pra fazer o evento com sucesso. De qualquer maneira, agradeço pela dica, B, pode deixar que nao vou mais sofrer sozinha. Vamos sofrer todos juntos que é mais gostoso!! Rsrsrsrsr...beijos!!