quarta-feira, dezembro 09, 2009

Pedir bençao pra quê??

Voce acredita que existe velhinho querendo criar entidade pra decidir quem pode e quem nao pode sair candidato nas eleicoes, ou seja, quem teoricamente vai "representar" a comunidade nas proximas eleicoes? E que tem velhinho que pretende criar uma entidade pra centralizar todas as doações que a comunidade nikkei recebe, daí todas as entidades vão ter que baixar a cabeça e pedir benção pra poder receber as "bençãos" dessa entidade?

Gente, a minha vontade é de pegar esse velhinho na minha frente e falar com todas as letras: vai cuidar dos seus netinhos!! vai viajar com a sua esposa!! vai cuidar da sua vida!! Quem é o sr. pra decidir em quem EU posso votar, ou pra qual entidade EU devo fazer a minha doação?? É o meu voto, é o meu dinheiro!! O que o sr. tem a ver com isso??

Se eu quiser votar no Valter Ihoshi eu voto. Se eu quiser votar no William Woo eu voto, e se eu quiser votar nulo, eu voto. Da mesma maneira, existem N entidades para as quais eu posso doar meu rico dinheirinho, e tenho absoluta certeza que não cabe a um punhado de velhinhos de cabecinha dura essa missão de decidir ditatorialmente quem é merecedor do rico dinheirinho da comunidade nikkei.

Aliás, quais os criterios desses velhinhos, além da cabecinha fora da realidade deles? Como eles vao decidir quem é que "merece" ser candidato, ou qual entidade "merece" ser apoiada? Depois ainda se perguntam porque os jovens saem das entidades, ou pq passam longe das entidades. A resposta é facil: a vida é muito curta pra perder tempo discutindo e aturando esses velhinhos lunáticos. Pra que eu vou ficar pedindo bençao desses odissans e obassans que vivem fora do mundo real??

Logico, a diversidade de ideias é uma das coisas mais fundamentais da democracia. Eles tem o direito de propor essas entidades malucas. E eu tenho todo direito de protestar e nao apoiar. Bjs.

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Retornando do exilio...

Nesse ultimo mês eu ando trabalhando tanto, mas tanto, que nao dá nem tempo de escolher quais sao os proximos doramas que eu vou assistir...rsrsrsrs...todos os dias ralando até 10 horas, 11 horas da noite. Email nem olho com muita atencao. Blog entao nem atualizei. E pior que conheço gente que está trabalhando quase 24 horas por dia. Sugoi desu ne!!

Ultimamente, tenho me convencido que nao vale a pena ficar adiando coisas pessoais, consultas medicas e meus projetos e sonhos por causa dos velhinhos e/ou projetos de velhinhos. Tipo, a gente se esforça pra caramba e os velhinhos nao só nao agradecem como nao reconhecem o que a gente faz. Será que é pq eu sou mais jovem, ou pq eu sou mulher? Mas continuo levando numa boa, pq a gente tem que sempre pensar positivo, pra frente, né! É o lema do judo, vc cai 9 vezes e levanta 10 vezes. Nao tem tempo ruim! =)

Eu fui na Nami Choux (www.namichoux.com.br) nesse final de semana e pedi o creme bruleé e o chocolate quente. Maravilhoso, uma delicia, super lindo, bonito e gostoso (e caro tambem, mas de vez em quando, tipo uma vez a cada 2 meses, eu acho que posso me permitir um pecadinho né). E daí eu chego em casa e a confeitaria está em destaque na Vejinha...eu recomendo o lugar é absolutamente LINDO. =)


Nami Choux, no Paraíso, serve guloseimas em ambiente amplo, sóbrio e agradável

Por Helena Galante

02.12.2009

CLEIBY TREVISAN

Carolinas de baunilha: R$ 8,50

Carolinas de baunilha: R$ 8,50

Filha de japoneses, a paulistana Kátia Nami Komatsu tornouse confeiteira em duas etapas. Primeiro, fez um curso na Universidade Anhembi Morumbi. Em 2007, conseguiu um estágio no restaurante Nakamuraya, em Tóquio, e lá passou a aliar a técnica da pâtisserie francesa a ingredientes orientais, como a farinha de moti (arroz pilado) e o feijão-azuqui. De volta ao Brasil, inaugurou há quatro meses sua primeira doceria, a Nami Choux, no Paraíso.

No classudo salão de pé-direito alto, decorado com madeira, mármore e couro, chama atenção uma parede de fi bra de coco repleta de plantas. Sente-se ali perto e experimente algumas guloseimas. Para agradar aos paladares ocidentais, Kátia abriu mão das receitas típicas. Ficou apenas o matchá importado (chá-verde), usado numa musse amarguinha servida sobre outra musse mais adocicada, de chocolate branco (R$ 8,50). O choux, uma carolina comum no Japão, empresta seu nome à casa e aparece em delicadas pirâmides com recheios de baunilha e chocolate (também R$ 8,50 cada um). Bem tirado, o expresso Café do Centro (R$ 3,20) pode vir acrescido de leite integral (R$ 4,50 o grande).


Rua Manuel da Nóbrega, 521, Paraíso, ☎ 3051-3534. 11h/21h (fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. Estac. c/manobr.