sexta-feira, março 27, 2009

Retornando...

Nossa, faz muito tempo que não escrevo no meu blog! A vida está super hiper agitada e não sobram meus valiosos minutinhos para compartilhar meus pensamentos humildes. Bom, desde meu ultimo post, eu:


- assisti Slumdog Millionaire (achei o filme bobo, mas os atores principais muito bons)

- conheci o Ney Matogrosso no Pavilhão Japones!

- fui sozinha no karaokê pra cantar um pouquinho (minha técnica de relaxamento)

- pisei no meu óculos e quebrei-o-o * prejuízo de R$ 200!!!

- organizei um jantar pras amiguinhas e amigos

- fiz muita shokudai * lição de casa do nihongo (muito MESMO)

- participei de varias reunioezinhas, todas pouco, mais ou menos, ou nada eficientes

- votei em mim mesma no Conselho - e nao votei nas pessoas que nao merecem

- fechei detalhes do Bazar do Bem 2009 – 23 e 24 de maio e 13 e 14 de setembro!!

- trabalhei bastante!!

 

Em resumo, a vida está corrida, mas eu estou numa boa!! Agora, quem não está numa boa - e segue chafurdando - é o Centenario. Que matéria ridícula saiu no SP Shimbun de ontem! É (muito) mais fácil apontar o dedo e procurar um culpado do que assumir os próprios erros, não é mesmo, prezados senhores velhinhos? E tenho mais revolta porque falam mal do William, e eu sou testemunha, ele se esforçou de coração pela festa do Centenário, colocou toda a equipe dele pra trabalhar, e não merece essa ingratidão. Em resumo, mais do mesmo. Eu estou absolutamente de saco cheio dessa falta de gratidão.


E hoje fui de manha na feira comer pastel na barraca da Cris. Caldo de cana com pêssego, pastel de calabresa, tudo perfeito. A experiência teria sido maravilhosa, não fosse um detalhe. Tinha um bando de molequinhos que moram na favelinha do lado da vila mariana lá na feira, pedindo pra comprar pastel pra eles. Eu, sinceramente, teria comprado numa boa. SE não tivessem vindo 5 meninos pedir e me encher o saco.


Daí você vê a diferença de pensamento, porque apareceu um cara com jeito de rico que pagou pastel pra todos os molequinhos. Acho que ele deve ter gastado uns R$ 15 nisso. E eu pensei: nosssa, esse cara deve sentir muita culpa social, pra fazer isso. Porque eu sinceramente, acho que faço a minha parte, e não tenho que ficar pagando pastel pra moleque folgado pra aliviar minha tal “culpa”.  Eu já faço trabalho voluntário em proporcao suficiente pra achar que eu faço a minha parte.


Se fosse eu, e se eu não tivesse dinheiro pra comprar pastel, das duas uma: ou eu trabalhava pra comprar um pastel ou eu passaria vontade e não comeria pastel. Acho que fui criada assim, eu penso assim.  Será que é um traço da cultura japonesa? Eu jamais pediria algo na rua. Mas muita gente acha mais fácil pedir do que se esforçar.


E isso é muito ruim pra consciência coletiva de um povo, de uma nação. Não é pedindo e reclamando que você consegue as coisas na vida. É se esforçando e trabalhando, é fazendo gaman (sacrifício) e se dedicando. O governo brasileiro não ensina isso pras pessoas em geral. E isso não é bom para nosso futuro como um País. Daí fica esse povo todo apontando o dedo pro governo, pros políticos, pra tudo. Menos pra si mesmo. Bjs.

quinta-feira, março 12, 2009

Imaginem só...

Imaginem minha situação: sexta-feira à tarde, saí do trabalho, tenho um tempinho, e resolvi ir no cinemark pra assistir um filme bobo - bem bobo. Escolhi "Pantera Cor de Rosa 2" com o Steve Martin.

Péssimo gosto, eu sei, mas reafirmo, era para desligar o cérebro mesmo. Daí eu fui no banheiro, fui comprar pipoca e entrei na sala. Pouca gente (oba, deu pra escolher um bom lugar). Toca musiquinha do Tom Jobim, fiquei mexendo no celular, daí começam os trailers. Alias, o filme da Julia Roberts e Clive Owen (Duplicity) parece muito bom!!

Anyway, estou lá no cinema assistindo os (infindaveis) trailers. Daí começa algo do tipo "prefeitura de Paulinia orgulhosamente apresenta". E eu te juro, eu pensei que era uma coisa legal, e que agora os filmes estariam apresentando um curta metragem brasileiro, tipo aquelas animacoes da Pixar (ingenua, eu sei).

Daí começam a aparecer uns boizinhos, e uns cavalinhos, e...o cantor sertanejo Daniel. Sim senhores, eu entrei na sala errada. Consegui essa proeza de entrar na sala 3 ao invés da sala 2. PAVOR PAVOR PAVOR!!! Estava assistindo o filme "O menino da porteira". PAVOR!! Olhei no relogio e meu filme do Steve Martin tinha começado 20 minutos antes!!! Tinha gente sentada dos dois lados da fila, interessados no filme. 

Daí eu pensei, se Deus teve o trabalho de me colocar nessa sala, ele deve ter algum motivo. E entao, eu decidi o improvavel: fiquei assistindo o filme rural e brejeiro. Até o fim. Juro. Destaques do filme, a atuação super maneirista e engraçada do José de Abreu (pra mim, careca ou nao, ele atua do mesmo jeito), e a cara sempre igual da Vanessa Giacomo (na tristeza e nos momentos felizes, sempre igual), e as falas engraçadissimas do Daniel (poucas falas, ele fala muito pouco mesmo, até pelo perfil do personagem, que é um vaqueiro caladão).

O que eu mais gostei do filme, juro, foi o menininho que fica na porteira (que alias, por mais absurdo que pareça, tem merchandising das lojas Pernambucanas - isso mesmo, na porteira de madeira está escrito Lojas Pernambucanas - brasileiro é tão criativo que dá um jeito pra tudo). O menininho é muito bonitinho (fica falando o filme inteiro TOCA O BERRANTE SEU MOÇO!!!). Mas o final é triste. O MENINO MORRE. Pronto, falei. Espero que nao tenha estragado o filme pra voce. Mas acho que 99% das pessoas que eu conheço nao assistiriam esse filme. Moral da história (se é que houve moral): pelo menos, eu desliguei o cérebro. heheheheheh. Bjs, e depois eu conto do meu media training, que foi SUPER LEGAL.

Da árvore (www.g1.com.br)

Postado por Paulo Coelho em 11 de março de 2009 às 00:20

 

Um mestre budista viajava a pé com seus discípulos, quando reparou que discutiam entre si quem era o maior entre eles.

“Pratico meditação há 15 anos”, dizia um.

“Faço caridade desde que saí da casa de meus pais”, dizia outro.

“Sempre segui os ensinamentos de Buda”, dizia um terceiro.

Ao meio-dia, pararam debaixo de uma macieira para descansar. Os galhos estavam carregados, e vergavam até o chão com o peso das frutas.

Então o mestre falou: “quando uma árvore está carregada de frutos, seus ramos se abaixam e tocam o chão. Desta maneira, o verdadeiro sábio é aquele que é humilde”.

“Quando uma árvore não tem frutos, seus ramos são arrogantes e altivos. Desta maneira, o tolo sempre se crê maior que seu próximo”.

sexta-feira, março 06, 2009

Passando rapido...

Hoje de manha acordei as 8 e fui comer pastel na barraca da Cris, na feira da R. Capitao Macedo, na Vila Mariana. Tomei caldo de cana com limao e comi pastel de queijo com carne, meu f@vorito! 

A barraca da Cris é a mais organizada, eficiente e limpinha que eu conheço - o que conta muitos pontos, se voce é virginiano(a) como eu. Vale a pena comprar seu pastel lá, e as meninas sao super simpaticas. Sexta-feira, pertinho da Sena Madureira. 

Quer jeito melhor de começar uma sexta-feira?? Muito bom!! Adoro feira!! Agora preciso ir porque estou absurdamente lotada de coisas pra fazer. Bjs.


terça-feira, março 03, 2009

Coitado do blog!

Nossa, faz (muito) tempo que eu nao posto nada!! Depois do Carnaval, nunca mais!! Mas é que estou correndo muito.

Entao vou fazer um resumo rapidinho, ok?? Antes do Carnaval, tentei descansar um pouco, tirando 2 dias antes do feriado para relaxar, passear, etc. Acha que deu?? Rsrsrsrs, acabei indo trabalhar na quinta e sexta!!

Mas na sexta eu assisti ao Milk, com Sean Penn, um filme muito bacana, que mostra que todos somos iguais, e que a igualdade é um direito do ser humano. Gostei, e ele mereceu o Oscar.

No Carnaval sim eu descansei bastante - nao fiz nada. Absolutamente nada de util, o que é bem particular se tratando de uma virginiana. Passeei bastante. Foi legal. Na quinta depois do feriado, eu descansei tambem e na sexta, comecei a trabalhar com muito afinco. Deu pra renovar as energias!!

E hoje tive minha primeira aula de nihongo com Yamane sensei. Ai, tyoto muzukashi, porque eu aprendi muito "de ouvido", entao as normas gramaticais nao sao comigo. vou ter que me esforçar bastante...e nesse final de semana, tenho um curso que estava marcado para a Vila Madalena (de media training). Acredita que eles transferiram o local do curso?? Justamente pra avenida Liberdade?? hahahaha, vai ser suuuuuuuuuuper mais facil assim, porque eu praticamente vivo na Libas. E tambem estou juntando $$ pra fazer o curso de origami, vamos ver se vai dar. Esse ano, quero estudar muitas coisas diferentes! Bjs.=)