Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014

Carta aberta de um coração remendado

Hoje, meses depois, admito. Estava muito dificil, dolorido demais, truncado. Precisava mesmo te esquecer. Ao mesmo tempo, sentia muita alegria, leveza, felicidade extrema. Paradoxo. Como pode algo ser tao bom e tão ruim ao mesmo tempo? Não tive escolha, resolvi deixar voce para trás. O passado passou e nao volta mais.


O sentimento que transbordava no meu coração era muito bom, mas ao mesmo tempo, me massacrava por dentro. Destruía meu bem estar, me deixava sem referencia, sem norte, sem rumo. Eu nao podia deixar esse barco correr solto no mar. Precisava retomar meu caminho.


Na minha vida, sempre tentei ter o "controle" de tudo. Virginiano é higienista, racional, pratico, metódico. Que eu me lembre, essa foi a primeira vez em que eu conscientemente me libertei das amarras, apostei todas as minhas fichas no sentimento, na emoção. All in, confiei nas minhas cartas, mas infelizmente, perdi a aposta. Perdi voce.


Tenho orgulho de dizer que eu tentei absolutamente de tudo. E voce …

Resumindo, eu não sou mulher-fruta

Esses dias estive de ferias no Rio. Foi uma viagem excelente e super maravilhosa. Porém, entretanto, todavia, contudo, os caras (chatos) não me deixavam em paz, toda hora com gracinhas e idiotices. Nessas horas, ficava me perguntando: "P#%&@, será que nunca viram uma japonesa??" (alias, só pra constar, eu me considero brasileira).


Segundo a P, no seu conhecimento empírico, os cariocas não estão muito acostumados a ver japonesas, turistas, sozinhas e bonitas. Ou seja, eu, sendo uma turista com cara de japonesa, sozinha e bonita, tive que me submeter a toda espécie de constrangimento estupido vindo de caras idiotas.


Porque enganam-se os homens que acham que uma mulher gosta de escutar esse tipo de coisa na rua e ser encarada como se fosse uma mercadoria na loja, uma picanha no açougue, um passarinho na petshop. A gente sente nojo, asco, repugnância. Vontade de bater. Vontade de xingar. Vontade de sair correndo!


Infelizmente, como esse comportamento subanimal é uma tris…

Status: de ferias

Tirei ferias pela primeira vez em muito tempo. Fui para o Rio de Janeiro sozinha. O B nao acredita, mas eu juro que fui sozinha! Fiquei lá uma semana, vivendo a vida de rainha que toda mulher merece: acordar cedo, tomar cafe da manha, ir para a praia, ficar lá tranquila com minha água de coco, depois almoçar, passear, depois mais praia, e banho gostoso, e de noite jantar e passear mais. Vida maravilhosa, concorda?


Comprei a passagem na promocao da Azul. Fiquei num hotel chamado Marbella, na Barra da Tijuca, que é zona oeste do Rio. Antes, a trabalho, tinha ficado no Flamengo, que é perto de tudo. Então, estranhei a principio - uma dica pra quem vai para o Rio é ficar em Copa, Ipanema, Leblon, etc: mais perto do agito, mas tambem muito mais caro. Para fazer os passeios, pegava onibus e ia pra Copacabana e pronto. Acostumei.


Um ponto positivo do hotel é que tinha uma equipe bem esforçada e ar condicionado no quarto. Lado negativo era a televisao poltergeist (que ligava e desligava do …

Bela? Bonita? Cuidado com a inveja!

Descobri porque algumas (poucas) pessoas (=mulheres) me odeiam. É porque eu sou bonita! Uma pesquisa da Mirian Goldenberg perguntou o que as mulheres mais invejam em outras mulheres. A resposta mais comum foi a beleza, em primeiro lugar, com o corpo como segunda escolha. Tem também esse artido do Pondè na Superinteressante, um tanto machista mas com algumas reflexões interessantes: Mulheres, usem sua beleza para conseguir coisas (aliás, como assim???!!!).


Eu sei que tem gente que gosta realmente de mim, e outros que me detestam, sem motivo algum. Vivo bem com isso, não me importo com a opinião e nem com a vida dos outros. Mas compreendo que existem pessoas que nao gostam de mim, torcem contra, sentem inveja. Felizmente, vivo em um universo de energia positiva, oferecendo pouco acesso para essas pessoas pequenas, com baixa luminosidade de alma.


Tenho meu jeito especial de falar com as pessoas, procuro ser gentil com quem me procura. De qualquer maneira, agradar a todos é impossível. …

O essencial que é invisível aos olhos

Imagina por um momento, não ter um lugar para voltar no final do dia. Nao ter uma cama para deitar. Nao ter comida na mesa. Alias, nao ter nada, nem mesa, nem cama, nem casa. Não ter uma família para te apoiar. Ser ignorado todos os dias, horas e minutos. As pessoas desviando de você na rua, fingindo que nao te enxergam, sem disfarçar a repulsa.


O morador de rua é um ser invisível aos olhos do mundo. Passamos por eles, caídos na rua, pedindo esmola, desviamos o olhar, e não sentimos nada. O termo exato para isso é "cisão psíquica". Afinal, nossos olhos veem tanta injustiça, tanta coisa ruim, que acabamos nos acostumando ao mal e bloqueando nossos sentimentos, anestesiando nossas sensações e emoções para (sobre)viver na sociedade.


Eu comecei meu trabalho voluntário ha quase 15 anos, levando sopa para moradores de rua. A vida vai, a vida vem, e me afastei desse trabalho, e acabei me dedicando mais para as causas da cultura japonesa e da comunidade nikkei. Hoje, tantos projeto…