sexta-feira, outubro 28, 2011

Um dia no centro

Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver. (Dalai Lama)

Hoje de manhã fui pegar o ônibus e ajudei um moço cego, tadinho, eu entendo a dificuldade dele, porque sem oculos, tb sou meio cega. Depois fomos almoçar e fui para o Centro, pq tinha que acompanhar um pessoal pra fazer matéria pra revista. Que calor!! Nossa, andar no centro de SP atualmente nao é muito agradavel. Mas nao posso reclamar de nada. Tenho saude, trabalho, familia, inteligencia, humildade. Eu ando repensando alguns conceitos na minha vida, por exemplo em relação à esmola, que por filosofia, eu não dava nunca.

Pensei bem esses dias, pq apareceram situações na minha frente, e talvez, para algumas pessoas, realmente esmolar é a unica saída que elas conseguem ver, para sair da dificuldade extrema. Hoje por ex decidi não tomar sorvete e deixei esse dinheiro com uma obassan cega, que estava pedindo esmolas em frente ao mosteiro de S. Bento.

Enquanto aguardava o pessoal chegar pra entrevista, fiquei reparando em como a maioria absoluta, 99% das pessoas, simplesmente ignorava a velhinha. Se bobear, pisariam nela, porque ela estava sentada no cantinho da escada, mexendo uma tigelinha. Mas existiam sim algumas pessoas muito boas, que não só deixaram uma moedinha, mas tb conversaram com a velhinha.

Acredito realmente que nós podemos ser instrumentos do bem (ou do mal, como muita gente por aí). Podemos ser, nós mesmos, os anjos para muita gente, é só fazer o bem. É só fazer diferente. Porque o mal só vence quando as pessoas do bem nao fazem nada para impedir. Entao tenho revisto muita coisa, por ex, qual o sentido de fazer o bem para uma entidade que nao valoriza outra entidade, qual o sentido disso?

Eu quero fazer o bem para entidades que pensem como eu penso, poxa vida. Ética e moral. É meu trabalho voluntario e tenho o direito de decidir onde vou aplicar meu precioso tempo. Pq tenho que pensar no que eu posso fazer hoje pelas pessoas, não no que eu fiz no passado ou no que posso fazer no futuro. E hoje estou muito chateada com essa falta de sentido da comunidade nikkei. Bjs.


quarta-feira, outubro 26, 2011

Tudo melhora!

Esse domingo passei trabalhando, escutando uns 30 grupos de coral, alguns desafinando, outros mais ou menos afinadinhos, outros excelentes, por vezes repetindo a mesma musica (ai ai ai), e uma das escolhidas foi uma música que eu gosto muito, que é Tegami, da Angela Aki.

É como se fosse uma carta pra quem a gente foi aos 15 anos, com todos os nossos conflitos, medos, incertezas, temores. A cançao fala de superação, da certeza de que tudo vai melhorar, e acho que em especial para os mais jovens, essa musica passa uma mensagem muito legal! Tudo vai melhorar! E é verdade, tudo melhora nessa vida!



Enquanto isso, fiquei pensando numa coisa. Imagine um velhinho tipico japones, bem emburrado e ditadorzinho. E imagine que o tempo vai passando, passando, passando, e ele nao muda suas maneiras. E ele vai envelhecendo. E chega aos 80 anos e fica doente. Vi um velhinho assim, bem tradicional, e talvez tenha sido a ultima vez que o vi, pq até o ano passado eram dois velhinhos. O outro nao viveu para ver o evento novamente. =(

Se o nosso tempo na Terra é finito e totalmente indefinido, pq perder tempo colecionando inimizades, fazendo exigências, criando discórdias, sendo que tudo pode acabar de uma hora pra outra, sem vc nem se dar conta?? Nao vale a pena desperdiçar energia com algo que nao é seu, nem meu, nem de ninguem. Pra que ficar brigando? Precisamos de mais gentileza nesse mundo! Bjs. ^.^

sábado, outubro 22, 2011

Jornalismo mundo cão

Essa semana teve uma noite em que eu nao consegui dormir. Fiquei muito, muito mal por causa de uma noticia que eu inadvertidamente assisti no Jornal da RedeTV, da menininha chinesa atropelada 2 vezes e que faleceu essa semana no hospital. Eu já tinha visto o link do atropelamento em varios portais mas simplesmente optei por nao assistir, porque eu sabia que me faria mal, pq eu me conheço, pq eu sou muito boba para essas coisas.

Entao fui pra minha aula, voltei pra casa, liguei a tv e fui jantar. Enquanto estava jantando, tive o desprazer de ser literalmente invadida por essa noticia que eu passei o dia todo evitando. A apresentadora nem pra avisar que eram imagens fortes, que poderiam chocar o telespectador. Nao deu tempo de pegar o controle e desligar a TV. Eles simplesmente invadiram minha casa com cenas horriveis que, infelizmente, nunca vou conseguir apagar da memoria. Estragou meu jantar, nao tinha como, depois daquilo, apreciar uma refeição.

Chorei muito por causa dessas cenas, mesmo sabendo que nada que eu faça vai ajudar a menininha ou as crianças que sofrem na China, porque mesmo as crianças que sofrem no BR, infelizmente, nao consigo ajudar com o meu trabalho. Se somos todos parte de uma mesma humanidade, eu sofro mesmo por quem eu nao conheço. Mas o que queria colocar hoje é meu descontentamento com a profissao que eu escolhi. Cada dia que passa sinto que tenho menos respeito pela nobre profissão de jornalista. Porque o editor nao tinha o direito de colocar aquelas cenas no ar. Aquilo nao é denuncia, aquilo nao é noticia, aquilo é uma maldade inominável, algo que precisa causar reflexão para o povo chines, não vender jornal ou aumentar o ibope. Que conceito distorcido é esse?

Da mesma maneira, essa semana as cenas do Gaddafi morto e ensanguentado estao em todos os portais, todos os telejornais, todas as revistas. Na minha análise critica, ele podia ser um ditador, tirano, assassino, mas era um ser humano, que nao merece ser exposto assim em rede mundial, em tempo real. É desrespeitoso com o ser humano, uma violação com a religiao islamica, com os conceitos de diplomacia e reciprocidade. Será que os jornalistas que trabalham com essa cobertura nao entendem algo tao simples?? Será que eles acham realmente que a humanidade precisa ver aquelas cenas de barbárie?? Em que isso nos faz melhores do que os terroristas??

Tem um conceito de comunicação que diz o seguinte: quanto mais as pessoas sao expostas aos estimulos, mais elas se acostumam ao estimulo, e por consequencia, diminuem a resposta, vão se acostumando com o que é colocado, tanto pela imprensa, pelo governo ou por tiranos. Exemplificando, se o jornal publica pela primeira vez a foto de uma pessoa morta, isso vai chocar os leitores. Se amanhã o jornal publicar de novo, a foto vai chocar menos e menos, com o passar do tempo, e assim vai. Isso cria pessoas anestesiadas, entorpecidas, que não se escandalizam mais com o que deveria provocar escandalo e revolta. Alias, o proprio termo "escandalo" caiu em desuso, pq tem escandalo novo todas as semanas. O que será do nosso Brasil?? Bjs.

quinta-feira, outubro 20, 2011

Abuso de autoridade

Hoje acordei cedo porque fiz minhas primeiras gravações de off para as materias da TV Nikkey. Constatei que a minha voz é de criança mesmo, nao tem jeito!! rsrsrsrs. Mas foi bom porque aprendi a projetar melhor a voz e articular as palavras di-re-i-to. rsrrssrsr.

Nossa, mas de manhã eu fiquei muito, muito, muito triste. Estava me aprontando e vi essa materia, sobre um policial que atirou e matou o cachorrinho de um morador de rua lá na Aclimação. Quando eu vi a imagem, imediatamente reconheci o lugar, porque era a padaria que eu mais gostava de ir, perto da minha ex-casa.

Poxa, eu nao entendo como pode acontecer esse abuso de autoridade tão perto da gente. Os policiais foram lá porque chamaram a polícia, até aí tudo bem. Mas dizer que dois moradores de rua indefesos iriam reagir contra policiais armados? Tenha dó! Não somos tao bobos assim! E acreditar que o cachorro realmente atacaria o policial? Cachorros que moram na rua com os donos são calmos e dóceis por natureza!! Se nao fossem tao doceis, nao conseguiriam suportar tanto sofrimento, sempre ao lado dos donos, sempre fieis, sem reclamar de uma vida dura e sofrida.

Se as armas são o ultimo recurso, realmente era necessário dar dois tiros no pobre cachorrinho?? É muita maldade no coração. Quer dizer que os policiais nao conseguiram controlar um cachorro que estava latindo? Lógico, o cachorrinho devia estar assustado. Pior é que depois disso tudo, os policiais ainda levaram os dois moradores de rua para a delegacia por desacato à autoridade. Mataram o cachorro que era companheiro do moço e levaram os dois para a delegacia. E depois, o que aconteceu com eles? Sério, isso me deixou chocada, e vou acompanhar o caso.

quarta-feira, outubro 12, 2011

Trabalho em equipe

Eu queria muito entender porque alguns velhinhos sao tao beligerantes. "Ah, tal entidade fez isso, entao vamos fazer isso!" ou entao "Tal pessoa fez isso, então vamos responder com isso!". É tipo "A Arte da Guerra" do Sun Tzu, mas só que a caminho do asilo!! É algo totalmente sem sentido, uma perda de energia vital. Pra quê tudo isso??

Faria mais sentido alguma coisa assim: essa entidade tem objetivos parecidos com os nossos. Vamos nos ajudar mutuamente. Vamos entrar num acordo. Vamos ajudar uns aos outros. Vamos juntar nossas forças e ser mais fortes juntos. E chega de reuniao sem sentido, e vamos ao que interessa (que é a cerveja ou whisky, no caso deles). Pronto, simples assim. Porque essas coisas simples nao são visiveis para os velhinhos??

Eu gosto muito de assistir One Piece, primeiro porque é super legal, e também porque passa valores muito preciosos para o ser humano, na minha opiniao, como perseverança, a necessidade de acreditar nos sonhos, e principalmente, a importancia do trabalho em equipe, do companheirismo. Luffy é forte mas nao é nada sozinho. Ele se fortalece em equipe. Os velhinhos tambem poderiam entender que são "nada" sozinhos, e nao fazem nada sozinhos. Alias, muitas vezes nao fazem nada, ponto (com raras exceções). Ainda mais sozinhos.

A gente fala sempre que os jovens precisam participar das entidades, colaborar, ter voz ativa. Que o jovem deve oxigenar as entidades. É meio dificil quando a própria diretoria cria dificuldades. Os mais velhos terminam sozinhos por nao criarem laços com os mais novos. E na verdade, é assim que está a comunidade nikkei hoje, fragmentada, um de cada lado (e cada vez com menos pessoas em cada lado). Deveriam se confraternizar, deixar as diferenças de lado e buscar as semelhanças. Ah, eu gosto muito dessa musica do One Piece, Fight Together, da Namie Amuro Bjs.