quinta-feira, maio 24, 2012

Deus sabe o que faz!!

Tem um cliente que eu não estava aguentando mais lidar, estava realmente enchendo minha (quase ilimitada) paciência. Sabe o tipo de pessoa que só sabe cobrar, reclamar, e quer diminuir os custos de qualquer jeito, sovina mesmo?? Eu não gosto de pessoas assim, pq acredito em negociações ganha-ganha. Nao quero ganhar o jogo tendo que adotar praticas que nao acredito. Prefiro jogar meu jogo limpo, nao quero prejudicar ninguem.

Estava pensando em como me livrar desse problema, mas graças a Deus o cliente ligou me falando que vai testar outros jornalistas (haha, boa sorte pra ambos)!! Eu sou excelente no que faço, e com certeza, nao encontrarão outro profissional como eu, com a mesma paciência, o mesmo conhecimento e principalmente, o meu tão conhecido espírito colaborativo.

E pra voce ver como é dificil ter ética nesse mundo, a pessoa quer que eu mande a base do MEU trabalho, e também as matérias que eu escrevi, pra publicar no jornal que esse outro jornalista vai fazer. Lógico, se eles querem recomeçar com outro jornalista pra fazer o jornal, então esse jornalista teria que RE-começar do ZERO. é meu trabalho afinal de contas! E a pessoa ainda falou que vai "colocar o crédito". É logico, puxa vida, eu escrevi a matéria, eu conversei com o entrevistado!! é o mínimo que eles precisam fazer em nome da ética.

E eu sou uma pessoa muito ética. Ai meu deus, como a minha vida seria muito mais facil se eu deixasse de prezar a honestidade e a ética, se eu fosse um pouquinho desonesta. Expliquei pra pessoa que eu tenho meus principios éticos, minhas guidelines, que eu só faço o que acredito, mas acho que o cliente nao entendeu muito bem. Expliquei que nao acho ético outro jornalista mexer no meu texto. Isso com certeza a pessoa nao entendeu. Mas logicamente, vou ajudar porque Deus sabe o que faz. Eu pedi pra ele me livrar desse cliente e ele me atendeu. Agora, resta eu fazer o que está ao meu alcance! Bjs.

quarta-feira, maio 23, 2012

Bunkyo tão distante de mim...

No sabado fui passear no Bunka Matsuri e tambem trabalhei gravando materia (logico, trabalho é comigo mesma né). O evento estava meio vazio...mas ao mesmo tempo, muito bom. Foi meio estranho estar num local onde passei tantos finais de semana, tantos dias, tantas noites, onde inclusive trabalho todos os dias até hoje hahaha...e ao mesmo tempo me sentir tão distante, tão por fora, tipo uma "estranha em casa". rsrsrsr...talvez pq nao estava trabalhando no evento.

Bunka Matsuri é um evento do qual participei muito, desde antes, quando se chamava Bazar do Bunkyo. Tenho ligação emocional com o evento, mas estou BEM distante do Bunkyo em geral (admito). Fiquei meio deprê quando percebi que encontrei muita gente queridissima (lógico), mas nao era a mesma coisa: eu nao conhecia ninguem que estava no estande do Seinen vendendo refri!! hahahaha!! #depretotal. poxa, eu vendi tanto refri!! Caramba!!

E para completar a viagem emocional na minha vida de seinen, passei o domingo no Kokushikan. Sério, lá dá pra perceber que eu fiquei muito (mais) chata com o passar do tempo. Pra mim é inacreditável conceber que eu dormia lá naquele alojamento cafofo, toda feliz e sorridente, durante as muitas Revis/Colmeia/Integração/etc. Eu olho para aquele alojamento e sinceramente não acredito como eu tive coragem de dormir lá tantas noites!! O lugar é horrivel, todo cheio de sujeira, teia de aranha e ácaros.

Isso deve acontecer porque quando a gente é mais jovem, essas coisas (tipo conforto, segurança e limpeza) não importam tanto. Só pode ser isso! Quando eu ia pra lá com o pessoal, juro que não enxergava a sujeira que eu vi no refeitório dessa vez. E me divertia muito passeando pra cima e pra baixo. E dormia naqueles colchões podrinhos. Credo, realmente estou ficando velha?? rsrsrsr...#comopode?? Ah, estou apaixonada por esse nova musica da Misia. Bjs!!

quinta-feira, maio 17, 2012

Pessoas (des)conhecidas?

Hoje de manhã estava em uma loja e um moço ficou olhando (muito) pra mim, parece que ele me conhecia, sei lá, mas eu realmente nao (re)conhecia ele. Não ia falar "bom dia" pra alguém que eu realmente nao conheço, pq nao sou louca e nao quero passar uma impressão diferente né? E tambem nao costumo conversar com estranhos pq minha mãe me ensinou assim. hahaha, só no exercicio da minha profissao!! =)

Talvez o moço me conheça de algum evento, mas eu nao lembro. Bom, de qualquer maneira, tem muuuuita gente que eu já entrevistei, que eu nao me recordo, mas a pessoa por algum motivo se lembra de mim até hoje!! Acho que sou bem marcante e encantadora de vez em qdo rsrsrsrs....(quando quero hahaha...).

Aliás, quando estou andando na rua, eu não presto muita atenção ao meu redor (desculpe se eu já passei batido por você, juro que nao sou metida, sou distraída rsrsrs). É que eu estou escutando minhas musiquinhas, pensando nas minhas (muitas) pendências, arquitetando vários planos e projetos, tudo isso enquanto ando na rua. Então não presto atenção nas pessoas (devia ficar mais atenta, eu sei).

Hoje saí do escritorio depois de todo mundo, mas ainda era cedo entao fui no salao fazer minhas unhas pq elas estavam simplesmente uma lástima, bem detonadinhas. Daí voltei pra casa e assisti Jornal Nacional pela primeira vez em muito, muito tempo. E no meio do telejornal, a Patricia Poeta fala em uma guerra "violentissississima" no México. Sério que agora a apresentadora do jornal mais assistido do Brasil pode falar assim?? Foi algo muito estranho, pra mim que sou jornalista!! É preciso manter um certo nivel de respeito pela linguagem formal, voce nao acha?? Bjs.

quarta-feira, maio 16, 2012

Vivendo o momento presente...

Fonte:  http://zenpencils.com   
Um jornalista pergunta para Dalai Lama o que mais o surpreende na humanidade. O líder budista responde: - O homem. Porque ele sacrifica sua saúde para ganhar dinheiro. E depois sacrifica o dinheiro para recuperar sua saúde. Fica tão ansioso com o futuro que não aproveita o presente. O resultado é que não vive nem no presente, nem no futuro. Vive como se nunca fosse morrer. E morre nunca tendo vivido.

Eu tenho me questionado muito nos últimos tempos sobre a real importância do meu trabalho. Eu sei que cumpro minha missão de vida, amo o meu trabalho e tudo mais, mas realmente é necessário que eu trabalhe tanto pra ser feliz?

Tanto sacrifício na minha vida pessoal pra quê, por alguns reais a mais na minha conta no fim do mês? Porque sinceramente, não é pelo dinheiro que eu trabalho tanto, acho que sou mais viciada na realização, nas conquistas, especialmente em "ser util" ao mundo (essa é a missão de vida dos virginianos hehe...), empreender coisas novas. Daí nos ultimos tempos, acabei deteriorando outras áreas da minha vida, dando menos importancia à familia, aos amigos, ao namorado...e todo o resto da minha vida sofria, porque eu não estava em equilibrio.

Agora eu juro que estou me dedicando ao equilibrio. Se trabalho num dia até meia-noite, no dia seguinte eu descanso um pouco mais de manhã (uma das poucas vantagens de nao ser funcionária é essa, pq faço meus horarios hahaha). Preciso ter mais carinho pelo meu corpo e pela minha saúde fisica, porque da mesma maneira que eu cuido muito da minha mente, preciso prezar pela minha saúde. Nao quero chegar daqui a 10 anos e pensar "aonde foi parar a minha vida"!! Eu sei que até julho minha rotina nao será normal, mas pelo menos, vou me cuidar mais pra ficar 100%. Bjs.

terça-feira, maio 15, 2012

Resolvendo problemas...


"Se o problema tem solução, não esquente a cabeça, porque tem solução. Se o problema não tem solução, não esquente a cabeça, porque não tem solução". Provérbio chines.
Ontem quase morri sozinha aqui no escritório. Foi uma cena muito engraçada, porque simplesmente me engasguei com um copo de água!!! Tossi muito hahahaha, e se tivesse partido dessa para melhor, com certeza as manchetes dos jornais da "colonia" seriam muito divertidas!!  
Preciso tomar mais cuidado porque estava fazendo um monte de coisas ao mesmo tempo e resolvi tomar água no meio dessas tarefas, só acho que meu cérebro não consegue mais processar tanta coisa, trabalhar e tomar agua e falar ao telefone no mesmo instante. Foi hilário! Mais hilário ainda porque eu estava sozinha e depois fiquei dando gargalhadas aqui na sala.
Enquanto eu tenho que reaprender a tomar agua, os japoneses tem que reaprender a ter filhos, segundo materia da France Presse publicada no UOL. Cada um com seus problemas! Bjs.
http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/1089766-japao-enfrentara-extincao-populacional-em-mil-anos.shtml

13/05/2012 - 15h46

Japão enfrentará "extinção populacional" em mil anos

FRANCE PRESSE

Pesquisadores japoneses revelaram um "relógio populacional", para mostrar que a nação pode teoricamente ser extinta em um milênio, por causa da baixa taxa de natalidade.
Os cientistas da cidade de Sendai afirmaram que a quantidade de crianças e adolescentes até 14 anos, que são agora 16,6 milhões, está encolhendo a uma taxa de uma a cada cem segundos.
"Se a taxa continuar diminuindo, nós poderemos celebrar o feriado do dia das crianças em cinco de maio de 3011, pois haverá somente uma criança, disse Hiroshi Yoshida, professor de economia da Universidade Tohoku e criador do relógio populacional.
"Mas, cem segundos depois, não haverá mais criança", completa. "A tendência é rumo à extinção, que começou em 1975 quando a taxa de natalidade caiu para menos que dois (filhos por casal)."
O pesquisador teve a ideia do relógio para encorajar "urgentemente" a discussão sobre o assunto.
Alex Argozino/Editoria de Arte/Folhapress
Um outro estudo divulgado este ano mostrou que a população japonesa será reduzida a um terço de seus 127,7 milhões de habitantes ao longo do próximo século.
Projeções do governo mostram que a taxa de natalidade irá atingir 1,35 criança por casal nos próximos 50 anos, bem abaixo da taxa de substituição da população.
Enquanto isso, é esperado que a expectativa de vida, uma das maiores do mundo, suba de 86 anos em 2010 para quase 91 em 2060 para mulheres e de 80 anos para 84, no caso dos homens. Mais de 20% da população japonesa tem mais de 65 anos.
A situação acaba se tornando um problema para os governantes, que tentam encontrar soluções para garantir um diminuto grupo de trabalhadores para pagar o número crescente de pensões.
Algumas companhias japonesas, porém, estão lucrando com a inversão da pirâmide populacional. O representante da fabricante de fraldas Unicharm, Kazuya Kondo, disse que as vendas para o mercado adulto superaram as do mercado de bebês este ano.

segunda-feira, maio 14, 2012

Como responder?

No meu dia-a-dia recebo muitos emails diferentes. Como esse: "Sou uma pessoa que nasceu com influência japonesa mas com isso acabei vivendo isolado por muitos anos, não tenho amizade alguma...". Fiquei comovida e respondi a mensagem com carinho, vamos ver se a pessoa se anima com a minha mensagem boba.


Ou então esse: "Estou procurando um rapaz para futuro relacionamento, não faço questão de que seja descendente de japoneses, só não faz meu tipo homem gordo nem careca". Esse ultimo chega a ser engraçado, porque minha batian acha que eu posso fazer "miai" pras pessoas! hahaha como se eu pudesse fazer isso pelos outros!! Nem pra mim consigo!! Eu vou ver se lembro de algum amigo solteiro, mas nem conheço a moça hahaha...isso que é blind date...=)


Anyway, eu acredito em destino. Acho que se a bola veio parar na minha mão, e eu posso ajudar uma pessoa, não me custa nada ajudar. Bom seria se as outras pessoas fizessem isso, porque tem muitas bolas que eu passo com boa vontade, e a pessoa simplesmente me manda de volta na "cara dura" rsrsrsrs...


Tem gente muito folgada nesse mundo, principalmente quando não querem assumir responsabilidade, só ficar cobrando dos outros. Eu tenho pouco tempo pra perder, então nao invisto meu precioso dia pensando nesses bobagens, mas de vez em quando é muito dificil entender a cabeça das pessoas. Como responder esse tipo de coisa? É muita folga! Bjs.

sábado, maio 12, 2012

Carinho de mãe!!

Tive uma reunião com um moço que decidiu me ajudar, nao sei bem o porquê (se bem que ajuda a gente não recusa, pq senão a vida não traz mais ajuda!!). Acho que ele quer me ajudar porque eu ajudei ele, deve ser isso. Depois tive outra reuniao com um moço mais workaholic que eu. Se bem que eu nao sei realmente dizer se ele é mais ou menos workaholic que eu. Porque se agora é 1 da manhã, então pq estou checando meus emails de trabalho? Devo ser louca mesmo!!

Tadinho, achei que esse meu amigo está com muita cara de cansaço, estresse. Ele está com pressao alta, meio desanimado, pra baixo. Justo agora que eu estou bem mais animadinha com a vida, com os projetos e tudo mais (até pq o Festival está chegando, entao é agora ou nunca, preciso me animar de qualquer jeito!!). Tentei animá-lo, mas nao sei se consegui. E depois da reuniao fui fazer umas comprinhas - fato que alegra qualquer mulher sem exceção.

Hoje levei minha batian - de 87 anos - pra jantar lamen no Kazu em comemoração ao Dia das Mães. Ela gosta muito de lá e é a primeira vez na minha vida que passamos esse dia juntas. rsrsrs portanto, uma coisa muito boa que aconteceu com a minha mudança é que agora estou convivendo mais com a minha avó, que tem uma vida social mais agitada do que eu e anda pra cima e pra baixo sozinha!!

Ela está aparentemente muito feliz que estou por aqui e vive fazendo comidinhas deliciosas. Essa semana por exemplo teve inarizushi....huuummmm muito bom!! Preciso aprender com ela como se faz!! E quando estou trabalhando ela frita moti (bolinho de arroz) e coloca shoyu e açucar por cima e traz chazinho pra mim, mesmo eu falando que nao precisa (afinal, ela tem 87 anos!!). Carinho de mae e de avó é outra coisa né?? Bjs.



 

quarta-feira, maio 09, 2012

Reuniao com briga (feia)

"Escuta de novo porque voce nao está me escutando!!". "Você nao está entendendo, nao foi isso que eu disse!!". "Para de me interromper e deixa eu terminar o meu pensamento!!". "Agora é a minha vez de falar!!". Olha, em toda minha vida de trabalho voluntário na comunidade nikkei, já passei por poucas e boas durante reuniões...

Já teve reunião em que o velhinho bateu na mesa, levantou e simplesmente saiu da sala e deixou o outro falando sozinho (alias, esse teve um ataque cardiaco pouco depois rsrs). Já teve outra ocasião em que as pessoas se acusavam com "cutucadinhas" de leve, nada discretas. Entretanto, nada que eu tenha vivido me preparou para a reunião de hoje!!

O velhinho em questão, que é normalmente calmo e tranquilo, hoje estava irascível e irritado, como se estivesse com TPM, brigou com a mulher, bateu o carro, sei lá. E o outro, esse meu amigo, já não é conhecido pela paciencia e temperança, e se irrita quando pisam no pé dele...então...a reuniao ficou parecendo um duelo sem armas, um combate entre dois estressadinhos!! Foi uma tremenda saia justa rsrsrsrs...

Eu, com meu jeitinho conciliador e liderança tranquila, até tentava melhorar o clima, mas daí um voltava a cutucar o outro, estragando meu plano de termos uma reuniao saudável, produtiva e harmoniosa. E foi assim durante quase 2 horas muito estressantes. Eles nao se entenderam, e basicamente, a reuniao deu uns 10 passos pra trás no caminhar do processo.

Esse meu amigo ficou extremamente irritado quando o velhinho falou que o trabalho de alguns profissionais da comunidade é "mediocre". E que as comidas do Festival são "horríveis". Além disso, o velhinho falou que achava que eu estava "começando na carreira" (quem dera rsrsr). Entao meu amigo resolveu defender-nos todos, e a situação piorou muito hahahaha.

Sinceramente, não me importa em NADA a opinião que o velhinho tem de mim. Se ele me considera uma menininha, ótimo. E daí?? Eu não sinto nenhuma preocupação com a opinião que as pessoas tem de mim. O que importa é o que eu acho de mim, e eu me considero uma excelente profissional e busco ser uma pessoa melhor todos os dias. De qualquer maneira, a opinião dos outros, especialmente desse velhinho, é tão valiosa pra mim quanto uma moedinha de 1 centavo. Não me importa em nada!!

Tenho pessoas que gostam de mim, falam bem de mim, se importam comigo, e é isso que importa no final das contas. Meu amigo tambem precisa ter a mente mais tranquila, menos reativa, porque nao vale a pena sair do seu centro pra responder uma provocação gratuita. Enfim, quando a gente levanta a voz, já perdeu a briga, já saiu do eixo. Aliás, dizem que duas coisas nao tem volta: a oportunidade perdida, e a palavra proferida. Com certeza, ambos devem se lamentar pelas palavras que verbalizaram hoje. Foi um papelão. Bjs.


terça-feira, maio 08, 2012

Novidades na vida

Ultimamente estou tentando incluir coisas novas na minha rotina diária. Além de ir na academia todos os dias (no frio é muito ruim!), estou fazendo as coisas de um jeito diferente, passeando, brincando, cuidando (pelo menos) um pouquinho de mim antes de cuidar dos outros. Nem tenho trabalhado de noite em casa (só de vez em quando haha)

Até porque senão fizer isso, posso virar um verdadeiro "monstrinho estressado" mais pra frente, nos meses do evento. Ano passado consegui controlar bem esse "bichinho". A minha calma do dia-a-dia vem como resultado de uma mente tranquila. Preciso me manter no equilíbrio perfeito para produzir melhores resultados no trabalho.

Uma coisa interessante é que estou (tentando) retomar uma amizade por mês. Portanto, se somos amigos, não se assuste se você receber uma ligação minha sem motivo aparente rs rs rs porque provavelmente você pode ser a minha amizade do mês rs rs rs...mas de qualquer maneira, as pessoas devem estranhar muito, porque faz ANOS que eu estava bem reclusa e distante das pessoas queridas da minha vida. Fato que agora vou corrigir mensalmente. Bjs.

quinta-feira, maio 03, 2012

Conversa no banheiro feminino


A satisfação está no esforço e não apenas na realização final. (Gandhi)



É incrivel como certas coisas passam despercebidas aos nossos olhos, dependendo da situação. Acabaram de encontrar aqui no escritorio um banner em que a nossa logomarca está virada de ponta cabeça hahaha!! O pior é que esse banner foi colocado no evento e ninguem percebeu!! Que loucura!! rsrsrsrrs...isso que dá ficar tão malucos no dia do evento.

Isso comprova que a gente se esforça, mas mesmo assim, de vez em quando as coisas nao acontecem como queremos. Perfeição é algo que eu nao almejo (mais). Eu acho que o esforço tem muito a ver com os resultados que alcançamos nas nossas vidas. Eu me esforço todos os dias, trabalho pra caramba, estudo pra caramba, dou o meu melhor diariamente para ajudar as pessoas e continuar minha missão aqui nessa vida.

Tem um detalhe que eu acho que mostra como as pessoas sao diferentes em relação ao esforço. Nao tenho nada pessoal contra as meninas da limpeza, mas tem muitas vezes em que eu vou no banheiro feminino e elas estao lá, sentadas no chao, conversando, fofocando e ouvindo musica. Depois eu volto de novo e elas continuam lá. Se houvesse uma terceira vez, ficaria um pouco estranho, vc nao acha??

Logico que eu bebo muita agua, entao devo ir sempre ao banheiro hahahaha mas isso mostra que as meninas não se esforçam muito pra melhorar de vida. Se elas se esforçassem mais, quem sabe os resultados nao seriam diferentes?? PS - considero todos os trabalhos honrados e nao tenho nenhum preconceito com a profissao de auxiliar de limpeza ok?? Eu tb sou proletária!!

Eu posso me colocar no lugar delas, porque no primeiro (e graças a deus, acho que ultimo) emprego de carteira assinada que eu tive, meu deus, como eu odiava meu trabalho. Eu fazia DE TUDO pra enrolar e nao ir pro escritorio. Ficava na lanchonete, no banheiro, na rua, no cursinho, no fumodromo (mesmo sem fumar), tudo o que fosse necessário, só pra nao ficar naquela sala fechada. Ou seja, eu compreendo. Mas tambem destaco que o esforço de sair daquela situação me trouxe ao que eu sou hoje. Essa é a diferença. Bjs.

quarta-feira, maio 02, 2012

Uma pesquisa preocupante...

Quando eu vejo matérias como essa, fico muito preocupada com a situação futura do Japão. Lá, uma em cada 4 pessoas já pensou em suicídio, e a maioria são jovens de 20 a 30 anos. Tudo bem que a matéria esqueceu de apontar a fonte da pesquisa e só cita a agencia de noticias EFE. Mas esse tipo de pesquisa mostra algo que a gente já sabe costumeiramente, que o Japão é um país que tem alta taxa de suicidios.

Acho que isso acontece por uma série de fatores, mas especialmente pela própria rigidez da cultura japonesa, a necessidade absurda de suprimir o que vc é individualmente para pertencer coletivamente, contribui para essa triste realidade. Virar playmobil no meio da multidão. Eu morei no JP alguns anos e senti muito isso. Lá 99% das pessoas não tem brilho nos olhos, não tem o sorriso na alma que nós, brasileiros, temos (talvez até naturalmente).

As pessoas lá sao super educadas, gentis, mas são murchinhas, vazias por dentro, resignados. Muitos nao tem muitos objetivos pessoais e sonhos na vida além de existir. Ou coexistir. Ou subexistir. Talvez por isso os japs, quando vem pra cá, ficam loucos e apaixonados pelo Brasil e nao querem mais voltar. Porque aqui valorizamos (até demais) a tal da "felicidade". Mas eu tambem concordo que a vida é pra ser feliz!! Afinal, só temos uma vida!!

E a situação de alta taxa de suicidios acontece em outros paises, como na Coreia. Por exemplo os coreanos que eu conheci, dá muita pena deles: eles vivem isolados do mundo, só trabalhando feito loucos (um nivel de insanidade muito superior ao meu), por anos e anos num pais estrangeiro, sem nenhuma alegria pura no dia-a-dia. Fala, como dá pra ser feliz assim? Alias, qual o valor do dinheiro quando nao vem junto com felicidade?? Como eles conseguem viver assim? Eu ao mesmo tempo admiro a força de vontade, mas sinto pena pelo preço pessoal que esses trabalhadores pagam. E na Coreia é a mesma coisa.

Japao e Coreia são paises que se reergueram de situações barra-pesada, mas isso teve um preço alto na alma, no inconsciente coletivo desses países, onde o "dever" fala mais alto do que o "querer". Acho que é o tipo de reconstrução que infelizmente o Brasil nao conseguiria, por diferenças de cultura mesmo, diferentes valores. Cada país tem as suas qualidades e imperfeições. Bom, eu amo o Brasil apesar de tudo. Bjs.

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5749413-EI8143,00-Um+em+cada+japoneses+ja+pensou+em+suicidio+aponta+pesquisa.html 


Um em cada 4 japoneses já pensou em suicídio, aponta pesquisa
01 de maio de 2012  23h02  atualizado às 23h18

Quase um de cada quatro japoneses adultos pensou em algum momento de sua vida em suicidar-se, principalmente os jovens de 20 a 30 anos, segundo uma pesquisa publicada nesta quarta-feira (hora local) pelo governo do Japão.
O estudo, realizado em janeiro após consultar mais de dois mil japoneses maiores de 20 anos, revela que 23,4% já pensaram em suicidar-se, um número 4,3% maior que o da pesquisa anterior, realizada em 2008.
Os resultados "refletem provavelmente a dificuldade para encontrar trabalho no meio da crise econômica, o aumento dos empregos não regularizados e as pobres relações pessoais", detalhou a enquete divulgada pela agência Kyodo.
Por gêneros, as mulheres são as mais propensas ao suicídio ao liderar os dados com 27,1%, acima do 19,1% registrado entre os homens.
Por idade, 28,4% das pessoas entre 20 e 30 anos pensou em algum momento em acabar com sua vida, grupo que se transforma no mais propenso ao suicídio e do qual 36,2% revelou ter considerado o ato durante o ano passado.
O número cai até 25% entre os de 30 a 40 anos, se situa em 27,3% dos 40 aos 50 anos e em 25,7% entre os consultados de 50 a 60 anos. Por último, pensaram em suicídio 20,4% dos indagados de 60 a 70 anos, enquanto nos maiores de 70 anos a taxa desce para 15,7%.
Entre os motivos para superar a ideia de suicidar-se, 38,8% apontou a família, os amigos e os companheiros de trabalho, 38,6% ressaltou a necessidade de concentrar-se no trabalho ou em um hobby, enquanto 18% acredita que o melhor é o lazer e tempo livre.
No estudo, realizado com um questionário de múltipla escolha, o governo também perguntou sobre os efeitos psicológicos provocados pelo terremoto e tsunami que assolou o nordeste do país no dia 11 de março de 2011.
Neste sentido, 64,3% assegurou que a tragédia lhes fez perceber a importância das relações pessoais, enquanto 54,3% afirmaram que lhes fez ver a importância do esforço para proteger a si mesmos e a seus familiares. Além disso, 41,7% se sente mais inseguro após a tragédia de março de 2011, enquanto 7,5% declarou que não perceberam nenhuma mudança em sua forma de pensar ou de sentir.

terça-feira, maio 01, 2012

Dreams Come True - musica linda!!

Hoje estava trabalhando e minha batian assistindo NHK. Um grupo de universitários de Fukushima cantou uma musica do Dreams Come True que eu nunca tinha escutado (Nando Demo). Adorei essa musica, porque ela combina muito comigo, já que eu sou uma pessoa "mae muki", ou seja, eu olho pra frente. Não importa quantas vezes você tentar realizar um sonho, fazer algo, o importante é tentar. Como fala na musica, mesmo que você falhe 10.000 vezes, na 10.001 voce pode acertar. Bjs.



Nando Demo


komiagete kuru namida o nankai fuitara

How many times must I wipe these welling tears
tsutaetai kotoba wa todoku daro?
until I can get through to you?
dare ka ya nani ka ni okotte mo deguchi wa nai nara
If getting mad doesn't give me a way out anyway?
nando demo nando demo nando demo tachi agari yobu yo
I'll keep on, I'll keep on, I'll keep on
kimi no namae koe ga kareru made
getting back up and calling your name until I'm hoarse
kuyashikute kurushikute ganbatte mo
Even when I'm frustrated and suffering, and
do shiyo mo nai toki mo kimi o omoidasu yo
nothing seems to work, I'll think of you
ichi man kai dame de heto heto ni natte mo
Even if I fail 10,000 times, and I'm all worn out
ichi man ikkai me wa nani ka kawaru ka mo shirenai
The 10,001st time something might change
kuchi ni suru tabi honto ni tsutaetai kotoba wa
Every time I try, the words I really want to say
poro poro to koborete nigete yuku
come tumbling out and run away
kanashimi ni shihai sasete tada tsubusareru no nara
If I'll just give reign to my sadness and be crushed anyway
nando demo nando demo nando demo tachi agari yobu yo
I'll keep on, I'll keep on, I'll keep on
kimi no namae koe ga kareru made
getting back up and calling your name until I'm hoarse
ochikonde yaruki mo mou soko tsuite
Even if I'm down and lose the will to go on
ganbarenai toki mo kimi o omoidasu yo
and the fight goes out of me, I'll think of you
ichi man kai dame de kakko warukutemo
Even if I fail 10,000 times, and look like a fool
ichi man ikkai me wa nani ka kawaru ka mo shirenai
The 10,001st time something might change
mae o muite shigamitsuite
I'll stay positive and hold on
mune kaki mushitte akiramenaide sakebe!
I'll bang my chest — and not give up — and shout!
nando demo nando demo nando demo tachi agari yobu yo
I'll keep on, I'll keep on, I'll keep on
kimi no namae koe ga kareru made
getting back up and calling your name until I'm hoarse
kuyashikute kurushikute ganbatte mo
Even when I'm frustrated and suffering, and
do shiyo mo nai toki mo kimi no uta o omoidasu yo
nothing seems to work, I'll think of your songs
kono saki mo tsumazuite kizu tsuite kizu tsukete
Even if I stumble, and get hurt or hurt someone else
owari no nai yariba no nai ikari sae
and there's no end in sight and I can't even vent my anger
modokashiku idaki nagara
and I get impatient
do shite wakaranain da? tsutawaranain da?
Why don't you understand? Why can't I get through to you?
aegi nageki nagara jibun to tatakatte miru yo
I'll fight myself, panting and grieving
ichi man kai dame de nozomi naku natte mo
Even if I fail 10,000 times, and there's no hope in sight
ichi man ikkai me wa kuru
The 10,001st time'll come
kimi o yobu koe chikara ni shite iku yo nando mo
Calling your name will give me strength, and I'll keep on
ashita ga sono ichi man ikkai me ka mo shirenai…
Because tomorrow might be that 10,001st time…